Informativo do agronegocio sindicato rural de sorriso



Baixar 113,7 Kb.
Encontro16.06.2017
Tamanho113,7 Kb.

Sorriso, 16/06/17




INFORMATIVO DO AGRONEGOCIO

SINDICATO RURAL DE SORRISO
www.sindicatoruraldesorriso.com.br

E-mail: sindsorriso@famato.org.br
Fone/Fax (66) 3544-4205

AV. Marginal Esquerda, 1.415, Cx. Postal 192 - Bom Jesus

Sorriso-MT CEP: 78890-000

ANO 2011.

N.º 169.

13/09/2011.



Terça-Feira

Produtores de soja de MT pedem aportes em hidrovias
Apesar do bom momento da soja em termos de remuneração e produção, os produtores do nordeste de Mato Grosso, Estado líder na produção nacional do grão, apontam falta de investimentos do governo federal na infraestrutura para escoamento da commodity. A principal reivindicação é o investimento em hidrovias. Duas obras são consideradas fundamentais pela Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja): a dragagem e construção do terminal multimodal da hidrovia do Tocantins, em Marabá (PA), e o derrocamento do Pedral do Lorenço, próximo a Santa Terezinha do Taurí, em Itupiranga (PA). "A hidrovia representa menor custo de transporte e melhor remuneração ao produtor", diz o coordenador-executivo do Movimento Pró-Logística, Edeon Vaz. A organização reúne os setores rural, industrial e comercial de Mato Grosso. A redução estimada de custo do frete com a hidrovia do Tocantins é da ordem de 30%. A produção de soja da região chegou a 2,2 milhões toneladas em 2010, o equivalente a 10,8% do total colhido em todo o Estado (20,5 milhões de toneladas). Mas projeções indicam que o Nordeste mato-grossense deve produzir 3 milhões de toneladas até 2015. A viabilidade da produção na região, segundo Vaz, também passa pela conclusão da rodovia BR-158, que corta Mato Grosso, e a melhoria na BR-155, que faz fronteira com o Estado e dá acesso a Marabá. As obras da 158, segundo a Aprosoja, estão em ritmo lento. Iniciada em 2007, a conclusão estava prevista para 2010. Com atrasos em um dos trechos, o prazo final, à exceção do contorno da reserva indígena Marawatsede, foi adiado para 2012. "A Semenge, empreiteira responsável por 69 quilômetros, faliu. E as obras estão em ritmo lento", explica Edeon Vaz. Nos 288 km totais, segundo levantamento da Aprosoja, 76% da terraplenagem está concluída e 51% do revestimento já foi finalizado. A Aprosoja afirma que as obras da hidrovia do Tocantins foram retiradas do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), ou seja, deixaram de ser prioritárias para o governo federal. "Com a retirada, deixamos de investir no futuro do escoamento da região", diz Vaz. Procurado, o Ministério dos Transportes informou, por meio de sua assessoria, que as obras da hidrovia do Tocantins "estão em análise". Segundo pesquisa Custos Logísticos 2011, divulgada pelo Instituto de Logística e Supply Chain (Ilos), o setor de agronegócios gastou 13,3% de sua receita líquida com logística em 2010. Fonte: Valor Econômico

Mato Grosso exporta 55,1 mil toneladas de algodão em pluma em agosto, maior volume desde outubro de 2008

O Estado de Mato Grosso exportou no mês de agosto 55,1 mil toneladas de algodão em pluma, maior volume embarcado desde o mês de outubro de 2008, (66,4 mil toneladas da fibra), consequência da finalização da colheita e do alto volume de produto beneficiado pronto para venda externa. As exportações do mês de agosto representam 68,5% de todo o volume exportado no ano até agora. Os dados são da Secretaria de Comércio Exterior (Secex), órgão ligado ao Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio (MDIC). A receita recebida pelas exportações no mês de agosto totalizou US$ 114,8 milhões, 70,5% da receita total já recebida neste ano, que até agora somou US$ 162,7 milhões. O valor médio recebido pelo exportador foi de US$ 2.081,50 por tonelada. As informações contam no Boletim de Grãos e Fibra, publicado semanalmente pelo do IMEA - Instituto Mato-grossense de Economia Agrícola. Média diária de importações de algodão atinge US$ 2,621 milhões em setembro Resultado foi 0,7% superior à média diária de agosto, que chegou a US$ 2,603 milhões .A média diária de importações de algodão ficou em US$ 2,892 milhões na segunda semana de setembro (dias 05 a 11). No acumulado do mês, a média fica em US$ 2,621 milhões, resultado 0,7% superior à média diária de agosto, que chegou a US$ 2,603 milhões. Já na comparação com a média diária de setembro de 2010, de US$ 2,643 milhões, verificou-se uma baixa de 0,8%. As informações são da Secretaria de Comércio Exterior (Secex), órgão ligado ao Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio (MDIC).  Fonte: Agência Safras



