Especificações Técnicas – Motobombas Flutuantes generalidades



Baixar 385,63 Kb.
Encontro11.12.2017
Tamanho385,63 Kb.


Fls.: _________________

Proc.: 59560.000572/2015-81


_____________________

6ª GRI/UGE






Especificações Técnicas – Motobombas Flutuantes


  1. GENERALIDADES


  • Estas Especificações Técnicas apresentam os requisitos técnicos mínimos a serem aplicados ao fornecimento e instalações, o qual incluirá o detalhamento de fabricação, inspeção, ensaios, embalagens, transportes, descarga das tubulações e equipamentos tais como flutuantes, painéis elétricos, cabos elétricos e acessórios para os Perímetros de Irrigação de Maniçoba e Curaçá, no Município de Juazeiro e Perímetro de Pedra Branca, incluso entre os Municípios de Abaré e Curaçá, todos situados no Estado da Bahia.

  • Estas Especificações Técnicas não pretendem descrever detalhadamente cada aspecto do fornecimento e serviço. Os eventuais aspectos não abordados deverão ser considerados pela contratada que empregará no seu fornecimento a melhor técnica atualmente disponível.

  • As motobombas, tubulações de recalque e acessórios aqui especificados deverão operar satisfatoriamente, ter um tempo de vida adequado à sua finalidade e ser de fácil inspeção e manutenção.

  • A contratada será responsável pelo fornecimento coordenado, completo e adequado conforme os requisitos destas Especificações Técnicas.

  • O Perímetro Irrigado Maniçoba, localiza-se na região rural do Município de Juazeiro - BA, distante aproximadamente 40 km da cidade de Juazeiro – BA, com acesso pela BA 210.


  1. OBJETIVO


  • Definir as diretrizes para a contratação de empresa prestadora de serviços técnicos de engenharia para contratação de empresa para o transporte, carga, descarga, fornecimento de equipamentos e materiais, instalação, montagem e testes operacionais do sistema de bombeamento auxiliar por flutuantes, visando rebombeamento de água para alimentação dos poços de sucção das EB’s dos Perímetros de Irrigação de Maniçoba (Juazeiro-Ba), Curaçá I e II (Juazeiro-ba) e Pedra Branca (Curaçá/Abaré-Ba)


  1. NORMAS TÉCNICAS


O fornecimento dos equipamentos deverá atender os critérios de sustentabilidade, bem como as últimas edições das normas e códigos nacionais e internacionais existentes e aplicáveis ao referido escopo.

Todos os equipamentos, objeto deste fornecimento, deverão ser projetados, construídos e ensaiados de acordo com as últimas revisões das normas emitidas pelas seguintes entidades:



  • ABNT- Associação Brasileira de Normas Técnicas;

  • ANSI - American National Standards Institute;

  • ASTM - American Society for Testing and Materials;

  • ASME - American Society of Mechanical Engineers;

  • AWS - American Welding Society;

  • AWWA - American Water Works Association;

  • CECT - Comite Europeen de la Chaudronnerie et de la Tolerie;

  • DIN - Deutsche Institute for Normung;

  • IEC - International Electrotechnical Commission;

  • IEEE- Institute of Electrical and Electronic Engineers;

  • NEMA - National Electric Manufacturers Association;

  • SHF- Societé Hydrotechnique de France;

  • AISI- American Iron and Steel Institute;

  • ISO- Internacional Standards Organization

  • Normas Regulamentadoras do Ministério do Trabalho.

O FORNECEDOR, mediante prévia aprovação da CONTRATANTE, poderá adotar outras normas aplicáveis às diversas partes do fornecimento.

  1. CAPACITAÇÃO TÉCNICA


  • A licitante deverá apresentar acervo técnico, registrado no CREA – Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura, em que comprova os fornecimentos e serviços similares aos especificados neste Edital.

  • A licitante deverá apresentar documentos emitidos e/ou devidamente registrados, que comprovem:

    • Registro de atribuição na área de engenharia mecânica e/ou elétrica ou formação em eletromecânica;

    • Ser cadastrada e habilitada junto ao CREA para execução dos serviços.

  • Deverá(ão) constar no(s) atestado(s) ou da(s) certidão(ões) expedida(s) pelo CREA, em destaque, os seguintes dados: local de execução, nome do contratante e da pessoa jurídica contratada, nome(s) do(s) responsável(is) técnicos(s), seu(s) título(s) profissional(is) e número(s) de registro(s) no CREA; descrição técnicas sucinta indicando os serviços e quantitativos executados e o prazo final de execução.

  • A licitante deverá apresentar em seu quadro permanente, na data prevista para entrega da proposta, um responsável técnico, para coordenar e responsabilizar-se tecnicamente pelos serviços executados, detentor de Atestado de Capacidade Técnica, fornecidos por pessoas jurídicas de direito público ou privado, registrado no CREA, acompanhado(s) da(s) respectiva(s) Certidão (ões) de Acervo Técnico – CAT, expedida(s) por estes Conselhos, de modo que possa comprovar a sua capacitação técnico-profissional, comprovando ter executado serviços similares ao objeto deste edital.

