João 5: 39 Examinais as Escrituras, porque vós cuidais ter nelas a vida eterna, e são elas que de mim testificam



Baixar 70,69 Kb.
Encontro02.08.2017
Tamanho70,69 Kb.
JESUS NO VELHO TESTAMENTO.

João 5:39 - Examinais as Escrituras, porque vós cuidais ter nelas a vida eterna, e são elas que de mim testificam.
Quando o Senhor Jesus falou esta palavra, Ele estava-se dirigindo aos saduceus, aos fariseus e aos escribas, enfim, aos religiosos daquela época, que eram os responsáveis pela religião judaica, pelo judaísmo, que tinha como base doutrinária a Lei, que é o Velho Testamento, que era o Pentateuco, que eram todos os livros da Bíblia no Velho Testamento. Estes homens manipulavam e conheciam muito bem as Escrituras, eles eram os doutores da Lei, eles eram os intérpretes da Lei.

O governo de Israel era um governo político-religioso, onde havia a administração política e a orientação religiosa. A religião e a política caminhavam juntas porque era um governo teocrático, um governo que era direcionado por Deus. Eles admitiam que Deus dirigia, mas quando Deus falava, quando Deus orientava, algumas vezes eles atendiam e noutras vezes não e isso sempre trazia aquelas dificuldades que aparecem em todo o Velho Testamento, todas aquelas lutas, as grandes derrotas, as suas vitórias, é o homem na sua imperfeição.

O que Jesus estava falando àqueles homens é que eles, apesar de serem doutores da Lei, de conhecerem as Escrituras, apesar de todo o conhecimento, eles não estavam sabendo que tudo aquilo que estava escrito no Velho Testamento estava relacionado com Ele.

Hoje, quando nós pegamos a Palavra e a consultamos e vemos o Velho Testamento, podemos dizer que: Mas isso é da lei, mas acontece que quando nós aceitamos, nós vemos a figura de Jesus ali ( porque Ele nos fala também no Velho Testamento e, nesse momento em que Ele nos fala no Velho Testamento, não é uma lei com aquele peso que ela tinha no Velho Testamento, mas é um momento de intimidade com o Senhor, Ele nos fala e nós vemos a sua presença ).

Quando nós abrimos o Velho Testamento e vamos pregar ou falar alguma coisa dele, a figura central é a figura de Jesus. A descoberta da figura de Jesus é fundamental no Velho Testamento, todos os atributos a Ele relacionados, toda a tipologia bíblica, toda a simbologia, todo o sentido figurativo, tudo o que se passa no Velho Testamento aponta para Jesus e é isso que nós temos que ver quando abrimos a Palavra para que o Senhor nos fale ou quando vamos entregar uma palavra, uma mensagem.

Na letra, a figura de Jesus está sempre implícita, por isso é importante que vejamos o Senhor Jesus na revelação, para que façamos a grande e maravilhosa descoberta.



OS ATRIBUTOS DE JESUS DENTRO DAS FIGURAS DO VELHO TESTAMENTO


1) COMO REI:
O rei era o responsável pelo seu povo.
Quais eram as responsabilidades do rei? Como é que nós vemos a figura do rei no Velho Testamento?
1.1) Como Libertador.
O rei é visto como um libertador. Ele tinha o poder, mas uma das suas funções era a de libertar porque ele era o homem responsável por todo povo e ele precisava manter o povo liberto dos adversários, liberto dos ataques dos vizinhos, liberto para viver a sua vida.

Um bom rei era aquele que dava segurança ao seu povo. Nas guerras o povo sentia-se seguro também porque sabia que o seu rei estava lá na frente, enquanto todo o reino ia atrás.

Hoje é o contrário, os exércitos colocam os comandos na retaguarda e os comandados na vanguarda, quanto mais elevada for a patente, mais para trás ele está. No passado não era assim, naquele tempo o rei ia na frente e é por isso que hoje um país declara guerra ao outro com extrema facilidade, já que os responsáveis pelo governo não chegam nem perto da luta, eles sempre mandam os outros.

