Domínio Expansão e mudança nos séculos XV e XVI subdomínio o expansionismo europeu Subdomínio 2



Baixar 1,39 Mb.
Página9/14
Encontro24.12.2016
Tamanho1,39 Mb.
1   ...   6   7   8   9   10   11   12   13   14



Domínio 6. O contexto europeu dos séculos XVII e XVII

Subdomínio 6.1. O Antigo Regime europeu: regra e exceção Aula n.º 31

Situação-problema: Todas as oportunidades são boas para os Holandeses. F. Braudel, historiador (século XX)

Questões orientadoras:
– Como se caracteriza as burguesias holandesa e inglesa?

– Que instrumentos comerciais, financeiros e políticos foram criados pela burguesia?



Metas Curriculares

Estratégias de aprendizagem/Recursos

Avaliação

Conteúdos/Conceitos

Objetivos Gerais/

Descritores



Manual e Caderno do Aluno

Outros Recursos

A afirmação política e económica da Holanda e da Inglaterra nos séculos XVII e XVIII

Conceito: Mentalidade capitalista

Objetivo Geral 4 – Conhecer e compreender a afirmação política e económica da Holanda e da Inglaterra nos séculos XVII e XVIII
Descritor 3 – Reconhecer, nas Províncias Unidas e na Inglaterra, no século XVII, a existência de uma burguesia urbana, protestante, com capacidade de intervenção política e de pôr o seu poder económico ao serviço do Estado.
Descritor 4 – Relacionar o dinamismo e os valores dessa burguesia com a criação de instrumentos comerciais, financeiros e políticos inovadores e eficazes.
Descritor 5 – Reconhecer a capacidade que ingleses e holandeses demonstraram ao nível da acumulação de capital e do seu reinvestimento no comércio internacional (capitalismo comercial).

1.º momento – Levantamento das ideias prévias dos alunos sobre o conceito de Mentalidade capitalista com registo no quadro.

• registo da situação-problema no quadro.


2.º momento – Desenvolvimento da aula:

• leitura e interpretação dos textos e quadros (F1 a F6, pp. 94 e 95) para os alunos:

– inferirem os traços característicos da mentalidade capitalista;

– inferirem as atividades económicas que geravam grandes lucros ao comércio internacional;

– inferirem os instrumentos comerciais, financeiros e políticos de suporte ao desenvolvimento do capitalismo comercial.
3.º momento – Síntese:

• elaboração de um comentário à situação-problema:



Todas as oportunidades são boas para os Holandeses.

resposta ao Já sabes o fundamental…? (p. 93 do manual).


4.º momento – Avaliação:

Trabalha com…

– resolução da ficha Aula a Aula 30, p. 35 do Caderno do Aluno.


PowerPoint Didático n.º 3

PowerPoint

– Guia de Exploração do PowerPoint
e-Manual

– Recursos diversos


Mistério da História

• Registo da capacidade para usar fontes diferentes (mapa, barra cronológica, imagens e texto) e com mensagens diversas
• Registo do interesse, participação no diálogo e desempenho nas tarefas propostas
• Registo da capacidade para sintetizar a informação
• Registo da correção na expressão oral e escrita em língua portuguesa
• Registo da capacidade para aplicar e integrar as aprendizagens




Domínio 6. O contexto europeu dos séculos XVII e XVII

Subdomínio 6.1. O Antigo Regime europeu: regra e exceção Aula n.º 32

Situação-problema: O rei é tão temido como amado pelo povo e os grandes temem-no mais do que o amam. Anónimo, Descrição da Cidade de Lisboa

Questões orientadoras:
– De que forma foi exercido o poder real por D. João V?

– Como se caracteriza a sociedade portuguesa de Antigo Regime?



