Inicialmente o aluno deveria demarcar historicamente o período



Baixar 7,49 Kb.
Encontro07.11.2018
Tamanho7,49 Kb.

  1. A primeira questão deve tratar da questão de como o crescimento da população nos países de alguma forma apresenta uma capacidade de aumentar a produção de alimentos ainda que esse aumento não seja o suficiente para gerar um excedente per capita que cresça persistentemente. Depois apresentar como se gera este crescimento persistente (crescimento intensivo) e sua CLARA relação com maiores investimentos, acumulação de capital e progresso técnico. Em termos históricos devem ser analisado os períodos de não divergência leve divergência e forte divergência (a partir de 1820 ) a luz desses conceitos, não se esquecendo de mencionar a questão da DESINDUSTRIALIZAÇÂO principalmente na Índia. O aluo deveria ainda mencionar o impacto do crescimento intensivo sobre os padrões de vida (queda da mortalidade infantil, elevação da sobrevida, saneamento, etc...)

  2. Inicialmente o aluno deveria demarcar historicamente o período. Dada a abordagem do curso esperava-se que esse longo período fosse analisado entre a suposta retomada do comércio mediterrâneo (século XI e a revolução industrial) mas na prova outras datações com alguma consistência, desde que explicadas foram aceitas. Quanto aos autores não bastava apresentar elementos das distintas abordagens. Era importante comentar mecanismos de causalidade. Quanto a Dobb era importante frisar que o sistema era instável do ponto de vista do confronto das forças internas, que a luta de entre senhores feudais e servos acabava por forçar os primeiros a usar parte do excedente em tal processo o que acelerava o fim do próprio sistema; que as cidades ofereciam um atrativo que atraiam os servos mas o elemento do conlfito dentre do feudo era mais importante, e que não ocorreu um sistema intermediário entre feudalismo e capitalismo; para Sweezy era importante destacar a importância das forças externas e que o sistema per se era estável apesar das tensões internas, incluindo a legião de miseráveis e “bandidos”; a mudança fundamental da produção para o mercado x produção de subsistência que diferencia Sweezy de Dobb; o papel de “atrator” das cidades como mais relevante que o de expulsão pelos conflitos intra feudos, e existência de um sistema intermediário mercantil nem feudal nem capitalista. Quanto a Brenner era fundamental destacar o papel da Peste Negra que na Inglaterra acabou por levar ao fim da servidão (ao contrário de outros países da Europa). A não divisão das terras em pequenas propriedades e uma certa convergência de interesse entre terratenentes e empresários rurais, ou seja reforçar a importância do surgimento do capitalismo rural. Em Allen também destacar o papel FUNDAMENTAL da Peste Negra ao elevar salários e fomentar o nascimento do Girl Power. O fim da servidão está relacionado a isso e o estabelecimento de uma economia de altos salários está no centro da revolução industrial. Destacar também o papel do cercamento de terras para o avanço das manufaturas têxteis

  3. Na “história” de Brener seria fundamental discutir o capitalismo rural como uma forma de apropriação de progresso técnico no campo. Essa apropriação era FUNDAMENTAL para que o arrendatário rural conseguisse ampliar sua lucratividade e assim aumentar sua capacidade de expandir seus negócios, aumentando escala num processo de causação cumulativa. O crescimento da renda do campo é que explica o crescimento da demanda pro bens industrializados mas Brenner não tem uma teoria da geração do progresso técnico industrial, per se. Allen tem uma teoria de progresso técnico baseado na adoção de tecnologias mais intensivas em capital dada a combinação de salários altos e custos de energia baixos. Essa combinação também tornava viável o gasto com pesquisa e progresso técnico. Allen também aborda os efeitos positivos de maior capacidade técnica e da recolução científica no século XVII. Allen destaca o papel do crescimento das cidade e do comércio como um demandante de carvão para calefação e assim das tecnologias relacionadas a extração deste mineral. NÃO HÁ um sentido de causação forte do progresso técnico industrial para a agricultura, mas a economia de altos salários incentivava aos yeoman a adotarem métodos mais eficientes. Allen argumenta que mesmo pequenos e médios produtores eram capazes de desenvolver métodos de produção agrícola mais eficientes.

  4. Para Brenner não havia uma relação determinística entre ciclos populacionais e economia. Na verdade era a ineficiência da produção feudal que fazia com que expansões populacionais tivessem como resultado uma restrição à oferta de alimentos. A Peste Negra favoreceu o desenvolvimento Inglês ao eliminar a servidão (dadas as condições sociais deste país) e estabelecer um sistema que permitiu um persistente progresso na produção agrícola. Allen trata de um check preventivo, ou o girl Power. Como a peste negra elevou os salários inclusive das mulheres estas passaram a controlar sua natalidade (principalmente pelo adiamento do casamento) e assim não permitindo que uma explosão demográfica prejudicasse a evolução positiva dos salários. Esse foi exatamente um ponto central na dinâmica tecnológica relacionada com a existência de salários elevados.


©bemvin.org 2016
enviar mensagem

    Página principal