Onde está a figura de Jesus como libertador no Velho Testamento?

Nós vamos ver a figura do libertador em muitas pessoas no Velho Testamento.

Antes mesmo do primeiro rei em Israel, existiram os juizes. Israel teve doze juizes, os quais estão muito bem relacionados com os doze apóstolos.

Nada no Velho Testamento está desligado do Novo Testamento. Quando você fala em 3 (Trindade), em 7 (perfeição), em Pai, Filho e Espírito Santo, em rei, profeta, sacerdote e homem, você vai encontrar em cada um deles a figura representada lá na frente. É um mistério, é um segredo que está sendo revelado à Igreja dos últimos dias.

O juiz no Velho Testamento também tinha a função de libertar o povo. Dentre os doze, dois se destacaram como libertadores. São eles: Sansão e Gideão.

Sansão.

Ele diz aos seus convidados: Eu vos darei um enigma a adivinhar; e, se nos sete dias das bodas mo declarardes e descobrirdes, vos darei trinta lençóis e trinta mudas de vestidos... Então lhes disse: Do comedor saiu comida, e doçura saiu do forte. E em três dias não puderam declarar o enigma. ( Jz. 14:12 a 14 )


O mundo não conhece o grande enigma da morte e ressurreição de Jesus ao terceiro dia.
E a mulher de Sansão chorou diante dele os sete dias em que celebravam as bodas. Sucedeu, pois, que ao sétimo dia lho declarou, porquanto o importunava. (14:17)
Estes sete dias falam do período da Igreja no mundo. Nós devemos estar preparados para o casamento. Sansão, que é tipo do Espírito Santo, conta para a sua esposa o segredo porque ela chorou o tempo todo, durante os sete dias. Imagine a situação, ele, na festa do seu casamento, e a sua mulher chorando sem parar porque ele não queria revelar o enigma para ela.

Assim que soube o segredo, ela foi contar para os homens daquela cidade e antes do pôr-do-sol do sétimo dia eles vieram declarar o enigma a Sansão: Que coisa há mais doce do que o mel? Que coisa há mais forte do que o leão? (14:18)


Onde está o segredo nesta frase?
O segredo é a doçura da morte de Jesus e a fortaleza da sua ressurreição. Nada é mais doce que a morte de Jesus e nada é mais forte do que a sua ressurreição. Quem é que iria descobrir esse mistério lá no Velho Testamento? Ninguém, mas Sansão, símbolo do Espírito Santo ali, entendeu o leão como se fosse um cordeiro. O Espírito Santo entendeu Jesus assim, o Cordeiro de Deus, o Leão da tribo de Judá, morto na cruz do Calvário. Mas a sua morte trouxe vida para Sansão, era preciso dar o que estava dentro dele e o que Ele tinha dentro de si era o Espírito Santo que foi dado à Igreja.
Então Sansão lhes disse: Se vós não lavrásseis com a minha novilha, nunca teríeis descoberto o meu enigma. (14:18)
Quem não combina, quem não compõe com a Igreja Fiel (novilha), não descobre segredo nenhum porque é a Igreja que está aos pés de Jesus, chorando dia e noite para saber o mistério, que é a revelação de Jesus e a revelação está sendo dada nesta última hora.

Aqueles homens haviam dito à mulher de Sansão: Persuade a teu marido que nos declare o enigma, para que porventura não queimemos a fogo a ti e à casa de teu pai. (14:15)


