Isto é a liberdade isto é a capoeira



Baixar 152,46 Kb.
Página1/2
Encontro23.01.2017
Tamanho152,46 Kb.
  1   2
História

Isto é a liberdade...



...isto é a capoeira 
Iêêê!... Toca o berimbau... Toca o pandeiro... Toca o atabaque, transmitindo arrepios de emoções e sensações. O aperto das mãos dá inicio a uma brincadeira corporal com movimentos arriscados cheia de mandinga e malícia, esquiva, defender do ataque surpresa e finalizar o jogo com a saudação dos camaradas… Esta é a herança deixada por essa dança negra que em tempos deu a liberdade aos escravos. Isto é a liberdade… Isto é a capoeira... Que sofreu e ainda sofre modificações pois uns defendem a sua tradição, outros só o papel de desporto ou simplesmente a arte marcial.

África...



...Brasil
África, a escravatura começa por volta de 1430 com a chegada dos portugueses. Estes provocavam e alimentavam ainda mais a rivalidade entre tribos africanas, provocando conflitos que resultavam em prisioneiros, depois, negociavam com traficantes negreiros para estes os comprarem. Numa altura em que já havia um enorme e desumano tráfico de escravos, Portugal descobre o Brasil e a sua colonização começa por volta de 1530. Começam então as grandes viagens dos navios negreiros de África rumo a terras brasileiras





Barcos com dor...

...mais dor lhes esperava!


Viajando sem qualquer espaço ou condições nos porões dos navios, uma grande parte de africanos morria por doenças e maus-tratos. Esta perda de liberdade provoca neles um sentimento de revolta e dor. À chegada eram sujeitos a leilão para os capatazes e senhores que escolhiam só os melhores.

Uns faziam tarefas domésticas, outros, trabalhos forçados. Os feitores davam a disciplina para garantir a produtividade dos escravos e estes, em troca recebiam pão, pano ou castigos por assassinar feitores e cometer suicídio e até mesmo por se reproduzirem. Sem qualquer atitude humana os escravos só podiam fazer o seu próprio cultivo fora de horas do trabalho.


Os feitores tinham a liberdade nas chibatas...

... os negros tinham a liberdade na Capoeira


Aos poucos a fuga era a única saída que tinham mas para isso havia os capitões-do-mato que de tudo fazia para os devolver ao cativeiro, e com pesados castigos, mas depressa eles fugiam, cada vez mais organizadas, no meio de uns rituais e cultos orixás, permaneciam disfarçado as danças ao som de atabaque de que resulta a capoeira. É da força física do trabalho escravizado e dos movimentos dessa dança que muitos dos escravos conseguem a sua liberdade.

Liberdade no quilombo...
Nas matas e já com a liberdade, os negros formavam quilombos onde viviam segundo as suas regras. Foram numerosas estas comunidades e chegaram a travar muitas lutas com escravocratas. O quilombo mais conhecido foi o de Palmares que depois de setenta anos de resistência foi destruído, mas a força desse povo permaneceu. Foi em Palmares que foi registada a capoeira pois esse povo vencia com a sua maneira de lutar e aos poucos foi-se tornando uma arma de defesa e ataque.

No caso da Capoeira trouxemos aqui algumas definições para análise do que significa essa manifestação cultural do nosso povo.

“Capoeira é mandinga de negro em ânsia de liberdade, seu princípio não tem método e seu fim é inconcebível ao mais sábio dos mestres.” Mestre Pastinha

...os múltiplos aspectos da capoeira...

...se manifesta consoante o contexto...

...como a água toma a forma do vaso...

...no treino é ginástica...

... Na festa é uma dança...

...na arte é coreografia...

...na tradição é folclore...

...na briga é luta...

...no perigo de vida é defesa pessoal...

...na vida é filosofia...

...na medicina é terapia...

...na educação é pedagogia...

...na infância é a brincadeira...

...na velhice é sabedoria...

...no exército é arte militar...

...no estresse é o alívio...

...para neurose o equilíbrio...



  1   2


©bemvin.org 2016
enviar mensagem

    Página principal