  • A licitante deverá comprovar que o profissional habilitado pertence ao seu quadro permanente, através das juntadas de cópias: de "ficha ou livro de registro de empregados" ou carteira de trabalho e previdência social; do contrato social ou ato constitutivo; ou, ainda, do contrato de prestação de serviço, celebrado de acordo com a legislação civil comum; ou declaração de contratação futura do profissional responsável, acompanhada da anuência deste, e se está indicado para coordenar os serviços, objeto deste termo de referência.

  • No caso de duas ou mais licitantes apresentarem atestados de um mesmo profissional como responsável técnico, como comprovação de qualificação técnica ambas serão inabilitadas, não cabendo qualquer alegação ou recurso.



  1. APRESENTAÇÃO DOS DOCUMENTOS


  • Todos os documentos deverão ser apresentados em meio digital e impresso, na língua portuguesa e fornecidos juntamente com toda a documentação técnica.

  • Deverão ser apresentados em 3 (três) cópias em papel sulfite encadernadas com e 1 CD-ROM (ou DVD-ROM), contendo os arquivos elaborados em programas editáveis, além de todos os documentos compilados em ordem lógica em um arquivo não editável com extensão em PDF. Nesses arquivos deverão conter no mínimo: desenhos de corte dos equipamentos, contendo listas dos componentes e os respectivos materiais; catálogos técnicos dos componentes instalados; relatórios de testes de fábrica; manuais de instrução, montagem, operação e manutenção dos equipamentos.

  • Os documentos serão executados, utilizando-se os softwares:

  • Desenhos: AUTOCAD 2006 ou programa similar com extensão DWG;

  • Documentos e listas: WORD 2003 ou posterior;

  • Plantas e cronogramas: EXCEL 2003 ou posterior.


  1. UNIDADES E IDIOMAS


  • As unidades adotadas em desenho, descrição e documentos técnicos relacionados com o equipamento serão as do Sistema Métrico normatizado no Quadro na Unidade Legal do Brasil, salvo nos casos usuais de diâmetro de eixos e de seus acessórios. Quando esse material for de fabricação regida pelas normas ANSI ou dimensões de perfis e espessura de chapa de aço, para os quais poder-se á utilizar o inglês.

  • A descrição técnica, desenhos, catálogos, literatura e todos os demais dados suplementares deverão estar em Português, inclusive os catálogos de componentes importados.


  1. GARANTIAS


  • A contratada deverá assegurar garantia pelos equipamentos fornecidos, objeto desses termos de referência, por um período de 12 (doze) meses. Esta garantia deve abranger todo e qualquer defeito oculto, projeto, fabricação, componentes e desenhos de equipamentos, quando submetidos a uso e conservações normais.

  • O prazo de 12 (doze) meses de garantia dos equipamentos é contado a partir da data de término da instalação, ou de 24 (vinte e quatro) meses, a contar da data de entrega no local de instalação, prevalecendo o evento que ocorrer primeiro. O prazo de garantia dos serviços e materiais é contado a partir da homologação do Termo de Encerramento Físico do Contrato.


  1. VISITA TÉCNICA


  • Às licitantes recomenda-se visitar os locais onde serão fornecidos os equipamentos, visando identificar o grau de dificuldade a ser encontrado. Para assim, ter pleno conhecimento das condições e peculiaridades inerentes à natureza do fornecimento, avaliando os problemas futuros de modo que os custos propostos cubram quaisquer dificuldades decorrentes de sua execução, e obter, sob sua exclusiva responsabilidade, todas as informações que possam ser necessárias à elaboração da proposta e execução do contrato.

  • É de inteira responsabilidade da licitante a verificação “in loco” das dificuldades e dimensionamento dos dados à apresentação da proposta. A não verificação dessas dificuldades e dados, não poderá ser avocada no desenrolar dos trabalhos, como fonte de alteração dos termos contratuais que venham a ser estabelecidos.

  • As licitantes deverão analisar e identificar todas as especificações e medidas das bases e eixos das bombas e motores existentes.


  1. FISCALIZAÇÃO


  • A coordenação do contrato, bem como a Fiscalização da execução dos serviços será realizada pela CODEVASF, por técnicos designados na forma do Art. 67, da Lei 8.666/93.

  • A Fiscalização dos serviços será feita diretamente por uma equipe técnica que atuará sob a responsabilidade de um Coordenador formalmente designado na forma do Art. 67 da Lei nº 8.666/93, a quem compete verificar se a Contratada está executando os trabalhos, observando o contrato e os documentos que o integram.

  • A Fiscalização terá poderes para agir e decidir perante a Contratada, inclusive rejeitando serviços que estiverem em desacordo com o Contrato, com as Normas Técnicas da ABNT e com a melhor técnica consagrada pelo uso, obrigando-se desde já a Contratada a assegurar e facilitar o acesso da Fiscalização, aos serviços, e a todos os elementos que forem necessários ao desempenho de sua missão.