Ninguém descobre o enigma do Senhor à força, de qualquer jeito, nem na carne, nem na ameaça, nem na razão, nem no raciocínio, nem na sabedoria humana, nem na letra da Bíblia porque o enigma só é decifrado por aquele, se eu estiver compondo com a Igreja porque ela está chorando dia e noite, aos pés do Senhor e pedindo: Revela-te, Senhor, ao teu povo. Quem não fizer isto, não recebe a bênção. Pensar que a bênção vai cair assim: Hi! Caiu. Pronto, está cheio de bênção. Não é nada disso não, tem que estar ali, dia e noite, pedindo sempre, com lágrimas e súplicas: Senhor, manda mais poder. É sempre mais porque a carreira cristã é isso mesmo.
Gideão.
É no pão que a figura de Gideão revela Jesus.
Um soldado do exército dos midianitas, inimigo de Israel, disse ao seu companheiro: Sonhei, e eis que um pão de cevada torrado rodava pelo arraial dos midianitas e chegava até às tendas e as feriu e caíram, e as transtornou de cima para baixo, e foram abatidas. E o seu companheiro respondeu: Não é isso outra coisa, senão a espada de Gideão... (Jz.7:13 e 14)

Para nós esse pão não é outro senão Jesus, o pão da vida. É por isso que Jesus nasceu em Belém, que quer dizer, casa do pão.

Davi também era belemita, era casa do pão, porque ele também é tipo do Senhor Jesus.
1.2) Como Senhor dos Exércitos.
Onde está a figura notável de Jesus como Senhor dos Exércitos no Velho Testamento?
Está em Josué. Ele chega diante dos muros de Jericó para entrar na cidade.
Qual é o valor da figura de Jesus no momento da luta que Josué trava para entrar em Jericó? O que é que Jesus estava fazendo ali naquele momento? E se fosse nos nossos dias?

Aí está a grande mensagem


E sucedeu que estando Josué ao pé de Jericó, levantou os seus olhos, e olhou; e eis que se pôs em pé, diante dele, um homem que tinha na mão uma espada nua. E chegou-se Josué a ele, e disse-lhe: És tu dos nossos, ou dos nossos inimigos? (Js. 5:13)
Josué era um guerreiro, um conquistador, ele viu o anjo e já queria arranjar uma briga. Isso não está correto, o exército não faz assim, ele espia, mas não arranja logo confusão.
E disse ele: Não, mas venho agora como príncipe do exército do Senhor. Então Josué se prostrou sobre o seu rosto, na terra, e o adorou, e disse-lhe: Que diz meu Senhor ao seu servo? (5:14)
A palavra príncipe quer dizer principal. Jesus é o Senhor dos Exércitos e essa confirmação nós vamos encontrar em todo o Velho Testamento.
No Salmo 24:7, o rei Davi diz: Levantai, ó portas, as vossas cabeças; levantai-vos, ó entradas eternas, e entrará o Rei da Glória. Quem é este Rei da Glória? O Senhor forte e poderoso, o Senhor poderoso na guerra. Levantai. Ó portas, as vossas cabeças; levantai-vos, ó entradas eternas, e entrará o Rei da Glória. Quem é este Rei da Glória? O Senhor dos Exércitos; ele é o Rei da Glória.
Quem está sempre na vanguarda? À frente nas lutas?

É o Senhor forte e poderoso na guerra, ele é o Rei da Glória, Jesus é o Rei da Glória.


Hoje a Igreja vive da revelação do Velho Testamento porque ele aponta exatamente para a figura gloriosa de Jesus.

Você conhece, no Novo Testamento, a figura maravilhosa de Jesus como o viandante, o caminhante, o peregrino, o galileu, o profeta de Nazaré, mas quando você pega o Velho Testamento, você vai ver a figura gloriosa da eternidade, o seu poder na eternidade revelado na terra, ao homem. No Velho Testamento Ele vive todas as situações dentro da sua glória, Ele não abandona a sua glória em nenhum momento no Velho Testamento, mas no Novo Testamento nós vemos que Ele desce da sua glória e desce como homem, frágil, alguém que é entregue aos soldados romanos sem se defender. Quem é que entende isso? Ao príncipe das trevas? Ao pior homem? Ao homem mais vil? Jesus trocado por Barrabás? Quem entende isso?


