Fibria celulose s. A



Baixar 2,36 Mb.
Página2/8
Encontro13.09.2018
Tamanho2,36 Mb.
1   2   3   4   5   6   7   8



  1. Documentação para Participação em Assembleia

O acionista pessoa física pode ser representado na assembleia geral por procurador constituído há menos de um ano, que seja acionista, administrador da Companhia, advogado ou instituição financeira, cabendo ao administrador dos fundos de investimento representar os condôminos, conforme exigido pelo §1º do artigo 126 da Lei nº 6.404/76 (“Lei das S.A.”).


Em observância à decisão ao Processo CVM nº RJ2014/3578, a exigência de que o procurador seja acionista, administrador da Companhia, advogado ou instituição financeira é válida apenas para o acionista pessoa física. Para representação de acionista pessoa jurídica, será aplicada a regra geral de representação do Código Civil Brasileiro (Lei nº 10.406/02). Dessa forma, quaisquer procuradores devidamente constituídos de acordo com a lei e com os estatutos ou contratos sociais das respectivas pessoas jurídicas podem participar da Assembleia Geral ainda que não sejam acionistas, administradores ou advogados.
Os procuradores e os representantes de acionistas poderão participar das assembleias gerais desde que tenham depositado, na sede social, até três dias úteis antes da data marcada para a realização da assembleia geral, os respectivos instrumentos de mandato e de representação. Os documentos deverão ser encaminhados aos cuidados do Departamento Jurídico da Companhia, localizado na Rua Fidêncio Ramos, nº 302, 3º e 4º (parte) andares, Torre B, Edifício Vila Olímpia Corporate, Bairro Vila Olímpia, CEP 04551-010. Caso o acionista não tenha depositado antecipadamente os instrumentos de mandato e de representação conforme mencionado acima, ele poderá participar da Assembleia Geral, desde que compareça munido com os originais dos documentos comprobatórios de seus poderes.
A Companhia exige que as procurações para representação na Assembleia Geral contenham a indicação do lugar onde foram passadas, a qualificação completa do outorgante e do outorgado, a data e o objetivo da outorga com a designação e a extensão dos poderes conferidos, contendo o reconhecimento da firma dos respectivos outorgantes.
Documentos dos acionistas expedidos no exterior que sejam oriundos de países signatários da Convenção da Apostila, devem passar pela aposição de apostila na forma da regulamentação específica e documentos dos acionistas expedidos no exterior que sejam oriundos de países não signatários da Convenção da Apostila devem conter reconhecimento das assinaturas por Tabelião ou Notário Público e passar pela legalização em Consulado Brasileiro. Em ambas as situações os documentos deverão ser traduzidos por tradutor juramentado matriculado na Junta Comercial e registrados no Registro de Títulos e Documentos, nos termos da legislação então em vigor.
A Companhia não admite procurações outorgadas por meio eletrônico.
Além disso, como prática adotada nos últimos exercícios sociais, a Companhia recomenda aos acionistas, ou a seus representantes legais ou procuradores, conforme o caso, que depositem, na sede social da Companhia, com antecedência de 3 (três) dias úteis antes da data da realização da Assembleia Geral, os seguintes documentos:
(i) Acionistas Pessoas Físicas:
(a) cópia autenticada de documento de identificação com foto (RG, RNE, CNH ou, ainda, carteiras de classe profissional oficialmente reconhecidas); e
(b) comprovante da titularidade, devidamente atualizado, expedido por instituição financeira escrituradora das ações da Companhia e/ou por agente de custódia; e
(ii) Acionistas Pessoas Jurídicas:
(a) cópia autenticada do último estatuto ou contrato social consolidado;
(b) cópia autenticada da documentação societária outorgando poderes de representação (ata de eleição do(s) diretor(es) que comparecerem à assembleia e/ou que outorgarem procuração para tanto);
(c) documento original de identificação com foto do(s) representante(s) legal(is); e
(d) comprovante da titularidade das ações de emissão da Companhia, devidamente atualizado, expedido por instituição financeira escrituradora das ações da Companhia e/ou por agente de custódia; e
(iii) Fundos de Investimento:
(a) cópia simples do último regulamento consolidado do fundo, devidamente registrado no órgão competente;
(b) cópia autenticada do último estatuto ou contrato social consolidado e da documentação societária outorgando poderes de representação (ata de eleição do(s) diretor(es) que comparecerem à assembleia e/ou que outorgarem procuração para tanto) do administrador e/ou gestor do fundo (dependendo da pessoa autorizada a comparecer e votar em assembleias gerais relacionadas aos ativos detidos pelo fundo);
(c) documento original de identificação com foto do(s) representante(s) legal(is); e
(d) comprovante da titularidade das ações de emissão da Companhia, devidamente atualizado, expedido por instituição financeira escrituradora das ações da Companhia e/ou por agente de custódia.


  1. AS CONTAS DOS ADMINISTRADORES, O RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO E AS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS DA COMPANHIA, ACOMPANHADAS DO RELATÓRIO DOS AUDITORES INDEPENDENTES RELATIVOS AO EXERCÍCIO FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2017

As demonstrações financeiras e o relatório da administração da Companhia foram elaborados pela Diretoria da Companhia, auditados pelos auditores independentes BDO RCS Auditores Independentes S/S, e aprovados pelo Conselho de Administração da Companhia em reunião realizada em 29 de janeiro de 2018, sendo que referidos documentos foram publicados no Valor Econômico e no Diário Oficial do Estado de São Paulo em edição de 29 de janeiro de 2018.


O Conselho Fiscal emitiu seu parecer e o Comitê de Auditoria Estatutário emitiu seu relatório, ambos em 29 de janeiro de 2018, opinando favoravelmente pelo encaminhamento dos referidos documentos para aprovação da Assembleia Geral, conforme cópias constantes no Anexo II à presente Proposta.
1   2   3   4   5   6   7   8


©bemvin.org 2016
enviar mensagem

    Página principal