  • A Fiscalização terá plenos poderes para sustar qualquer serviço que não esteja sendo executado dentro dos termos do Contrato, dando conhecimento do fato à Área de Infraestrutura, responsável pela execução do contrato.

  • Cabe à Fiscalização verificar ocorrências de fatos para os quais haja sido estipulada qualquer penalidade contratual. A Fiscalização informará ao setor competente quanto ao fato, instruindo o seu relatório com os documentos necessários, e em caso de multa, a indicação do seu valor.

  • Das decisões da Fiscalização poderá a Contratada recorrer à Área de Irrigação, responsável pelo acompanhamento do contrato, no prazo de 10 (dez) dias úteis da respectiva comunicação. Os recursos relativos a multas serão feitos na forma prevista na respectiva cláusula.

  • A ação e/ou omissão, total ou parcial, da Fiscalização não eximirá a Contratada da integral responsabilidade pela execução do objeto deste contrato.



  1. RECEBIMENTO DEFINITIVO DOS SERVIÇOS


A Fiscalização fará as vistorias e se o fornecimento estiver de acordo com as descrições e efetivamente não tendo nenhuma observação a fazer, será lavrado o Termo de Encerramento Físico do contrato. Na hipótese da necessidade de correção, será estabelecido um prazo para que a contratada providencie as correções ou acertos apontados, após o que, estando a Fiscalização de acordo, será lavrado o Termo de Encerramento Físico, sendo que este deverá ser assinado por representante autorizado da contratada. O Recebimento definitivo do fornecimento após a sua execução e conclusão, obedecerá ao disposto nos Artigos 73, inciso II, da Lei nº 8.666/93 e alterações posteriores.
  1. DESCRIÇÕES TÉCNICAS – MOTOBOMBAS FLUTUANTES



LOTES: 01-MANIÇOBA, 03- CURAÇÁ I, 05 – CURAÇÁ II e 07- PEDRA BRANCA
    1. ESCOPO DO FORNECIMENTO E INSTALAÇÃO DOS MOTOBOMBAS FLUTUANTES


A contratada deverá, salvo onde especificado em contrário, prover todas as instalações, materiais, mão de obra, serviços, ferramentas, equipamentos e os demais serviços necessários ao fornecimento das motobombas, tubulações e acessórios relacionados no escopo de fornecimento.

Para o sistema das motobombas flutuantes, o fornecimento deverá incluir ainda:



  1. A fabricação e a montagem completa das peças na fábrica e na obra;

  2. Os materiais necessários à montagem na obra, incluindo os berços, reforços internos, juntas de papelão hidráulico, pinos, parafusos, arruelas, anéis, chumbadores, tirantes e todos os outros materiais necessários, com um acréscimo de 10% em relação à quantidade teórica necessária;

  3. A contratada deverá apresentar declaração de realização de testes e inspeções em fábrica;

  4. As embalagens e eventuais dispositivos necessários ao transporte de todo o fornecimento até o local da obra;

  5. O transporte, com seguro, desde a fábrica do FORNECEDOR até o canteiro da obra, incluindo a descarga neste local;

A contratada deverá, salvo onde especificado em contrário, prover todas as instalações, materiais, mão de obra, serviços, ferramentas, equipamentos e os demais serviços necessários ao fornecimento das motobombas, tubulações e acessórios relacionados no escopo de fornecimento.

Para o sistema das motobombas flutuantes, o fornecimento deverá incluir ainda:



  1. A fabricação e a montagem completa das peças na fábrica e na obra;

  2. Os materiais necessários à montagem na obra, incluindo os berços, reforços internos, juntas de papelão hidráulico, pinos, parafusos, arruelas, anéis, chumbadores, tirantes e todos os outros materiais necessários, com um acréscimo de 10% em relação à quantidade teórica necessária;

  3. A contratada deverá apresentar declaração de realização de testes e inspeções em fábrica;

  4. As embalagens e eventuais dispositivos necessários ao transporte de todo o fornecimento até o local da obra;

  5. O transporte, com seguro, desde a fábrica do FORNECEDOR até o canteiro da obra, incluindo a descarga neste local;

  6. Detalhamento para fabricação com lista de material detalhada, incluindo manual de montagem, “data book” e outros documentos técnicos de projeto, conforme requerido pela CONTRATANTE;

  7. Treinamento do pessoal responsável pelo funcionamento do equipamento;

  8. Placa de identificação em aço inoxidável;

  9. Deverá ser incluído no conjunto motobomba flutuante a fixação, evitando movimentos do conjunto (cordas ou cabos de aço para amarração do flutuante);

  10. Pintura de proteção e acabamento das bombas, bases e acessórios;

  11. Certificado de teste hidrostático;

  12. Certificado de teste de performance das bombas;

  13. Olhais para içamento em aço inoxidável;

  14. Âncoras para amarração dos flutuantes e cabos de aço;


    1. CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS PRINCIPAIS– MOTOBOMBAS FLUTUANTES


Dados das Instalações:

  • A água a ser bombeada é doce, bruta, com teores variáveis de material arenoso e matéria orgânica.