A mensagem de Jesus é composta dessas figuras, elas falam de alguém de uma estirpe nobre, da linhagem de Abraão, de Isaque, de Jacó. Ele é a pedra na qual Jacó apoiou a sua cabeça, não era como um travesseiro que fica moldado à mente do homem. Jacó deita a sua cabeça sobre a pedra e é ela que vai marcar a mente dele, é aquilo que o Senhor coloca na mente do homem.

Jesus é a pedra, a rocha. Jacó sentiu a sua presença ali e disse: Na verdade o Senhor está neste lugar; e eu não o sabia. Este não é outro lugar senão a casa de Deus; e esta é a porta dos céus. Então levantou-se Jacó pela manhã, de madrugada, e tomou a pedra que tinha posto por sua cabeceira, e a pôs por coluna, e derramou azeite em cima dela. E chamou o nome daquele lugar Betel... ( Gn. 28:16 a 19 )


Jacó derramou óleo (símbolo do Espírito Santo), sobre a pedra (símbolo de Jesus) e chamou aquele lugar de Betel, que quer dizer casa de Deus (o Pai). Ele viu a Trindade ali. Em todo o Velho Testamento nós vemos a Trindade, é sempre perfeição, é tudo em cima da figura de Jesus.
Há ocasiões que “dá um branco” na hora de entregar uma palavra. Abre para lá, para cá e não se descobre a figura de Jesus, aí começa a clamar, a interceder, o culto profético, e quando se vê, sai uma mensagem. Tem irmão que guarda aquela que ele gosta: A ovelhinha perdida. Não é revelação não, o pastor vai lá sempre porque a palavra nunca volta vazia, mas a palavra profética, a mensagem revelada, se não tiver um culto profético ao lado, com pessoas no espírito, não acontece nada porque o pastor sozinho, da cabeça dele, não tira mensagem não, ele deixa todo o mundo com fome, termina o culto, ele falou tudo e não disse nada e por quê?

Porque a revelação é parte de um projeto de Deus para todo instante. O reino é dinâmico, tudo o que é falado na revelação só tem um responsável, o Espírito Santo, portanto nós só temos que obedecer a Ele, do contrário não teremos as revelações, e de que adianta um povo cheio de revelações, mas desobediente? Não tem valor algum.


1.3) Como Juiz.
No Velho Testamento nós vemos que Jesus era rei, era responsável, era libertador, era Senhor dos Exércitos, era comandante e também era juiz.
Onde nós vamos encontrar a figura de Jesus como Juiz?
Está na destruição de Sodoma e Gomorra. Três anjos aparecem a Abraão e anunciam-lhe um juízo sobre aquelas cidades. Era a Trindade representando o poder. ( Gn.18 )
Está também em Salomão, quando ele julga a causa daquelas duas mulheres. Elas disputavam a mesma criança, cada uma reclamava para si a maternidade daquele menino, mas quando Salomão disse: Tragam uma espada e dividam em duas partes o menino vivo e dêem metade a uma e metade a outra, a verdadeira mãe renunciou e disse: Senhor, dê a ela o menino vivo, não o mate. (I Rs.3:16)

A impostora até gostou quando o rei deu esta ordem. Ela disse para a outra: Não seja nem teu, nem meu, é melhor dividir mesmo o menino.

Salomão fez ali um julgamento e pela reação daquelas mulheres, ele identificou quem era a verdadeira mãe e devolveu-lhe o filho, porque havia nele a sabedoria de Deus para fazer justiça.
Quando o indivíduo cai, ele quer levar uma porção consigo, ele faz questão que a criança morra, ele quer a morte da Obra, se não é para ele, não é para mais ninguém, ele não faz nenhuma questão, ele se revela contra a Obra, Olha, eu vou aos jornais, vou fazer e acontecer. Pode ir aonde quiser, mas sempre estará uma condenação em cima dele, na sua vida. Ele não ama a Obra porque quem ama a Obra, morre por ela, ele vai viver da fidelidade , ele não vai expor a Obra ao mundo, ele não vai falar mal da Obra por aí, nem dos servos do Senhor porque o homem de Deus não procede assim, o homem que ama essa Obra não age levianamente.

