Encarando Mentiras



Baixar 33,89 Kb.
Encontro21.09.2018
Tamanho33,89 Kb.
Encarando Mentiras

Autoria de Eldora Sichrovsky


Alguns meses atrás, iniciei o projeto de ler minha Bíblia de capa a capa. Esta aventura englobou estudar livros e passagens que nunca havia lido antes ou não havia lido na íntegra. Tem sido uma jornada gratificante e fascinante que já me proporcionou várias descobertas. É uma dessas descobertas que quero compartilhar aqui com vocês. Eu estava lendo o livro de Isaias, quando descobri, no capítulo 37, esta história incrível:

No décimo quarto ano do reinado de Ezequias, Senaqueribe, rei da Assíria, atacou todas as cidades fortificadas de Judá e se apossou delas. Então, de Laquis, o rei da Assíria enviou seu comandante com um grande exército a Jerusalém, ao rei Ezequias. O administrador do palácio, Eliaquim, o secretário Sebna e o arquivista real Joá, foram ao encontro dele.

E o comandante de campo falou: Digam a Ezequias: Assim diz o grande rei, o rei da Assíria: “Em que você está baseando essa sua confian­ça? Você diz que tem estratégia e força militar; mas não passam de palavras vãs. Em quem você confia, para rebelar-se contra mim? E se você me disser: “No Senhor, o nosso Deus, confia­mos”; não são dele os altos e os altares que Ezequias removeu, dizendo: “Vocês devem adorar... diante deste altar

Faça, agora, um acordo com ... o rei da Assíria: Eu lhe darei dois mil cavalos — se você puder pôr cavaleiros neles!... (P)ensa que vim atacar e destruir esta nação sem o Senhor? O próprio Senhor me mandou marchar contra esta nação e destruí-la.1

Eliaquim, Sebna, e Joá devem ter ficado bem desanimados ou ouvir esse discurso tão derrogatório e assustador. O rei Senaqueribe estava declarando que eles estavam derrotados, ameaçando destruir o resto do seu país e, o pior de tudo, ridicularizando sua fé em Deus. Numa tentativa desesperadora de preservar a moral já abalada do exército, eles pediram: “Por favor, fala com os teus servos em aramaico, pois entendemos essa língua. Não fales em hebraico, pois assim o povo que está sobre os muros entenderá”.

Em vez disso, o comandante, por assim dizer, esfregou suas feridas com sal, ao dizer:Pensam que o meu senhor mandou-me dizer estas coisas só a vocês e ao seu senhor, e não aos homens que estão sentados no muro? Pois, como vocês, eles terão que comer as próprias fezes e beber a própria urina!” E o comandante se pôs em pé e falou alto, em hebraico: Ouçam as palavras do... rei da Assíria! Não deixem que Ezequias os engane. Ele não poderá livrá-los! Não deixem Ezequias convencê-los a confiar no SENHOR, quando diz: “Certamente o SENHOR nos livrará; esta cidade não será entre­gue nas mãos do rei da Assíria”. “Não deixem que Ezequias os engane quando diz que o Senhor os livrará. Alguma vez o deus de qualquer nação livrou sua terra das mãos do rei da Assíria? Onde estão os deuses de Hamate e de Arpade? Onde estão os deuses de Sefarvaim? Eles livraram Samaria das minhas mãos? Quem dentre todos os deuses dessas nações conseguiu livrar a sua terra? Como então o SENHOR poderá livrar Jerusalém das minhas mãos?” 

Os homens sentados no muro se mantiveram em silêncio, como Ezequias os havia instruído a fazer, mas imaginem como devem ter ficado perturbados e alarmados. Devem ter sido tentados a achar que tudo estava perdido! Os três oficiais rasgaram suas vestes ao dar as notícias a Ezequias, pois naquela época e cultura, rasgar as vestes era sinal de grande tristeza. Ao ouvir esse relatório, Ezequias também rasgou suas vestes, vestiu-se de pano de saco e foi orar no templo. Depois, ele enviou mensageiros ao profeta Isaias para explicarem o problema em que estavam e pedirem que Deus não deixasse passar impune a insolência de Senaqueribe.

Isaias respondeu dizendo: Assim diz o Senhor: Não tenha medo das palavras que você ouviu, das blasfêmias que os servos do rei da Assíria falaram contra mim. Porei nele um espírito para que, quando ouvir uma certa notícia, volte à sua própria terra, e ali farei com que seja morto à espada.”2

Pouco depois, o comandante recebeu a notícia de que Senaqueribe havia partido de Laquis para lutar contra Libna, e foi apressadamente se juntar a ele para travar essa guerra. Enquanto estava em Libna, Senaqueribe, determinado a assegurar Ezequias e o povo de Judá que não havia esquecido da ameaça de destruí-los, enviou uma carta ameaçadora que começava assim: “Não deixe que o Deus no qual você confia o engane ... Com certeza você ouviu o que os reis da Assíria têm feito a todas as nações, e como as destruíram por completo. E você acha que se livrará?” Cheio de arrogância, Senaqueribe listou todos os deuses das outras nações que não conseguiram livrar seus povos das suas mãos e assegurou Ezequias que ele e o seu povo certamente teriam o mesmo destino.