Dados do Projeto:

  1. Condições de Resistência:

  • As tubulações objeto destas Especificações deverão ser auto-portantes;

  1. Pressões

  • Máxima pressão interna de trabalho deverá ser considerada a sobrepressão referida à linha de centro do bocal da bomba em (MPa) conforme norma específica:

  1. Espessura Mínima

  • As peças circulares retas e curvas deverão ter as espessuras indicadas no projeto, as quais não são inferiores àquelas determinadas pela norma ABNT-NBR-10132 - ”Cálculo de Condutos Forçados”, e são no mínimo, 3/8’’ (9,5 mm).

  1. Efeitos Térmicos

  • Na determinação dos esforços decorrentes da variação térmica, deverão ser consideradas.

  1. Atritos

  • Conforme as prescrições da Norma ABNT-NBR-10132 - ”Cálculo de Condutos Forçados”.


    1. CARACTERÍSTICAS CONSTRUTIVAS – FLUTUANTES


Etapas de fornecimento

  • Levantamento de campo para reconhecimento das instalações existentes para avaliação e execução das obras;

  • Elaboração de Projeto Executivo para instalação de 04 (quatro) flutuantes com conjuntos motobombas, e seus acessórios;

  • Memorial descritivo com toda a filosofia e solução adotada;

  • Detalhes gerais de montagem;

  • Fornecimento dos equipamentos necessários, levantados no Projeto Executivo;

  • Ensaios e “start up” dos equipamentos;

  • Treinamento de equipe técnica para operação dos sistemas;

  • Entrega de manuais de operação e manutenção dos equipamentos e sistemas instalados.

Descrições técnicas dos equipamentos e acessórios

Projeto:

Elaboração de Projeto Executivo para instalação dos conjuntos de flutuantes e seus acessórios no Perímetro Irrigado em referência.



Conjunto Motobomba Flutuante:

Sistema completo de captação de água, do tipo motobomba monobloco ou vertical em flutuante, com as seguintes características:



  • Tipo de Bomba: vertical, ou axial, ou semiaxial, ou mista ou submersa;

  • Material do corpo da bomba: ferro fundido nodular;

  • Sistema de vedação: Selo mecânico;

  • Rotor: aço ASTM A743 CA6NM, ou equivalentes (bronze SAE 40, ABNTC 83600, aço inox, ferro fundido nodular...), em fundição de melhor qualidade (balanceado estática e dinamicamente / eletronicamente - Norma ISO 1940) ou similares;

  • Número de conjuntos motobombas por flutuante: 02 conjuntos motobombas ou 01 bomba de dupla sucção (com motores individualizados por sucção);

  • Vazão mínima e altura manométrica no ponto de operação por conjunto motobomba instalado no flutuante:

Grupo I: 3.000 m³/h x 7 m.c.a.

Grupo III: 2.250 m³/h x 7 m.c.a.

Grupo IV: 3.000 m³/h x 7 m.c.a.

Grupo VII: 3.000 m³/h x 7 m.c.a.



  • Observação: A estrutura flutuante abrigará dois conjuntos motobombas ou 01 bomba de dupla sucção (com motores individualizados por sucção), sendo que:

Grupo I: Totalizando 6000 m³/h por estrutura flutuante. Conforme indicado no Termo de Referência.

Grupo III: Totalizando 4500 m³/h por estrutura flutuante. Conforme indicado no Termo de Referência.

Grupo IV: Totalizando 6000 m³/h por estrutura flutuante. Conforme indicado no Termo de Referência.

Grupo VII: Totalizando 6000 m³/h por estrutura flutuante. Conforme indicado no Termo de Referência.



  • NPSHr: afogada;

  • Atendimento mínimo de critério de cavitação: NPSH disponível ≥ NPSH requerido + 1,0 m;

  • Regime de operação: contínuo pesado;

  • Eficiência mínima do conjunto motobomba (η): 72 %.

  • Tipo do motor: alto rendimento (categoria e isolação compatível com a aplicação objeto desta especificação);

  • Número de pólos: 6 a 8;

  • Rotação: ≤ 1200 rpm;

  • Potência requerida por motor: 125 CV;

  • Tensão de alimentação trifásica: 380/440 V.

  • Proteção mínima do motor: IPW 55.

  • Sistema de Proteção de Umidade;

  • Fator de serviço: 1,15.

  • A CONTRATADA deverá apresentar cópia certificada das curvas do desempenho da bomba ofertada, contendo no mínimo:

a) Velocidades de rotação (RPM), máxima e mínima;

b) Vazão x altura manométrica para cada rotação;

c) Diâmetro do rotor;

d) Rendimento;

e) BHP;

f) NPSH.

  • Deverão constar os limites de operação máximos e mínimos e os pontos mais relevantes tais como o ponto de melhor rendimento e o ponto de vazão nula (“shut-off”).