Quando Salomão levantou a espada, ele quis dizer o seguinte: Se é para criar confusão, se o problema é esse, pode dividir a criança e levar para casa, vai cuidar dela direitinho, mas atenção, o juízo está sobre você.

Não se brinca com a Obra, não se ameaça os servos de Deus, os servos dessa Obra, porque o juízo está em cima.
2) COMO PROFETA.
Onde está a figura de Jesus como profeta no Velho Testamento?
Está em Davi. O rei Davi profetizava. As grandes profecias a respeito do Messias são de Davi.

Também está em Salomão. O livro de Cantares é toda a profecia a respeito da Igreja e não há nada igual.


3) COMO SACERDOTE.
Onde está a figura de Jesus como sacerdote no Velho Testamento?
Está em Melquisedeque, rei de Salém. Ele é tipo do Senhor Jesus.
4) COMO HOMEM.
Onde está a figura de Jesus como homem no Velho Testamento?
Está em José. Ele foi a figura que tipificou Jesus como homem no Velho Testamento porque era um homem simples, sofrido, retirado da casa de seu pai Jacó que o amava profundamente, lançado na cova por seus irmãos, vendido para o Egito, preso injustamente, mas depois levantado como rei. Nós podemos considerar José como rei porque ele tinha toda a responsabilidade de um rei, ele dominou sobre todo Egito.
Nós também podemos considerar José como profeta porque foi ele que profetizou sobre a volta do povo de Israel para Canaã, quase 400 anos antes do Êxodo. Ele disse aos seus irmãos: Eu morro, mas Deus certamente vos visitará, e vos fará subir desta terra, para a terra que jurou a Abraão, a Isaque e a Jacó... e fareis transportar os meus ossos daqui. ( Gn. 50:24 e 25 )
Os ossos de José foram enterrados em Siquém, figura da ressurreição, na sua própria terra, na casa de seu pai. José vai morar em Nova Jerusalém, na Canaã celestial, que era a sua própria Canaã.
A figura de José, como profeta, na ceia.
Paulo diz o seguinte aos coríntios: Porque eu recebi do Senhor o que também vos ensinei: que o Senhor Jesus, na noite em que foi traído, tomou o pão, e, tendo dado graças, o partiu e disse: Tomai, comei; isto é o meu corpo que é partido por vós; fazei isto em memória de mim. Semelhantemente também, depois de cear, tomou o cálice, dizendo: Este cálice é o Novo Testamento no meu sangue; fazei isto, todas as vezes que beberdes, em memória de mim. Porque todas as vezes que comerdes este pão e beberdes este cálice, anunciais a morte do Senhor, até que venha. ( I Co. 11:23 a 26 )
Todas as vezes que nós ceamos, nós lembramos dessa promessa que o Senhor nos fez, a promessa de que Ele voltará e nos levará para cear com Ele na eternidade. O Senhor nos fez essa promessa, mesmo que Ele nunca tenha usado nenhum elemento material para nos deixar como símbolo.

José também fez o povo prometer que levaria os seus ossos para serem enterrados em Canaã, sua terra. Ele disse: Eu morro, mas a Obra continua no espírito. Eu morro, mas vocês preservarão os meus ossos ( os seus ossos não serão quebrados ) para que no dia em que vocês possuírem a terra, eu também esteja lá em Canaã.


Nós também somos peregrinos e sempre que tomamos a ceia do Senhor, rememoramos, lembramos dessa promessa, de que o Senhor vai-nos salvar deste mundo e nos levar para Canaã celestial.

Essa é a figura de Jesus na pessoa de José.


Agora vamos ver a figura de José na pessoa de Jesus.

4.1) Como Homem.
José era um homem incompreendido, desprezado, foi vendido, foi preso, mas chora ao reconhecer seus irmãos que lhe fizeram tanto mal.

Jesus também sofreu por nós, Ele chorou por nós, Ele morreu por nós.