Soja: BR 163-Um sonho começa a se tornar realidade

A ESTRADA PROMETIDA: No último final de semana (3 de setembro) a Rota da Integração, movimento composto por profissionais de várias áreas, rumou para Santarém, partindo de Cuiabá, com o intuito de visualizar as obras na rodovia BR-163. Essa importante rodovia terá a função de escoar a maior parte da produção das regiões oeste e norte de Mato Grosso e também parte da médio-norte, que a partir da rodovia e posteriormente da ferrovia, diminuirá a participação dos custos logísticos sobre as commodities agrícolas. O trajeto conta com 1.806 km de distância, dos quais, 608 km não estão pavimentados. Essa distância de “chão” encontra-se praticamente toda em obras, que teoricamente serão finalizadas até o final do próximo ano. Se confirmado todo o prazo, a logística mato-grossense terá uma mudança, para melhor, e fará com que muitos municípios pouco explorados possam assumir importância no mercado, tanto quanto as tradicionais Sorriso, Lucas do Rio Verde, Sinop, Sapezal, Campo Verde, Primavera do Leste e tantas outras que possuem uma logística que favorece o escoamento da agricultura. Fonte: Imea



Valores do milho fazem com que produtores antecipem a comercialização

COMERCIALIZAÇÃO ANTECIPADA: A comercialização antecipada do milho da safra 2011/12 está bastante avançada. Em algumas praças, esta comercialização equipara-se com a da soja. Por não haver histórico nos meses de julho e agosto (por esta comercialização normalmente iniciar em janeiro ou fevereiro), não há como fazer um comparativo de evolução. Esta antecipação deu-se pelo fato de o preço do milho futuro no mercado internacional (ditado pela Bolsa Mercantil de Chicago - CBOT/CME Group) ter atingido preços nunca antes vistos, chegando a alcançar 799,75 pontos/bushel (US$ 7,99/bushel, dia 10/06/2011). Esses preços altos são consequência das condições das lavouras dos Estados Unidos, pois estas estão sofrendo com estiagens, e cada estimativa de redução de produção aumenta mais ainda o preço, devido aos estoques norte-americanos estarem bastante apertados. No histórico dos preços de Chicago, o valor mais alto já registrado era de US$ 7,60/bushel, em 16 de junho de 2008, ano em que houve uma forte estimativa de quebra de safra nos Estados Unidos. Fonte: Imea.


Juristas examinam mudanças no Código Floresta
Os senadores das comissões de Constituição e Justiça (CCJ), de Meio Ambiente (CMA), de Ciência e Tecnologia (CCT) e de Agricultura (CRA) iniciaram, às 8h58, audiência pública com juristas para discutir o projeto de reforma do Código Florestal Entenda o assunto (PLC 30/2011). Participam do debate o ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ) Herman Benjamin; o ex-ministro da Defesa e ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Nelson Jobim; o subprocurador-geral da República Mário José Gisi; o advogado e doutor em Direito Ambiental Paulo Affonso Leme Machado; e Cristina Godoy de Araujo Freitas, promotora de Justiça do Ministério Público de São Paulo. Na quarta-feira (14) na CCJ, em reunião a partir das 10h, será examinado o relatório do senador Luiz Henrique (PMDB-SC) sobre o projeto. Na última reunião da comissão, o presidente, senador Eunício Oliveira (PMDB-CE), concedeu vista coletiva para que os colegas pudessem se aprofundar nas mudanças propostas pelo relator ao texto aprovado pela Câmara no primeiro semestre. Uma das mudanças refere-se à competência legislativa sobre assuntos relativos ao meio ambiente. No entendimento do relator, essa competência deve ser "concorrente", conforme previsão constitucional. Com o argumento de que caberia à União apenas a definição de normas gerais e aos estados a definição de normas específicas, Luiz Henrique sugeriu alterações para explicitar os poderes dos estados e do Distrito Federal na questão. Ele propôs também a possibilidade de revisão de áreas de proteção permanente (APPs) em caso de construção de estádios de futebol e infraestrutura para a Copa do Mundo de 2014 e para as Olimpíadas de 2016. As hipóteses integram a lista de atividades de utilidade pública que poderiam justificar o uso de APPs, que inclui também atividades, obras e ações a serem definidas por ato do presidente da República ou dos governadores. Na quinta-feira (15), CMA, CRA e CCT realizarão outra audiência conjunta sobre o tema, com foco em aspectos econômicos das mudanças no código. Fonte: Agência Senado.
FECHAMENTO CBOT/BUSHEL/SOJA

CONTRATO

ATUAL

*DIF.

Setembro

1381 ¼

-6 ¼

Novembro

1391 ¾

-4 ¼

Janeiro/12

1402 ½

-3 ¾

Março/12

1409 ½

-3 ½

Maio/12

1412 ¾

-3 ¼

Julho/12

1419 ½

-2 ½

PRÊMIOS/SOJA (CENTS/BUSHEL) PARANAGUÁ

Imediato

Set

Set/Out

Out

Nov

32 48

32 48

32 48

32 40

32 40



DÓLAR COMERCIAL

DIF.

R$ 1,713

0,2%

COTAÇÃO DE GRÃOS EM SORRISO

SOJA

DISPONÍVEL CONVENCIONAL

R$ 41,50

BALCÃO

R$ 39,00

MILHO

DISPONÍVEL

R$ 20,00

BALCÃO

R$ 17,10

ARROZ – BALCÃO

R$ 27,00

ALGODÃO

EM PLUMA @ DISPONÍVEL

R$ 55,00

CAROÇO DO ALGODÃO TON.

R$ 255,00

SUINO – CONFINADO / QUILO

R$ 1,95




- -


©bemvin.org 2016
enviar mensagem

    Página principal