O flutuante deverá garantir a flutuabilidade e estanqueidade operacional, devidamente apropriado para instalação das motobombas.



Adutora

  • Tipo de material: de borracha mandrilhada, semi-flexível, DN 700;

  • Comprimento total: mínimo de 15 metros, para cada flutuante;

  • Classe de pressão: 45 PSI.

Painel Elétrico com Chave Soft Starter

  • Tensão de alimentação trifásica: 380 V;

  • Banco de capacitor automático;

  • Correção de fator de potência para o mínimo de 0,92;

  • Frequência nominal: 60 Hz

  • Para cada conjunto motobomba deverá ser fornecida uma chave de partida suave tipo softstarter.

Cabos Elétricos

  • Cabo elétrico unipolar com dupla isolação, do tipo sintenax, isolação anti-chama de 1 KV, bitola de 70 mm², para interligação dos motores aos painéis de proteção e comando (CCM);



Montagem dos equipamentos eletromecânicos

Refere-se aos serviços de montagem necessários para partida segura dos equipamentos.


    1. REQUISITOS GERAIS PARA O FORNECIMENTO – FLUTUANTES


Detalhamento para fabricação

O projeto de detalhamento para fabricação dos flutuantes e tubulações deverá compreender, mas não se limitar, às seguintes documentações:



  • Desenhos dos conjuntos e dos detalhes para fabricação, de todas as partes a serem fabricadas;

  • Listas detalhadas dos materiais;

  • Desenhos de montagem que se fizerem necessários à montagem na obra.

  • “Data book” completo do fornecimento.

Os desenhos deverão conter todas as informações necessárias à fabricação e à montagem.

Materiais

Os materiais a serem utilizados na fabricação e na montagem de obra deverão ser novos, de procedência comprovável, livres de imperfeições.



Tolerâncias de fabricação e de montagem

A fabricação e a montagem das tubulações e juntas deverão atender às tolerâncias dimensionais prescritas nas normas de projeto da AWS, da SHF e do CECT.



Inspeções e testes

Após a assinatura do contrato, e antes do início da fabricação, a contratada deverá submeter à aprovação da contratante um Programa de Inspeções e Testes aplicáveis ao fornecimento, englobando as etapas de fabricação e de montagem na Obra.

Caberá à contratada prover todas as instalações, materiais, mão-de-obra, instrumentos e equipamentos necessários à execução das inspeções e testes aplicáveis às diversas partes do fornecimento.

Deverão ser apresentados via certificados de testes e ensaios na fabricação dos materiais utilizados na fabricação e na montagem.



Identificação:

Deverão ser identificados todos os flutuantes com a logomarca da Codevasf.



Demais informações:

  • Todos os serviços deverão ser executados em conformidade com normas específicas e com a utilização dos equipamentos de proteção individual adequados.

  • Os condutores deverão ser instalados de tal forma que os isente de esforços mecânicos incompatíveis com a sua resistência ou com o seu isolamento;

  • As emendas e derivações deverão ser executadas de modo a assegurar resistência mecânica adequada e contato elétrico perfeito, utilizando‑se para tais conectores e acessórios adequados;

  • O condutor de aterramento deverá ser facilmente identificável em toda sua extensão, devendo ser devidamente protegido nos trechos onde possa vir a sofrer danificações mecânicas;

  • O condutor de aterramento deverá ser preso aos equipamentos por meios mecânicos, tais como braçadeiras, orelhas, conectores e semelhantes e nunca com dispositivos de solda a base de estanho, nem apresentar dispositivos de interrupção, tais como chaves, fusíveis, etc., ou ser descontínuo, utilizando carcaças metálicas como conexão;

  • Os condutores somente deverão ser lançados depois de estarem completamente concluídos todos os serviços de construção que possam vir a danificá‑los;

  • Somente poderão ser utilizados materiais de primeira qualidade, fornecidos por fabricantes idôneos, de reconhecido conceito no mercado e aprovados pela concessionária local;

  • Todas as instalações deverão ser executadas com esmero e bom acabamento, conforme recomenda a boa técnica.

  • A Contratada deverá utilizar pessoal experiente, bem como equipamentos, ferramentas e softwares adequados para a boa execução dos serviços.

  • A Contratada deverá colocar tantas frentes de serviços quantas forem necessárias para possibilitar a execução dos serviços no prazo contratual.

Roteiro de Execução dos Serviços:

A Contratada deverá apresentar um cronograma de fornecimento e execução dos serviços a Contratante, que será ser aprovado pela contratante.



  1. DESCRIÇÕES TÉCNICAS – INSTALAÇÕES ELÉTRICAS



(LOTES: 02-MANIÇOBA, 04-CURAÇÁI, 06-CURAÇÁII, 08-PEDRA BRANCA)




    1. ESCOPO DO FORNECIMENTO E INSTALAÇÃO – INST. ELÉTRICAS


A contratada deverá, salvo onde especificado em contrário, prover todas as instalações, materiais, mão de obra, serviços, ferramentas, equipamentos e os demais serviços necessários ao fornecimento dos painéis, infraestrutura e acessórios relacionados no escopo do fornecimento.