4.2) Como Rei.
José era responsável por todo Egito, a ele cabia suprir as necessidades daquele povo, ele alimentava a todos que se achegavam ao reino.

Jesus supre todas as necessidades, Ele é o nosso alimento, Ele é o pão da vida.


4.3) Como Sacerdote.
José intercedia pelos seus irmãos.

Jesus ainda intercede por nós, ao Pai.


4.4) Como Profeta.
José profetizou sobre o êxodo de Israel.

Jesus é a Profecia e por isso nós sabemos que iremos morar na Canaã celestial.


JESUS NO NOVO TESTAMENTO.
No Novo Testamento nós também vamos encontrar a figura de Jesus, especialmente nos evangelhos, que identificam o Senhor Jesus como rei, como profeta, como sacerdote e como homem.
COMO REI:
O livro de Mateus mostra o Senhor Jesus como rei. Podemos abrir em qualquer texto deste livro e veremos Jesus como rei.

Exemplo: Então Jesus foi conduzido pelo Espírito ao deserto para ser tentado pelo diabo. (Mt. 4:1)


Este texto que foi lido está relacionado com um rei verdadeiro porque quando o adversário tenta Jesus no deserto, o que ele queria era o reino de Jesus, mas o reino do Senhor não é o reino que o adversário pregava, o reino de Jesus é um reino diferente, único, ímpar, singular.
Quais são as características do reino de Jesus?
1) O reino de Jesus não é deste mundo.
Novamente o transportou o diabo a um monte muito alto e mostrou-lhe todos os reinos do mundo e a glória deles. ( Mt. 4:8 )
O que o adversário ofereceu a Jesus no deserto?

Ele ofereceu pão, o mesmo pão que ele oferece ainda hoje, o pão da padaria, o pão que perece.

Quem passa ali no deserto, onde está o monte da tentação, vai ver uma coisa interessante. O tentador disse: Manda que estas pedras se tornem em pães. ( Mt. 4:3 )

Por que as pedras?

Porque as pedras daquele lugar são achatadas, redondas e grandes, elas não são seixos, não são pedras pequenas, elas são grandes, semelhantes ao pão árabe, por isso ele mostrou as pedras, exatamente porque elas têm o formato de um pão.


2) O reino de Jesus não é para os vaidosos.
E amam os primeiros lugares nas ceias e as primeiras cadeiras nas sinagogas, e as saudações nas praças, e o serem chamados pelos homens: Rabi, Rabi ( Mt. 23:6 e 7 )
O adversário tentou a Jesus no deserto para desviar o sentido do reino, ele pensou que iria fazer com Jesus o mesmo que ele faz com a carne do homem, ele coloca a vaidade e o homem aceita.
3) O reino de Jesus é de ensino.
E aconteceu que, acabando Jesus de dar instruções aos seus doze discípulos, partiu dali a ensinar e a pregar nas cidades deles. ( Mt. 11:1 )
O reino de Jesus é um reino de ensino, onde as pessoas que fazem parte dele têm que estar sendo instruídas, ensinadas pelo Mestre. O trabalho dele era ensinar e continua sendo. Se for um reino que não é de ensino, não é de pregar, então não é o reino de Jesus.
4) O reino de Jesus é dinâmico.
E aconteceu que, acabando Jesus de dar instruções aos seus doze discípulos, partiu dali a ensinar e a pregar nas cidades deles. ( Mt. 11:1 )
Vemos que Jesus estava com seus discípulos e depois partiu para outras cidades para ensinar e pregar. Este é o reino onde a cada dia Deus tem algo para realizar, é a sua obra, um plano aqui, outro ali, não há desperdício de tempo, tudo é dinâmico, nada pára porque o Senhor Jesus nunca esteve parado, Ele não tinha onde reclinar a sua cabeça, e ainda hoje Ele continua trabalhando, Ele está sempre realizando alguma coisa.
5) O reino de Jesus é para os humildes.
E disse Jesus: As raposas têm covis, e as aves do céu têm ninhos, mas o Filho do homem não tem onde reclinar a cabeça. ( Mt. 8:20 )
O reino de Jesus é um reino para os humildes, onde o rei está abaixo de todos, Ele não está procurando um lugar especial para apresentar-se. Esse reino não tem e nem precisa de aparência, o rei não precisa estar num palácio, Ele pode não ter onde reclinar a sua cabeça porque este é um reino espiritual, por isso não necessita de aparência. Olha, está chegando o rei! Vai correndo, onde estão os soldados? E os batedores? Soltem os foguetes.
6) O reino de Jesus é profético.
E quando Jesus ia saindo do templo, aproximaram-se dele os seus discípulos para lhe mostrarem a estrutura do templo. ( Mt. 24:1 )
É um reino profético, é um reino em que o rei não está preocupado com aquilo que preocupa as pessoas.

