Domínio Expansão e mudança nos séculos XV e XVI subdomínio o expansionismo europeu Subdomínio 2



Baixar 1,39 Mb.
Página7/14
Encontro24.12.2016
Tamanho1,39 Mb.
1   2   3   4   5   6   7   8   9   10   ...   14




Domínio 5. Expansão e mudança nos séculos XV e XVI

Subdomínio 5.2 Renascimento, Reforma e Contrarreforma Aula n.º 19

Situação-problema: Os antecedentes da arquitetura manuelina têm de se buscar [...] no gosto pelo exótico. Pedro Dias, historiador (século XX)

Questões orientadoras:
– Qual a originalidade do estilo manuelino?

– Que impacto teve a arte renascentista em Portugal?



Metas Curriculares

Estratégias de aprendizagem/Recursos

Avaliação

Conteúdos/Conceitos

Objetivos Gerais/

Descritores



Manual e Caderno do Aluno

Outros Recursos

Renascimento
A persistência do Gótico e o Manuelino em Portugal

Conceito: Manuelino

Objetivo Geral 1 – Conhecer e compreender o Renascimento
Descritor 7 – Caracterizar o estilo manuelino, identificando os seus monumentos mais representativos.
Descritor 8 – Reconhecer o carácter tardio da arte renascentista em Portugal, identificando algumas obras do Renascimento português.

1.º momento – Levantamento das ideias prévias dos alunos sobre o conceito de Manuelino, com registo no quadro.

• registo da situação-problema no quadro.


2.º momento – Desenvolvimento da aula:

• observação das imagens (F1 e F2, pp. 62 e 63) para os alunos identificarem.

– os elementos góticos e os elementos característicos de estilo manuelino;

– a temática das pinturas.


3.º momento – Síntese:

• elaboração, pelos alunos, de um comentário sobre a situação-problema: Os antecedentes da arquitetura manuelina têm de se buscar [...] no gosto pelo exótico.

resposta ao Já sabes o fundamental…? (p. 63 do manual).
4.º momento – Avaliação:

Trabalha com…

– TPC – resolução da ficha Aula a Aula 18, p. 23 do Caderno do Aluno.


PowerPoint Didático n.º 2

PowerPoint

– Guia de Exploração do PowerPoint
e-Manual

Recursos diversos



• Registo da capacidade para usar fontes diferentes (mapa, barra cronológica, imagens e texto) e com mensagens diversas
Registo do interesse, participação no diálogo e desempenho nas tarefas propostas
• Registo da capacidade para sintetizar a informação
• Registo da correção na expressão oral e escrita em língua portuguesa
• Registo da capacidade para aplicar e integrar as aprendizagens



Domínio 5. Expansão e mudança nos séculos XV e XVI

Subdomínio 5.2 Renascimento, Reforma e Contrarreforma Aula n.º 20

Situação-problema: Em breve só haverá duas posições a tomar: ou corrigir o Papa ou deixar a cada um a liberdade de fazer o que entender. D. Afonso V, rei de Aragão (1396-1458)

Questões orientadoras:
– A que se deveu a crise na Igreja Católica?

– Como se iniciou a Reforma Protestante?



Metas Curriculares

Estratégias de aprendizagem/Recursos

Avaliação

Conteúdos/Conceitos

Objetivos Gerais/

Descritores



Manual e Caderno do Aluno

Outros Recursos

A Reforma Protestante
A Reforma Protestante.

A crise da Igreja Católica.

Rutura de Lutero
Conceitos: Reforma; Protestantismo


Objetivo Geral 2 – Conhecer e compreender a Reforma Protestante
Descritor 1 – Identificar os fatores que estiveram na base de uma crise de valores no seio da Igreja e a crescente contestação sentida, sobretudo, no início do século XVI.
Descritor 2 – Relacionar o espírito e valores do Renascimento com as críticas à hierarquia e com o apelo ao retorno do cristianismo primitivo.
Descritor 3 – Descrever a ação de Martinho Lutero como o decisivo momento de rutura no seio da cristandade ocidental.

1.º momento – Levantamento das ideias prévias dos alunos sobre os conceitos de Reforma e Protestantismo, com registo no quadro.

• registo da situação-problema no quadro.