Para o fornecimento dos cubículos de média e baixa tensão, o fornecimento deverá incluir ainda:



  1. A fabricação e a montagem completa das peças na fábrica e na obra;

  2. Os materiais necessários à montagem na obra, incluindo os berços, reforços internos, pinos, parafusos, arruelas, anéis, chumbadores, tirantes e todos os outros materiais necessários, com um acréscimo de 10% em relação à quantidade teórica necessária;

  3. A contratada deverá apresentar declaração de realização de testes e inspeções em fábrica;

  4. As embalagens e eventuais dispositivos necessários ao transporte de todo o fornecimento até o local da obra;

  5. O transporte, com seguro, desde a fábrica do FORNECEDOR até o canteiro da obra, incluindo a descarga neste local;

  6. Detalhamento para fabricação com lista de material detalhada, incluindo manual de montagem, “data book” e outros documentos técnicos de projeto, conforme requerido pela CONTRATANTE;

  7. Treinamento do pessoal responsável pelo funcionamento do equipamento;

  8. Olhais para içamento em aço inoxidável;

  9. Elaboração de projeto executivo, contendo no mínimo as características e exigências contidas nestas especificações técnicas;

  10. A contratada deverá fornecer os cubículos completos, contendo as chaves seccionadoras, disjuntores, barramentos, e demais acessórios e equipamentos necessários para o perfeito funcionamento dos mesmos. Os equipamentos que tenham as mesmas características elétricas deverão ser intercambiáveis;

  11. Os painéis deverão ser fornecidos em embalagens de madeira padrão, com base tipo palet, e de acordo com o padrão de transporte rodoviário.

  12. Os cubículos/painéis deverão proporcionar a possibilidade de manutenção na parte frontal e traseira.

  13. Os cubículos/painéis deverão suprir os conectores do barramento de terra (com no mínimo #50mm²) e chumbadores na base.


    1. CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS PRINCIPAIS – INST. ELÉTRICAS


A contratada deverá apresentar, para a provação da fiscalização, o Projeto Executivo contendo os itens abaixo especificados:

  1. Diagrama unifilar e trifilar de força e controle, detalhes da interligação entre o barramento da subestação existente em 13.8 KV e o cubículo com disjuntor em 13.8 KV, transformadores de força, e o painel de comando dos motores – CCM;

  2. Interligação do barramento da subestação existente em 13.8 KV e o cubículo com disjuntor em 13.8 KV, a ser fornecido:

    • Detalhe da instalação, com a interligação dos cubículos.

    • Detalhe da montagem e pré disposição dos equipamentos.

  3. Interligação do secundário do transformador e o cubículo do disjuntor com o painel de comando dos motores:

    • Detalhe da instalação, com a interligação dos cubículos.

    • Detalhe da montagem e pré disposição dos equipamentos.

  4. Estudo da seletividade e coordenação das proteções da subestação e estação de bombeamento.

A contratada deverá realizar a instalação e montagem dos cubículos, subestações e interligações, conforme descrição:

  1. Montagem e instalação dos novos painéis:

    • Identificação do comprimento dos painéis a serem instalados, verificação dos cabos de interligação dos transformadores e dos motores aos novos painéis;

    • Montagem dos cubículos, disjuntores, barramento e componentes dos painéis;

    • Fixação dos painéis ao piso;

    • Reaperto geral do sistema de força dos painéis.

  1. Interligação dos cabos de força:

    • Instalação dos cabos de força dos painéis;

  1. Realizar testes e comissionar todo o sistema elétrico da subestação:

    • Transformadores de força;

    • Teste de relação de transformação;

    • Análise cromatográfica e fisioquímica do óleo isolante;

    • Teste de resistência de isolação;

    • Teste de resistência ôhmica dos grupos de bobinas;

    • Cubículos;

    • Teste de resistência de isolação;

    • Disjuntores e chaves seccionadoras.

    • Teste de sequencia de abertura e fechamento.


    1. CARACTERÍSTICAS CONSTRUTIVAS DOS CUBÍCULOS – INST. ELÉTRICAS


Etapas de fornecimento

  • Levantamento de campo para reconhecimento das instalações existentes para avaliação e execução das obras;

  • Elaboração de Projeto Executivo para instalação da subestação e painéis, e seus acessórios;

  • Memorial descritivo com toda a filosofia e solução adotada;

  • Detalhes gerais de montagem;

  • Fornecimento dos equipamentos necessários, levantados no Projeto Executivo;

  • Ensaios e “start up” dos equipamentos;

  • Treinamento de equipe técnica para operação dos sistemas;

  • Entrega de manuais de operação e manutenção dos equipamentos e sistemas instalados.