Metas Curriculares

Estratégias de aprendizagem/Recursos

Avaliação

Conteúdos/Conceitos

Objetivos Gerais/

Descritores



Manual e Caderno do Aluno

Outros Recursos

Política, sociedade e economia em Portugal no século XVII e primeira metade do século XVIII

Conceito: Poder absoluto de direito divino

Objetivo Geral 5 – Conhecer as diferentes etapas da evolução de Portugal em termos políticos, sociais e económicos, no século XVII e na primeira metade do século XVIII
Descritor 1 – Reconhecer o reinado de D. João V como um momento de afirmação da monarquia absoluta de direito divino em Portugal, mas limitado pela necessidade de respeitar os costumes, a justiça e as leis fundamentais do reino.
Descritor 2 – Caracterizar a sociedade portuguesa como uma sociedade de ordens, salientando o predomínio das ordens privilegiadas na apropriação dos recursos económicos e da existência de uma burguesia sem grande aptidão pelo investimento nas atividades produtivas e com aspirações de ascender à nobreza e ao seu modo de vida.

1.º momento – Levantamento das ideias prévias dos alunos sobre o conceito de poder absoluto de direito divino, com o respetivo registo no quadro.

• registo da situação-problema no quadro.


2.º momento – Desenvolvimento da aula:

• leitura e interpretação dos textos e das imagens (F1, F2, F3, F4, F5 e F6, pp. 96 e 97) para os alunos:

– inferirem sobre o modelo de governação que serviu de inspiração a D. João V;

– inferirem sobre os instrumentos e formas usados por

D. João V para o exercício do poder absoluto e a submissão da sociedade.
3.º momento – Síntese:

• elaboração de um comentário à situação-problema:



O rei é tão temido como amado pelo povo e os grandes temem-no mais do que o amam.

• resposta ao Já sabes o fundamental…? (p. 97 do manual).


4.º momento – Avaliação:

Trabalha com…

– Resolução da ficha Aula a Aula 31, p. 36 do Caderno do Aluno.


PowerPoint Didático n.º 3

PowerPoint

– Guia de Exploração do PowerPoint
e-Manual

– Recursos diversos


Mistério da História

• Registo da capacidade para usar fontes diferentes (mapa, barra cronológica, imagens e texto) e com mensagens diversas

• Registo do interesse, participação no diálogo e desempenho nas tarefas propostas


• Registo da capacidade para sintetizar a informação
• Registo da correção na expressão oral e escrita em língua portuguesa
• Registo da capacidade para aplicar e integrar as aprendizagens




Domínio 6. O contexto europeu dos séculos XVII e XVII

Subdomínio 6.1. O Antigo Regime europeu: regra e exceção Aula n.º 33

Situação-problema: Os Portugueses descobriram ouro no Brasil, mas foi nas mãos dos Ingleses que ele brilhou.

Questões orientadoras:
– Como se caracteriza a economia portuguesa durante o século XVII?

– Que motivos explicam o abandono do mercantilismo em Portugal?



Metas Curriculares

Estratégias de aprendizagem/Recursos

Avaliação

Conteúdos/Conceitos

Objetivos Gerais/

Descritores



Manual e Caderno do Aluno

Outros Recursos

Política, sociedade e economia em Portugal no século XVII e primeira metade do século XVIII

Conceitos: Tráfego atlântico; Comércio triangular e crise económica

Objetivo Geral 5 – Conhecer as diferentes etapas da evolução de Portugal em termos políticos, sociais e económicos no século XVII e na primeira metade do século XVIII
Descritor 3 – Caracterizar a economia portuguesa na primeira metade do século XVII, salientando a prosperidade dos tráfegos atlânticos (especialmente a rota do comércio triangular).
Descritor 4 – Identificar as dificuldades da economia portuguesa no final do século XVII.
Descritor 5 – Relacionar as dificuldades vividas pela economia portuguesa no final do século XVII com a implementação de medidas mercantilistas.
Descritor 6 – Avaliar o impacto das medidas mercantilistas no setor manufatureiro e na balança comercial portuguesa.
Descritor 7 – Explicar o impacto do Tratado de Methuen e do afluxo do ouro brasileiro no setor manufatureiro e na balança comercial portuguesa.
Descritor 8 – Avaliar as consequências internas e externas do afluxo do ouro do

Brasil a Portugal.