2.º momento – Desenvolvimento da aula:

• leitura e observação das imagens (F1, F2, F3 e F4, pp. 64-65) para os alunos:

– identificarem as críticas dos humanistas do século XV ao comportamento do clero;

– compreenderem as propostas dos humanistas com base na leitura e interpretação da Bíblia cristã.


3.º momento – Síntese:

• elaboração de um quadro, pelos alunos, sobre os motivos da crise na Igreja Católica e o momento de rutura de Lutero e as suas propostas.

• resposta ao Já sabes o fundamental…? (p. 65 do manual).
4.º momento – Avaliação:

Trabalha com…

– resolução da ficha Aula a Aula 19, p. 24 do Caderno do

Aluno.


PowerPoint Didático n.º 2

PowerPoint

– Guia de Exploração do PowerPoint
e-Manual

– Recursos diversos



• Registo da capacidade para usar fontes diferentes (mapa, barra cronológica, imagens e texto) e com mensagens diversas
• Registo do interesse, participação no diálogo e desempenho nas tarefas propostas
• Registo da capacidade para sintetizar a informação
• Registo da correção na expressão oral e escrita em língua portuguesa
• Registo da capacidade para aplicar e integrar as aprendizagens



Domínio 5. Expansão e mudança nos séculos XV e XVI

Subdomínio 5.2 Renascimento, Reforma e Contrarreforma Aula n.º 21

Situação-problema: Em breve só haverá duas posições a tomar: ou corrigir o Papa ou deixar a cada um a liberdade de fazer o que entender. D. Afonso V, rei de Aragão (1396-1458)

Questões orientadoras:
– Quais são os princípios doutrinários defendidos pelas igrejas protestantes?

Metas Curriculares

Estratégias de aprendizagem/Recursos

Avaliação

Conteúdos/Conceitos

Objetivos Gerais/

Descritores



Manual e Caderno do Aluno

Outros Recursos

A Reforma Protestante
Os princípios doutrinários das igrejas protestantes
(Espacialidade e temporalidade…)

Conceitos: Luteranismo; Calvinismo; Anglicanismo

Objetivo Geral 2 – Conhecer e compreender a Reforma Protestante
Descritor 4 – Caracterizar as principais igrejas protestantes (luterana, calvinista e anglicana).
Descritor 5 – Identificar as principais alterações introduzidas no culto cristão pelo reformismo protestante.
Descritor 6 – Relacionar o aparecimento e difusão das igrejas protestantes com as condições e com as aspirações políticas, sociais e económicas da Europa Central e do Norte.

1.º momento – Levantamento das ideias prévias dos alunos sobre os conceitos de Luteranismo; Calvinismo e Anglicanismo, com registo no quadro.

• registo da situação-problema no quadro.


2.º momento – Desenvolvimento da aula:

• análise do mapa e dos textos (F1, pp. 66 e 67) para os alunos identificarem:

– as zonas de propagação das igrejas protestantes;

– os princípios doutrinários das várias igrejas protestantes.


3.º momento – Síntese:

• elaboração, pelos alunos, de um comentário à situação-

-problema: Em breve só haverá duas posições a tomar: ou corrigir o Papa ou deixar a cada um a liberdade de fazer o que entender.

• resposta ao Já sabes o fundamental…? (p. 67 do manual).


4.º momento – Avaliação:

Trabalha com…

– TPC – resolução da ficha Aula a Aula 20, p. 25 do Caderno do Aluno.


PowerPoint Didático n.º 3

PowerPoint

– Guia de Exploração do PowerPoint
e-Manual

– Recursos diversos



• Registo da capacidade para usar fontes diferentes (mapa, barra cronológica, imagens e texto) e com mensagens diversas
• Registo do interesse, participação no diálogo e desempenho nas tarefas propostas
• Registo da capacidade para sintetizar a informação
• Registo da correção na expressão oral e escrita em língua portuguesa
• Registo da capacidade para aplicar e integrar as aprendizagens



Domínio 5. Expansão e mudança nos séculos XV e XVI

Subdomínio 5.2 Renascimento, Reforma e Contrarreforma Aula n.º 22

Situação-problema: Reforma ou Contrarreforma Católica?

Questões orientadoras:
– Qual foi a reação da Igreja Católica face às críticas que lhe foram dirigidas?

– Em que consistiu a Reforma Católica?