Descrições técnicas dos equipamentos, materiais e acessórios

  • As portas dos compartimentos serão formadas com chapas de espessura mínima de 2mm. As chapas de fechamento laterais dos cubículos serão fabricadas em chapa de espessura mínima de 2mm, formando uma composição final de 4mm em função da justaposição entre colunas.

    • Os demais fechamentos receberão chapa dobrada com espessura de 2mm;

  • As portas deverão ser pintadas na cor de acabamento epóxi pó Munsell N6,5 (espessura final de 70µm).

  • Atender a Norma Regulamentadora 10 - NR-10;

  • Os cubículos serão providos de portas frontais com fechaduras.

  • As dobradiças das portas serão em aço comum bicromatizadas.

  • Os parafusos para as junções dos barramentos serão em aço comum bicromatizados.

  • As chapas de aço para fechamento lateral, teto e separações internas serão totalmente aparafusadas na estrutura.

  • A fiação será feita com cabo de cobre isolado em PVC, antichama, classe 15 KV, temperatura máxima de 70 º C, na cor preta, com seção mínima de 1,5mm2 para os circuitos de comando em baixa tensão.

  • O Painel deverá possuir uma estrutura de perfis metálicos formando um conjunto rígido, indeformável e autosuportado.

  • O fundo do Painel deverá ter rigidez própria de modo a não ceder junto às canaletas.

  • Os fechamentos laterais deverão ser realizados por meio de chapas desmontáveis fixadas por parafusos.

  • Não será admitido o emprego de outros materiais para recobrimento, tais como chapas plásticas e similares.

  • Os cubículos devem ser fabricados para serem instalados em ambiente onde a temperatura possa variar de –5 a 40 ºC.

  • A corrente de crista máxima deverá ser de 2,5 vezes a corrente nominal de curto-circuito.

  • A identificação de fiação auxiliar deverá ser feita por meio de anilhas apropriadas, colocadas em ambas extremidades do condutor.

  • A identificação indicada nas anilhas deve coincidir com a identificação do terminal ou com a identificação do borne ao qual o condutor está conectado.

Tratamento e pintura

  • As chapas deverão ser submetidas a um tratamento químico, realizado em 3 etapas: desengraxe, decapagem e fosfatização a frio, garantindo assim uma perfeita aderência ao tratamento final, a galvanização.

  • A pintura das chapas deverá ser executada na cor cinza Munsell N6,5 e é aplicada nas portas e chapas laterais de fechamento do conjunto, demais chapas permaneceram na cor natural galvanizada.

Características elétricas dos barramentos

  • Os barramentos deverão ser parte predominante de ligação de potência dentro do painel. Os barramentos deverão ser em cobre eletrolítico NÚ a 99,8% e identificado por fitas nas extremidades, conforme segue: fase A – azul escuro; fase B – branco; fase C – violeta/marrom;

  • O Painel deverá possuir um barramento de terra, em cobre nu, em toda sua extensão montado na sua parte inferior, com identificação na cor verde.

  • Os parafusos para as junções dos barramentos deverão ser em aço comum bicromatizados.

  • Os barramentos deverão ser trifásicos, confeccionados em cobre eletrolítico.

  • Deverão resistir, sem deformação, aos esforços eletrodinâmicos resultantes de curto-circuito conforme indicado nestas especificações e/ou nos desenhos de referência.

  • As barras serão prateadas nos pontos de junções e conexões.

  • Todas as partes metálicas não condutoras da estrutura do quadro, como portas, chassis de equipamentos, entre outros deverão ser conectadas à barra de terra.

Características normais dos cubículos

  • Tipo de instalação: aplicação ao tempo

  • Grau de proteção externo do painel: IP-54

  • Grau de proteção interno do painel: IP-65.

  • Execução (ABNT-NBR 6979 IEC 298):

  • Cor de acabamento cinza – portas: MUNSELL N6,5.

  • Demais chaparias: cor natural da chapa galvanizada.

  • Classe de tensão: 15kV.

  • Tensão de serviço: 13,8kV (60 Hz).

  • Tensão para comando, sinalização e proteção através de fonte externa 125 Vcc

  • Tensão para iluminação do compartimento BT e desumidificadores através de fonte externa 220Vca.

  • Elevação de temperatura conforme ABNT/IEC (temperatura ambiente 40ºC) 65ºC.

Acessórios

Os Cubículos deverão possuir os seguintes acessórios:



  • Chumbadores;

  • Placas de identificação em acrílico: no mínimo de 3 mm de espessura, fundo preto e letras vazadas e na cor brancas, e com dimensões apropriadas ao número de letras;

  • Anilhas;

  • Bornes de comando;

  • Mini disjuntores para proteção do comando;

  • Termostato e resistência de aquecimento;

  • Placas de advertência, alertando ao perigo existente neste tipo de equipamento;


    1. REQUISITOS GERAIS PARA O FORNECIMENTO – INST. ELÉTRICAS


Testes, ensaios e inspeções

  • Os cubículos deverão ter executados ensaios de rotina conforme NBR 6979, os quais serão acompanhados na inspeção de fábrica. Para esses ensaios deverão ser apresentados relatórios emitidos por um laboratório oficial no Brasil ou exterior.