1.º momento – Levantamento das ideias prévias dos alunos sobre os conceitos de Tráfego atlântico; Comércio triangular e crise económica, com o respetivo registo no quadro.

• registo da situação-problema no quadro.


2.º momento – Desenvolvimento da aula:

• análise do mapa, dos quadros, dos gráficos e leitura dos textos (F1, F2, F3, F4, F5, F6 e F7, pp. 98 e 99) para os alunos:

– compreenderem a forma como se desenvolvia o comércio triangular: rotas e produtos;

– identificarem as razões da crise comercial no final do século XVII;

– identificarem e enquadrarem as propostas mercantilistas de

Duarte Ribeiro de Macedo;

– descreverem as cláusulas do Tratado de Methuen;

– avaliarem o impacto do Tratado de Methuen para a economia nacional.


3.º momento – Síntese:

• elaboração de um comentário à situação–problema: Os Portugueses descobriram ouro no Brasil, mas foi nas mãos dos



Ingleses que ele brilhou.
4.º momento – Avaliação:

Trabalha com…

– resolução da ficha Aula a Aula 32, p 37 do Caderno do Aluno.

• TPC – Realiza o Prepara-te para a Avaliação 3 (pp. 79-82) e a

Ficha de Avaliação 3 (pp. 105-106) do Caderno do Aluno.


PowerPoint

Didático n.º 3

PowerPoint

– Guia de Exploração do PowerPoint
e-Manual

– Recursos diversos


Mistério da História

• Registo da capacidade para usar fontes diferentes (mapa, barra cronológica, imagens e texto) e com mensagens diversas
• Registo do interesse, participação no diálogo e desempenho nas tarefas propostas
• Registo da capacidade para sintetizar a informação
• Registo da correção na expressão oral e escrita em língua portuguesa
• Registo da capacidade para aplicar e integrar as aprendizagens




Domínio 6. O contexto europeu dos séculos XVII e XVII

Subdomínio 6.2. Um século de mudanças (século XVIII) Aula n.º 34

Situação-problema: Cada um conhecerá os seus direitos e será senhor de si próprio. Condorcet (século XVIII)

Questões orientadoras:
– Quais foram os princípios defendidos pelo Iluminismo?

– Quais foram os meios de difusão do pensamento iluminista?

– Em que consistiam as conceções iluministas do poder político?


Metas Curriculares

Estratégias de aprendizagem/Recursos

Avaliação

Conteúdos/Conceitos

Objetivos Gerais/

Descritores



Manual e Caderno do Aluno

Outros Recursos

Os princípios fundamentais do Iluminismo

Conceitos: Racionalismo e Iluminismo

Objetivo Geral 1 – Conhecer e compreender os vetores fundamentais do Iluminismo
Descritor 1 – Relacionar as ideias iluministas com a crença na razão potenciada pelo pensamento científico do século XVII.
Descritor 2 – Identificar os princípios norteadores do Iluminismo e os seus principais representantes.
Descritor 3 – Identificar os meios de difusão das ideias iluministas e os estratos sociais que mais cedo a elas aderiram.
Descritor 4 – Analisar as propostas do Iluminismo para um novo regime político e social baseado na separação de poderes, na soberania da nação e no contrato social, na tolerância religiosa, na liberdade de pensamento, na igualdade à nascença e perante a lei.

1.º momento – Introdução ao subdomínio:

• diálogo orientado pelo(a) professor(a) para a introdução ao subdomínio, o respetivo enquadramento espaciotemporal e contexto, com base nas fontes apresentadas nas duplas páginas de abertura e no Inicia a Descoberta;

• levantamento das ideias prévias dos alunos sobre os conceitos de Iluminismo e racionalismo com respetivo registo registo no quadro;

• registo da situação-problema no quadro.