– O que foi a Contrarreforma?


Metas Curriculares

Estratégias de aprendizagem/Recursos

Avaliação

Conteúdos/Conceitos

Objetivos Gerais/

Descritores



Manual e Caderno do Aluno

Outros Recursos

A Reforma Protestante
A reação da Igreja Católica: Reforma e Contrarreforma

Conceitos: Contrarreforma; Concílio

Objetivo Geral 3 – Conhecer e compreender a reação da Igreja Católica à Reforma Protestante
Descritor 1 – Distinguir na Reforma Católica o movimento de renovação interna e de Contrarreforma.
Descritor 2 – Enumerar as principais medidas que emergiram do Concílio de Trento para enfrentar o reformismo protestante.
Descritor 4 – Relacionar o ressurgimento da Inquisição e da Congregação do Índex, no século XVI, com a necessidade de o mundo católico suster o avanço do protestantismo e consolidar a vivência religiosa de acordo com as determinações do Concílio de Trento.

1.º momento – Levantamento das ideias prévias dos alunos sobre os conceitos de Contrarreforma e Concílio com o respetivo registo no quadro.

• registo da situação-problema no quadro.


2.º momento – Desenvolvimento da aula:

• leitura e interpretação dos textos e das imagens (F1, F2, F3, F4 e F5, pp. 68 e 69) para os alunos:

– identificarem as medidas disciplinadoras do clero saídas do Concílio de Trento;

– identificarem as instituições ao serviço da reforma católica e da contrarreforma.


3.º momento – Síntese:

• elaboração, pelos alunos, de um texto-síntese sobre a informação do esquema (F5, p. 69);

• resposta ao Já sabes o fundamental…? (p. 69 do manual).
4.º momento – Avaliação:

Trabalha com…

– TPC – Resolução da ficha Aula a Aula 21, p. 26 do Caderno do Aluno.


PowerPoint Didático n.º 2

PowerPoint

– Guia de Exploração do PowerPoint
e-Manual

– Recursos diversos



• Registo da capacidade para usar fontes diferentes (mapa, barra cronológica, imagens e texto) e com mensagens diversas
• Registo do interesse, participação no diálogo e desempenho nas tarefas propostas
• Registo da capacidade para sintetizar a informação
• Registo da correção na expressão oral e escrita em língua portuguesa
• Registo da capacidade para aplicar e integrar as aprendizagens




Domínio 5. Expansão e mudança nos séculos XV e XVI

Subdomínio 5.2 Renascimento, Reforma e Contrarreforma Aula n.º 23

Situação-problema: Reforma ou Contrarreforma Católica?

Questões orientadoras:
– Quem foram os principais vultos do Humanismo em Portugal?

– Qual foi o impacto da Reforma Católica na sociedade portuguesa?



Metas Curriculares

Estratégias de aprendizagem/Recursos

Avaliação

Conteúdos/Conceitos

Objetivos Gerais/

Descritores



Manual e Caderno do Aluno

Outros Recursos

A Reforma Protestante
As transformações culturais e religiosas em Portugal
Conceito: Perseguição Religiosa

Objetivo Geral 4 – Conhecer e compreender a forma como Portugal foi marcado por estes processos de transformação cultural e religiosa
Descritor 1 – Sublinhar a adesão de muitos intelectuais e artistas portugueses ao Humanismo e aos valores e estética do Renascimento na literatura, na arte e na produção científica.
Descritor 2 – Identificar o âmbito da ação da Inquisição em Portugal, nomeadamente a identificação e controlo de heresias ligadas à prática do judaísmo, de superstições, de práticas pagãs e de condutas sexuais diferentes e a vigilância e difusão cultural através do Índex.
Descritor 3 – Sublinhar a importância da ação da Companhia de Jesus no ensino, na produção cultural e missionação em Portugal e nos territórios do Império.
Descritor 4 – Reconhecer o impacto da atuação da Inquisição em Portugal, ao nível da produção cultural, da difusão de ideias e controlo dos comportamentos.


1.º momento – Levantamento das ideias prévias dos alunos sobre o conceito de Perseguição Religiosa, com registo no quadro.

• registo da situação-problema no quadro.