  • O fornecedor deverá permitir, em qualquer fase da fabricação, a presença de inspetores credenciados pela CODEVASF em suas instalações afim de verificar o andamento da fabricação e a qualidade dos materiais empregados.

  • O fornecedor deverá prover toda a instrumentação necessária para a execução dos ensaios.

  • A aprovação pelo inspetor não isenta o fabricante das responsabilidades e garantias definidas nestas especificações.

  • Após a assinatura do contrato, e antes do início da fabricação, a contratada deverá submeter à aprovação da contratante um Programa de Inspeções e Testes aplicáveis ao fornecimento, englobando as etapas de fabricação e de montagem na Obra.

  • Caberá à contratada prover todas as instalações, materiais, mão-de-obra, instrumentos e equipamentos necessários à execução das inspeções e testes aplicáveis às diversas partes do fornecimento.

  • Deverão ser apresentados via certificados de testes e ensaios na fabricação dos materiais utilizados na fabricação e na montagem.

Inspeção visual

Este item inclui as seguintes verificações:



  • Estado geral do painel.

  • Condições gerais de pintura.

  • Facilidade de manutenção.

  • Rigidez mecânica das fixações.

  • Quantidade e características dos componentes nos desenhos aprovados.

Testes funcionais e ligações

Este item inclui as seguintes verificações:



  • Testes mecânicos de verificação de funcionamento das portas, interlocks mecânicos, maçanetas, etc.

  • Verificação com megger do isolamento dos barramentos.

  • Fiação de comando, proteção e medição.

  • Testes de polaridade de TC´s e TP´s.

  • Testes de continuidade de fiação e verificação da identificação da fiação e bornes.

  • Testes de verificação de funcionamento elétrico e mecânico dos componentes e do Painel.

  • Testes de verificação de aterramento da estrutura, de TC´s e TP´s, carcaças de instrumentos.

Relatórios de Ensaio

Deverão ser apresentados os seguintes relatórios de ensaio:



  • Elevação de temperatura

  • Ensaio de Tipo

Vale salientar que, caso seja necessário, demais ensaios poderão ser requisitados, a critério da CODEVASF.

Documentos a serem fornecidos após a contratação

Para a apresentação da documentação técnica dos cubículos deverão ser atendidas as exigências contidas nos itens 05 e 06, destas Especificações Técnicas, bem como a apresentação dos seguintes documentos: desenhos de cortes; diagramas unifilares e trifilares de força e controle, com listas de componentes e os respectivos materiais; relatórios de testes de fabrica; relatórios de testes operacionais; catálogos técnicos dos componentes instalados; manuais de instrução, montagem, operação e manutenção dos equipamentos.



Demais informações:

  • Todos os serviços deverão ser executados em conformidade com normas específicas e com a utilização dos equipamentos de proteção individual adequados.

  • As emendas e derivações deverão ser executadas de modo a assegurar resistência mecânica adequada e contato elétrico perfeito, utilizando‑se para tais conectores e acessórios adequados;

  • Todas as instalações deverão ser executadas com esmero e bom acabamento, conforme recomenda a boa técnica.

  • A Contratada deverá utilizar pessoal experiente, bem como equipamentos, ferramentas e softwares adequados para a boa execução dos serviços.

  • A Contratada deverá colocar tantas frentes de serviços quantas forem necessárias para possibilitar a execução dos serviços no prazo contratual

Roteiro de Execução dos Serviços:

A Contratada deverá apresentar um cronograma de fornecimento e execução dos serviços a Contratante, que será ser aprovado pela contratante.


    1. EMBARQUE E TRANSPORTE – INST. ELÉTRICAS


  • Os custos oriundos com transporte, carga e descarga dos equipamentos serão de inteira responsabilidade da contratada, e esses deverão estar contemplados na proposta.

  • O meio de transporte e a embalagem dos equipamentos devem ocorrer em padrões de qualidade, que assegurem a integridade e qualidade dos mesmos.

  • As embalagens devem ser adequadas à proteção dos equipamentos, tendo em vista que estes podem ficar estocados até a montagem.

  • Todas as partes sujeitas à vibração ou pancadas, durante o transporte, deverão ser travadas ou suportadas de forma a evitar danos aos equipamentos.

  • Depois de acondicionadas para o embarque as unidades serão identificadas com o número do contrato.

  • O desembarque, montagem, instalação e testes operacionais dos painéis serão executados pela empresa contratada.



    1. DIAGRAMA UNIFILAR DA ESTAÇÃO DE BOMBEAMENTO EB-01 – PERÍMETRO DE IRRIGAÇÃO MANIÇOBA




    1. DIAGRAMA UNIFILAR DA ESTAÇÃO DE BOMBEAMENTO EB-01 – PERÍMETRO DE IRRIGAÇÃO CURAÇA




©bemvin.org 2016
enviar mensagem

    Página principal