Dona Marisa fica sem fluxo cerebral, e família autoriza doar órgãos



Baixar 0,55 Mb.
Página1/5
Encontro20.08.2018
Tamanho0,55 Mb.
  1   2   3   4   5
JORNAL DA MANHÃ: sexta-feira 03 de fevereiro 2017.

COMERCIAIS PRESENCIAL:
  1. Dona Marisa fica sem fluxo cerebral, e família autoriza doar órgãos.


O Hospital Sírio-Libanês divulgou boletim médico nesta quinta-feira (2) no qual informa que Dona Marisa Letícia, 66 anos, mulher do ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva ficou sem fluxo cerebral. A família já autorizou a doação de órgãos, segundo um post publicado na página do Facebook do ex-presidente. Uma possível morte cerebral só poderá ser constatada na manhã de sexta (3).

"A família Lula da Silva agradece todas as manifestações de carinho e solidariedade recebidas nesses últimos 10 dias pela recuperação da ex-primeira-dama Dona Marisa Letícia Lula da Silva. A família autorizou os procedimentos preparativos para a doação dos órgãos", diz o post. Depois, a página do Facebook do ex-presidente atualizou a foto de perfil e colocou uma imagem do casal sorrindo.

O boletim informa que um doppler transcraniano realizado na manhã desta quinta identificou a ausência de fluxo cerebral (leia boletim médico). Com a ausência de atividade cerebral constatada pelos exames, ela permanece respirando com a ajuda de aparelhos.

Diante do quadro cerebral irreversível, por volta do meio-dia os médicos pararam de dar sedativos a Dona Marisa. Embora os exames tenham mostrado que o cérebro dela não tem mais atividade, o protocolo oficial de constatação de morte cerebral só pode ser iniciado 18 horas depois da interrupção da sedação. Ou seja, no caso de Dona Marisa, isso só poderá ser feito depois das 6h de sexta.

A mulher do ex-presidente Lula foi internada em 24 de janeiro, depois de ter sofrido um acidente vascular cerebral hemorrágico provocado pelo rompimento de um aneurisma.

Quando foi internada, Marisa passou por um procedimento de emergência que durou cerca de duas horas para conter a hemorragia no cérebro. Os médicos fizeram uma arteriografia cerebral para localizar a lesão e depois introduziram um cateter até a região afetada para estancar o sangramento.

Na quarta-feira (25), Marisa Letícia teve de passar por outro procedimento cirúrgico. Desta vez, para a "passagem de um cateter ventricular para monitoração da pressão intracraniana", como informou o hospital. A decisão dos médicos ocorreu após "avaliação tomográfica de crânio para controle de sangramento cerebral.

Na sexta-feira (27), Dona Marisa passou por uma tomografia para verificar se tinha ocorrido melhora na infecção que havia se formado em seu cérebro. Ela foi acomodada em uma cama térmica. Com o auxílio dela, os médicos conseguiram baixar a temperatura do corpo, que normalmente fica perto dos 35°C, para até 25°C. O objetivo era diminuir o metabolismo e, junto com ele, a atividade cerebral, para que o cérebro conseguisse absorver de forma mais rápida o excesso de sangue acumulado na caixa craniana.

m exame realizado na segunda-feira (30) detectou a presença de trombose venosa profunda nas veias das pernas. Os médicos realizaram a passagem de um filtro de veia cava inferior para prevenir a ocorrência de embolia pulmonar.

Na terça (31), os médicos tiraram a sedação. Na quarta (1º), ela teve uma piora no seu quadro clínico no início da noite e voltou a ser sedada. A pressão intracraniana e a inflamação no cérebro tinham aumentado.

Depois da divulgação do boletim médico, amigos foram ao Sírio-Libanês prestar solidariedade à família de Lula. O também ex-presidente Fernando Henrique Cardoso foi um dos que se encontraram com o petista. O encontro dos dois foi fotografado e as imagens, postadas nas redes sociais de Lula.

Os senadores petistas Lindbergh Farias, Gleisi Hoffmann e Humberto Costa chegaram juntos e não quiseram falar com a imprensa. Depois, os ex-ministros Gilberto Carvalho, Celso Amorim e Eleonora Menicucci também entraram no hospital.

O vereador Eduardo Suplicy ressaltou o companheirismo de Dona Marisa durante o casamento de mais de 40 anos com Lula: "Foi uma companheira das horas mais alegres e difíceis para que Lula pudesse colaborar com o Brasil", disse o petista.

Militantes do Partido dos Trabalhadores e da sindicalistas da CUT também prestaram homenagem à ex-primeira-dama na porta do hospital. Eles colocaram rosas e fizeram orações.