De fato, a construção de Salomão era algo notável, era uma das maravilhas da época e por isso os discípulos queriam mostrá-la a Jesus: Senhor, está vendo que coisa linda? Mas o que foi que o Senhor respondeu?

Ele disse: Não vedes tudo isto? Em verdade vos digo que não ficará aqui pedra sobre pedra que não seja derribada. ( Mt. 24:2 )

Essas estruturas não têm influência no reino, essas coisas não significam nada para o rei, esse prédio aqui como estrutura não tem importância, mas como o número de pessoas vai aumentando, é preciso ampliar para dar mais segurança e conforto, apenas isso.


7) O reino de Jesus é único, é ímpar, é singular.
O reino dos céus é semelhante ao fermento que uma mulher toma e introduz em três medidas de farinha, até que tudo esteja levedado. ( Mt. 13:33 )
Este reino não pode ser misturado com nada, não pode haver misturas neste reino.

Quando a mulher pega o fermento e o coloca nas três medidas de farinha, que é a Trindade, ela levedou toda a massa, estragou tudo. Essa mulher é tipo da Igreja Infiel, aquela que não tem direito ao reino, ela destruiu tudo porque o alimento não é o fermento, o alimento é o trigo. O fermento é ilusão, com ele o pão fica estofado, incha, mas não alimenta.


8) O reino de Jesus não é para glorificar o homem.
Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas obras e glorifiquem a vosso Pai, que está nos céus. ( Mt. 5:16 )
Neste reino, se começarem a dizer: Olha lá, que pastor abençoado, o pastor está perdido, porque neste reino, a glória não é para o homem, ninguém está fazendo nada aqui para satisfazer o homem, para agradar o homem.

A Igreja do Senhor está aqui, o corpo de Cristo está aqui, na alegria do Espírito, está recebendo a mensagem. Mas de onde veio a mensagem? Ela veio do Senhor, do Espírito Santo, Se não for do Espírito, que alegria os irmãos terão? Nenhuma, o que pode acontecer é ficarem entusiasmados com o homem, só isso.

Tem gente que consegue ficar falando por meia hora sem dizer rigorosamente nada e todo o mundo fica gostando: Viu só que cultura? E é Nabucodonosor, é Assurbanipal, é Assaradão, é um negócio para assar mesmo.
Creio que estes textos foram suficientes, todos descobriram Jesus como um corpo. Não tem mensagem hoje? Vai no evangelho de Mateus, você vai encontrar tudo sobre o reino, todas as parábolas estão lá.

Em Marcos e em Lucas também vamos encontrar algumas referências, mas é no evangelho de Mateus que Jesus é apresentado como Rei.


COMO HOMEM;
Quando Deus quis apresentar Jesus no Novo Testamento, qual dessas figuras Ele elegeu como a principal: a de rei, a de profeta, a de sacerdote ou a de homem? Com qual delas o Senhor Deus escolheu para caracterizar a pessoa de Jesus? Em qual figura Ele centralizou a pessoa de Jesus?

Foi na figura do homem. Todo o projeto de Deus foi apresentar Jesus, no Novo Testamento, como homem. Por quê?