Se eu fosse Ezequias, certamente teria ficado desesperada: “Senhor, eu achei que Senaqueribe ia ser morto como você prometeu. O que aconteceu?” Mas, por mais aflito que estivesse, Ezequias não duvidou de Deus. Ele foi direto para o templo, onde colocou a carta blasfemadora de Senaqueribe diante do Senhor e fez uma poderosa oração. Primeiro, reconheceu o poder soberano de Deus como Criador do universo e depois acrescentou que, apesar dos Assírios terem realmente destruído muitos países, os deuses desses países eram apenas deuses sem vida, de madeira e pedra. Ele suplicou que Deus interviesse para que todos soubessem que somente Ele era o Deus vivo e verdadeiro.

Em resposta, Deus mandou um anjo que massacrou 185 mil homens de Senaqueribe. Ao ouvir esse relatório, Senaqueribe, conforme a promessa verdadeira de Deus, fugiu de Israel aterrorizado. E quanto à parte de ser “morto à espada”? Vinte anos mais tarde, dois filhos de Senaqueribe o assassinaram quando ele estava adorando no templo do seu deus Nisroch.

Esta história me ensinou duas lições importantes:

Número 1: Não deixe o diabo persuadi-lo a desistir! Na Bíblia, Jesus diz que Satanás é “mentiroso e pai da mentira … pois não há verdade nele.”3 É interessante notar que o rei Senaqueribe nunca disparou uma única flecha contra o povo de Judá; sua arma eram suas palavras, as quais ele usava para desmoralizar e aterrorizar. Do mesmo jeito, grande parte do poder do diabo para nos desencorajar e fazer duvidar das promessas de Deus, do Seu poder e amor está nos pensamentos negativos e temor.

Você alguma vez decidiu fazer algo que acreditava que Deus queria que você fizesse, como, por exemplo, falar de Jesus a um amigo, mas teve que lutar contra muitas dúvidas? Pensamentos como “Você vai parecer um maluco!” e “Você não pode fazer isso!” O diabo muitas vezes luta de forma mais ferrenha para nos impedir de dar o primeiro passo, mas se você o der, Deus vai lhe dar o poder que precisa para a tarefa.

Ou, tal como aconteceu com Ezequias e o povo de Judá, você alguma vez pediu para Deus agir numa situação difícil mas, em vez dela melhorar, apenas ficou do mesmo jeito ou até pior? Nessas horas, é fácil dar ouvidos à voz sinistra que ecoa em sua cabeça, dizendo que Deus não escutou a sua oração, que Ele faz promessas falsas, que não está nem aí. Mas Deus muitas vezes permite que sejamos testados antes de recebermos a resposta ou a vitória. Se você se firmar na sua Palavra e continuar acreditando que Ele está no controle, e continuar fazendo o que lhe mostrou, no final vai triunfar. Como o rei \ezequias e seu povo, sairá dessa experiência com um fé mais forte porque enfrentou os desafios e constatou que Deus é verdadeiro.

Número 2: Apoie-se em Deus e deixe Ele lutar por você! Quando o comandante de Senaqueribe atacou verbalmente Ezequias e o seu povo, Ezequias não tentou contra-atacar. Em vez disso, ele foi direto para o templo, orou e procurou o conselho do profeta de Deus, Isaias. Do mesmo jeito, quando Ezequias recebeu a carta ameaçadora de Senaqueribe, em vez de escrever uma resposta irritada, ele apenas levou o assunto a Deus e perguntou-Lhe o que fazer. Deus era a primeira e infalível linha de defesa dele.

Quando você se sentir assaltado por dúvidas e temores, não fique simplesmente remoendo-as em sua mente ou lutando contra elas sozinho. Ore e foque sua mente em coisas positivas. Lembre-se das promessas de Deus e permita que elas fortaleçam sua fé e silenciem a voz do medo e da dúvida. Como diz o ditado: “Deixem a luz entrar e a escuridão fugirá por si só!” Outro segredo para a vitória é fazer como Ezequias e buscar as orações, apoio e conselho de outros. Fazer isso lhe dará coragem e força, porque “um persegue mil, dois põem dez mil em fuga.”4



Em Salmo 40:2, Davi diz: “Ele me tirou do fundo de um poço de desespero e medo, de um atoleiro de lama. Ele me fez andar sobre a rocha e me deu passos firmes e certos.”5 Por mais sombria que as coisas pareçam ou de como se sinta, Jesus está sempre ao seu lado. Se confiar nEle, Ele sempre irá se manifestar em seu favor. Agarre-se a Ele, e Ele vai te tirar do atoleiro de lama da dúvida e firmar seus pés na rocha sólida da fé, onde nada que lhe aconteça conseguirá intimidá-lo ou desestabilizá-lo!
Referências

1Isaias 36:1–5,7–8, 10 NVI

2Isaias 37:6–7

3João 8:44

4Deuteronômio 32:30

5Bíblia Viva

Copyright © 2016 por A Família Internacional

Tags: Estudo bíblico, confiar em Deus, fé, temor


©bemvin.org 2016
enviar mensagem

    Página principal