  1. Mesmo diante crise, Wellington fala em otimismo em sessão na Alepi


Na manhã desta quinta-feira (2) foi realizada a solenidade de abertura do ano legislativo do estado na Assembleia Legislativa do Piauí. Na mensagem anual encaminhada à Casa e lida em plenário pelo governador Wellington Dias (PT), ele falou em otimismo e em crescimento econômico mesmo em cenário de crise. A primeira sessão do ano contou com a presença de diversas autoridades.

“Enquanto muitos estados enfrentam a crise com um crescente número de desempregos, o Piauí é um dos estados que se destaca pela geração de emprego”, disse o governador destacando que até novembro do ano passado o estado aumentou em 7,91% a arrecadação estadual, um acréscimo de R$ 260,6 milhões na receita própria do estado.

O governador elencou algumas prioridades para os próximos anos de sua gestão. Na educação, ele falou dos avanços no ensino médio e técnico e do desafio que será levar o curso de administração para os 224 municípios do estado. “Tanto o setor público como o privado dependem de pessoas qualificadas para empreender”, disse.

Wellington também disse que o Piauí foi o primeiro a anunciar o pagamento integral do novo piso aos professores.

Para a área da saúde, o governador disse que pretende implantar nos principais hospitais regionais a sala de parto humanizado.

Sobre a polêmica subconcessão da Agespisa para o abastecimento na capital, Wellington disse que “não poderia deixar de passar uma oportunidade como essa”. “Já que o setor privado disse que tinha condições de fazer e que só receberia quando houvesse resultado, não podia abrir mão dessa parceria. Só fiz isso quando ficou assegurado que nenhum servidor da Agespisa perderia seus direitos”, falou.

Dias mencionou ainda que irá ampliar o acesso à internet na capital com o investimento de R$ 42 milhões para levar 40 megabytes a 54 bairros de Teresina.

Durante a solenidade de abertura do ano legislativo, foi eleita ainda a mesa diretora da Casa. O presidente da Alepi, deputado estadual Themístocles Sampaio (PMDB), destacou algumas conquistas como a inauguração de uma unidade do Procon na Alepi e sobre os cursos técnicos  e de especialização oferecidos à comunidade pela Escola do Legislativo.

O presidente do Tribunal de Contas do Estado (TCE), Olavo Rebelo, entregou ao presidente um documento com a proposta de reajuste dos salários dos servidores que deverá ser votado pela Alepi este ano.


  1. Rodrigo Maia é reeleito presidente da câmara dos deputados

Logo após ser reeleito, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse nesta quinta-feira (2) que pretende instalar já na semana que vem as comissões especiais para discutir as reformas da Previdência e trabalhista.

As duas propostas, enviadas pelo Palácio do Planalto ao Congresso, são duas das principais medidas defendidas pelo governo na tentativa de sanear as contas públicas e reaquecer a economia.

Maia, que ganhou a eleição na Câmara com 293 votos (eram necessários no mínimo 253 para vencer no primeiro turno), deixou claro em entrevista após a vitória que pretende seguir alinhado com o Palácio do Planalto na aprovação de pautas da equipe econômica.

“A gente vai instalar, se possível na próxima semana, a comissão especial da reforma da Previdência (...) e devemos instalar a comissão especial do projeto que o governo enviou da reforma trabalhista”, disse Maia.

"Como sinalizou de forma clara a base [aliada] para a sociedade, a minha continuidade na presidência da Casa dava continuidade a essa agenda", completou o presidente reeleito.

O presidente da Câmara disse ainda que espera ver a reforma da Previdência aprovada até o meio de 2017. Ele ponderoou, no entato, que essa é uma matéria "polêmica" e que vai precisar de muito diálogo para ser aprovada.

Maia defendeu uma postura "protagonista" da Câmara e afirmou que tem como um dos objetivos dar à Casa uma missão "reformista".

"Nós precisamos terminar 2018 com a certeza de que a Câmara comanda a reforma do estado brasileiro. Uma Câmara reformista, esse é meu objetivo", declarou.

Em entrevista à GloboNews, o presidente recém-eleito enfatizou as reformas como uma prioridade do seu mandato em frente à Câmara. O deputado disse que atualmente o estado brasileiro é "caro e ineficiente", e deve ser reestruturado.

"Se tivermos um estado equilibrado, e é por isso que as reformas são importantes, nós teremos condições de, em 2018, entregar um país com a economia crescendo, o desemprego caindo e principalmente a taxa de juros caindo", disse Maia.


  1   2   3   4   5


©bemvin.org 2016
enviar mensagem

    Página principal