Porque no Velho Testamento Ele é apresentado como rei, como profeta e como sacerdote. É claro que vamos encontrar Jesus no Velho Testamento também como homem, mas teremos alguma dificuldade para isso porque este é um projeto antecipado de Deus para mostrar Jesus à Igreja no Novo Testamento, esse projeto é em cima do homem Jesus.

Jesus, como homem, é a figura que soma, que incorpora todos os objetivos de Deus para o homem perfeito. Todas as figuras no Velho Testamento, tais como: Abraão, Isaque, Jacó, José, Davi, etc (naquilo em que não pecaram, naquilo em que não erraram), somadas, totalizam a pessoa de Jesus, o homem perfeito. Ele agrada a Deus e é por isso que a Igreja está firmada nele, porque a Igreja, como corpo de Cristo, é também perfeita.


Jesus é apresentado como o homem perfeito.
Em I Jo. 4:1 a 3 lemos: Amados, não creiais a todo o espírito, mas provai se os espíritos são de Deus.; porque já muitos falsos profetas se têm levantado no mundo. Nisto conhecereis o Espírito de Deus: todo o espírito que confessa que Jesus Cristo veio em carne é de Deus; e todo o espírito que não confessa que Jesus Cristo veio em carne, não é de Deus, mas este é o espírito do anti-cristo, do qual já ouvistes que há de vir, e eis que está já no mundo.
Isto é uma prova. Se a pessoa disser que Jesus veio em espírito, quem está falando ali é o adversário, mas se disser que Jesus veio em carne, trata-se de um filho de Deus porque a Palavra diz que todo aquele que confessar que Jesus veio em carne, é filho de Deus. Por quê?

Porque em carne é o homem Jesus, é a figura humana de Jesus. Deus quer que a Igreja veja Jesus como homem.

Se você descobre no Velho Testamento o homem Jesus, então você entendeu toda a revelação, você penetrou no mistério, porque Jesus homem é um mistério através do qual Deus vai falar diretamente ao seu povo.

No Velho testamento Deus falou através de figuras, mas nos últimos tempos Ele tem falado pelo seu Filho Jesus, Ele fala pelo Verbo ( No Princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. - Jo. 1:1 ). Jesus é o Verbo encarnado, nisto consiste o grande mistério que não foi revelado ao mundo, mas foi revelado para nós. É Jesus em nós, é aquilo que Paulo disse aos colossenses:...Cristo em vós, esperança da glória. (Cl. 1:27). É Jesus vivendo no meio do seu povo, na Igreja e é por isso que a Igreja, como corpo, tem a grande responsabilidade de fazer aquilo que o cabeça está mandando.

Imagine que a minha cabeça está mandando que eu pegue este vaso, mas eu decido chutá-lo em vez de pegá-lo. Mas que negócio é esse? O que nós teremos? Teremos dois cérebros funcionando no mesmo corpo?

Parece que sim, mas um deles está com a luz apagada e o outro está com a luz acesa; um está funcionando em obediência, normalmente, e o outro não, donde se conclui que eu não estou bom da cabeça, não é mesmo?

É por isso que é necessário o aperfeiçoamento da Igreja, a perfeição do corpo de Cristo, Ele se manifesta, há determinação do Espírito Santo. Toda a nossa preocupação está voltada para isso, não adianta inovar.

O Senhor quis mostrar no Novo Testamento, Deus encarnado, o Verbo, a Palavra como carne. É uma coisa notável, não dá para entender pela razão, é um mistério, algo maravilhoso, é Jesus, o homem, o homem Jesus.


Irmãos, para nós, a figura de Jesus está explícita no Velho Testamento, ela não está oculta e isso porque nós estamos aos pés do Senhor, buscando a resposta para o enigma. A Igreja Fiel está chorando para que o segredo seja revelado e o mistério seja conhecido nesta última hora, ao pôr-do-sol. É a profecia de Sansão.
Amém.


©bemvin.org 2016
enviar mensagem

    Página principal