2.º momento – Desenvolvimento da aula:

• leitura e interpretação dos textos e das imagens (F1 a F4, pp. 108 e 109) para os alunos:

– aplicarem os princípios iluministas;

– inferirem o modelo de sociedade defendido pelos filósofos iluministas;

– identificarem os meios de difusão dos ideais iluministas.
3.º momento – Síntese:

• elaboração de um comentário à situação-problema: Cada um conhecerá os seus direitos e será senhor de si próprio.

• resposta ao Já sabes o fundamental…? (p. 109 do manual).
4.º momento – Avaliação:

• TPC – Resolução da ficha Aula a Aula 33, p. 38 do Caderno do Aluno.



PowerPoint Didático n.º 4

PowerPoint

– Guia de Exploração do PowerPoint
e-Manual

– Recursos diversos


Mistério da História

• Registo da capacidade para usar fontes diferentes (mapa, barra cronológica, imagens e texto) e com mensagens diversas
• Registo do interesse, participação no diálogo e desempenho nas tarefas propostas
• Registo da capacidade para sintetizar a informação
• Registo da correção na expressão oral e escrita em língua portuguesa
• Registo da capacidade para aplicar e integrar as aprendizagens




Domínio 6. O contexto europeu dos séculos XVII e XVII

Subdomínio 6.2. Um século de mudanças (século XVIII) Aula n.º 35

Situação-problema: O rei representa o Estado: ele e os seus súbditos formam um só corpo que será apenas feliz quando todos o sejam. Frederico II da Prússia (1712-1786)

Questões orientadoras:
– Em que consistiu o despotismo esclarecido?

– De que modo é que a filosofia das Luzes influenciou as democracias atuais?



Metas Curriculares

Estratégias de aprendizagem/Recursos

Avaliação

Conteúdos/Conceitos

Objetivos Gerais/

Descritores



Manual e Caderno do Aluno

Outros Recursos

Os princípios fundamentais do Iluminismo
Despotismo esclarecido

Conceitos: Despotismo; Despotismo esclarecido/ Democracia

Objetivo Geral 1 – Conhecer e compreender os vetores fundamentais do Iluminismo
Descritor 5 – Reconhecer a aceitação por parte de alguns dos iluministas da existência de monarcas absolutos, mas cuja governação seria feita em nome da razão e apoiada pelos filósofos (despotismo esclarecido).
Descritor 6 – Reconhecer a influência das propostas iluministas nas democracias atuais

1.º momento – Levantamento das ideias prévias dos alunos sobre os conceitos de Despotismo; Despotismo esclarecido/Democracia com o respetivo registo no quadro.

• registo da situação-problema no quadro.


2.º momento – Desenvolvimento da aula:

• leitura dos textos e análise das imagens (F1, F2, p. 110) para os alunos:

– identificarem os fundamentos e a origem do despotismo esclarecido;

– situarem geograficamente a implantação do absolutismo esclarecido.

• leitura dos textos e análise do mapa (F3, F4 e F5, p. 111) para os alunos avaliarem as influências das ideias iluministas nas democracias atuais.
3.º momento – Síntese:

• elaboração de um comentário à situação-problema:



O rei representa o Estado: ele e os seus súbditos formam um só corpo que será apenas feliz quando todos o sejam.

• resposta ao Já sabes o fundamental…? (p. 111 do manual).


4.º momento – Avaliação:

Trabalha com…

– resolução da ficha Aula a Aula 34, p. 39 do Caderno do Aluno.


PowerPoint Didático n.º 4

PowerPoint

– Guia de Exploração do PowerPoint
e-Manual

– Recursos diversos


Mistério da História

• Registo da capacidade para usar fontes diferentes (mapa, barra cronológica, imagens e texto) e com mensagens diversas
• Registo do interesse, participação no diálogo e desempenho nas tarefas propostas
• Registo da capacidade para sintetizar a informação
• Registo da correção na expressão oral e escrita em língua portuguesa
• Registo da capacidade para aplicar e integrar as aprendizagens
1   ...   6   7   8   9   10   11   12   13   14


©bemvin.org 2016
enviar mensagem

    Página principal