2.º momento – Desenvolvimento da aula:

• leitura e interpretação de textos e análise de imagens (F1, F2, F3, F4, F5 e F6, pp. 70 e 71) para os alunos:

– identificarem humanistas portugueses;

– descreverem um auto de fé.


3.º momento – Síntese:

• elaboração de um comentário à situação-problema:



Reforma ou Contrarreforma?

• resposta ao Já sabes o fundamental…? (p. 71 do manual).


4.º momento – Avaliação:

Trabalha com…

– resolução da ficha Aula a Aula 22, p. 27 do Caderno do Aluno;

– resolução de Prepara-te para a Avaliação 2, pp. 75-78 e a Ficha de Avaliação 2, pp. 103 e 104 do Caderno do Aluno.



PowerPoint Didático n.º 2

PowerPoint

– Guia de Exploração do PowerPoint
e-Manual

– Recursos diversos



• Registo da capacidade para usar fontes diferentes (mapa, barra cronológica, imagens e texto) e com mensagens diversas
• Registo do interesse, participação no diálogo e desempenho nas tarefas propostas
• Registo da capacidade para sintetizar a informação
• Registo da correção na expressão oral e escrita em língua portuguesa
• Registo da capacidade para aplicar e integrar as aprendizagens



Domínio 6. O contexto europeu dos séculos XVII e XVIII

Subdomínio 6.1. O Antigo Regime europeu: regra e exceção Aula n.º 24

Situação-problema: [...] A nação não constitui uma entidade, reside inteiramente na pessoa do rei. Luis XIV (1638-1715)

Questões orientadoras:
– Em que consiste o absolutismo régio?

– Quais eram os instrumentos do poder absoluto?



Metas Curriculares

Estratégias de aprendizagem/Recursos

Avaliação

Conteúdos/Conceitos

Objetivos Gerais/

Descritores



Manual e Caderno do Aluno

Outros Recursos

Política e sociedade no Antigo Regime Europeu

Conceitos: Antigo Regime; Absolutismo monárquico

Objetivo Geral 1 – Conhecer e compreender o Antigo Regime europeu a nível político e social
Descritor 1 – Definir Antigo Regime.
Descritor 2 – Reconhecer o absolutismo régio como ponto de chegada de um processo de centralização do poder régio iniciado na Idade Média.
Descritor 3 – Identificar os pressupostos fundamentais do absolutismo régio, nomeadamente a teoria da origem divina do poder e as suas implicações.
Descritor 4 – Reconhecer a corte régia e os cerimoniais públicos como instrumentos do poder absoluto.

1.º momento – Introdução ao Domínio/Subdomínio:

• diálogo orientado pelo(a) professor(a) para a introdução ao Domínio/Subdomínio, o respetivo enquadramento espaciotemporal e contexto, com base nas diversas fontes apresentadas nas duplas páginas de abertura e em

“Inicia a Descoberta”;

• levantamento das ideias prévias dos alunos sobre os conceitos de Antigo Regime e Absolutismo monárquico, com registo no quadro;

• registo da situação-problema no quadro.
2.º momento – Desenvolvimento da aula:

• leitura e interpretação dos textos e observação das imagens

(F1, F2, F3, F4 e F5, pp. 80 e 81) para os alunos:

– identificarem os fundamentos do poder absoluto;

– identificarem os instrumentos do poder absoluto.
3.º momento – Síntese:

• elaboração, pelos alunos, de um texto-síntese sobre a informação do esquema (F5, p. 81);

• resposta ao Já sabes o fundamental…? (p. 81 do manual).
4.º momento – Avaliação:

Trabalha com…

– TPC – Resolução da ficha Aula a Aula 23, p. 28 do Caderno do Aluno.


PowerPoint Didático n.º 3

PowerPoint

– Guia de Exploração do PowerPoint
e-Manual

– Recursos diversos


Banco de Recursos

(Dossiê do Professor)



• Registo da capacidade para usar fontes diferentes (mapa, barra cronológica, imagens e texto) e com mensagens diversas
• Registo do interesse, participação no diálogo e desempenho nas tarefas propostas
• Registo da capacidade para sintetizar a informação
• Registo da correção na expressão oral e escrita em língua portuguesa

• Registo da capacidade para aplicar e integrar as aprendizagens


1   2   3   4   5   6   7   8   9   10   ...   14


©bemvin.org 2016
enviar mensagem

    Página principal