Do III ciclo



Baixar 2,76 Mb.
Página1/11
Encontro24.12.2016
Tamanho2,76 Mb.
  1   2   3   4   5   6   7   8   9   10   11
Faculdade de Educação

Curso de Pedagogia



RELATÓRIO DE PRÁTICA

DO III CICLO

Projeto : Somos iguais, mas também somo diferentes.

Racismo preconceito, discriminação e inclusão.

Acadêmica: Sílvia Ribeiro

Professores: Ana Cristina Souza Rangel

Denise Ceroni

Denise La Sálvia

Denise Wildner Theves

Lenir Moraes

Maria Luiza Moreira

Marta Quintanilha Gomes

Silvana Waskow




  1. INTRODUÇÃO

O presente trabalho acadêmico interdisciplinar tem como finalidade a conclusão das disciplinas de Pesquisa V: Ação Didático - Pedagógico nos anos iniciais l e Pesquisa Vl: Ação Didático- Pedagógico nos Anos iniciais ll, do curso de Pedagogia do Centro Universitário Ritter dos Reis tendo com principal objetivo o aprofundamento dos conhecimentos adquiridos nas diferentes disciplinas do lll ciclo, o estudo ação didático- pedagógica e a realização da prática docente em uma classe de quinto ano do ensino fundamental.

O trabalho foi realizado na Escola Estadual de Ensino Fundamental Simões Lopes Neto em uma turma que possui 29 alunos com idades que variam de 10 a 17 anos. Constitui em observar a turma durante alguns dias e assim definir o projeto. O trabalho foi baseado teoricamente em pesquisas e leituras a respeito das culturas Africanas, no livro Diversidade no ambiente escolar e demais livros trabalhos que serão citados no decorrer da narrativa.



2. ESTUDO DA REALIDADE ESCOLAR

2.1 Estudo da escola e de seu contexto

A escola de Ensino Fundamental Simões Lopes Neto esta situada a travessa Irmão Pedro S/N, no Bairro Teresópolis, em Porto Alegre.

A escola foi criada em 1957 como anexo do Instituto de Educação Flores da Cunha em face da necessidade de terminalidade do segundo grau – Magistério.

Após 1958 pelo decreto de criação número 8754 de 11/02/1958 passou a grupo escolar como escola de terceira categoria.

Em 1959 deixa de ser um anexo do Instituto de Educação.

Em 1977 passa a denominar-se Escola Estadual de primeiro grau Incompleto Simões Lopes Neto.

Em 1989 Escola Estadual de primeiro grau Simões Lopes Neto.

Em 2000 Escola Estadual de Ensino Fundamental Simões Lopes Neto.

Filosofia da escola

“Busca de uma educação para a mudança, onde o aluno, sujeito da educação, seja direcionada a uma conduta participativa, crítica e consciente, desenvolvendo um espírito de cidadania através do trabalho pedagógico democrático e entrosado, a fim de que prevaleça o clima de união e cooperação dos envolvidos em prol de uma sociedade mais justa, promovendo uma política de conscientização ambiental”.

Ensinar exige a convicção de que a mudança é possível. (Paulo Freire).

Trabalho algum é fruto de um homem só. (Lema da escola, resgatado a partir de levantamento datado de 1958).

A escola é composta de 22 funcionários, com o número total de alunos 465, onde 18 dos funcionários são professores, 12 contratados e seis são nomeados.

SOE funciona somente pela manhã, uma vice-diretora somente no turno da manhã, 1 funcionário para a limpeza, 2 merendeiras e 1 secretária.

Uma monitora que esta de licença há um ano, uma coordenadora pedagógica no turno da tarde, que é professora de português e não faz o trabalho de coordenação, somente cuida das crianças no pátio.

Plano de Ensino com registros diários, semanário, mensal e trimestral.

Avaliações parciais e depois trimestrais.

IDEB foi avaliado como muito bom no ano de 2012.

Evasões muito poucas, menos de 10%.

Alunos de Inclusão: 3 alunos com necessidades especiais com laudo, somente um professor por turma, inclusive as que possuem alunos de inclusão, antes tinha uma redução de alunos por turma, até 20 alunos, hoje, tem que ter 3 alunos de inclusão com laudo em cada sala de aula para ter direito a 20 alunos no turma. A média de alunos em cada uma destas turmas é de 25 alunos.

A escola dispõe de data show, sala de informática, Biblioteca, Xerox, 2 quadras de esportes não cobertas, uma pracinha ara primeiro e segundo ano, que tem o recreio em horário e espaço diferenciado, mesas de Xadrez de concreto no pátio.


  1. 2 Estudo da sala de aula

A sala de aula é ampla e arejada, uma parede inteira com janelas, com cortinas novas e limpas, dois ventiladores de teto e um na parede, com relógio de parede, dois armários, que servem para guardar o material da turma da tarde e da turma da manhã, no fundo da sala de aula, uma biblioteca com bolsos grandes para cada livro.

As classes são todas novas, assim coma as cadeiras. Tem também, na sala de aula, uma vassoura e uma pá de lixo, onde no final da aula, uma dupla se dispõe a varrer e organizar a sala.



2.3 Diagnóstico da realidade

A observação foi feita na turma 51, composta de 29 alunos, 15 meninos e 14 meninas, com a faixa etária entre 10 e 12 anos, porém tem um aluno com 17 anos que possui laudo de alguma deficiência intelectual, mas a família não aceita a hipótese de tratamento diferenciado ou troca de escola, pois foi sugerida a transferência para a escola Aparício Borges em uma turma de EJA.

A professora é afetiva, amorosa, conhece a história de cada um e suas famílias, cumprimenta quando chega, fala com muita calma em tom baixo, atendendo individualmente quando necessário e o grupo como um todo com igualdade, conduzindo os conteúdos com naturalidade, sempre seguindo as combinações feitas com os alunos.

A professora Renata Farias é a titular da turma, trabalha todas as disciplinas: Língua Portuguesa, Matemática, História, Geografia, Educação Artística, Educação Física, Religião e Informática.

O incentivo à leitura é trabalhado com a turma em conjunto com a professora, onde ela vai lendo, aos poucos, para a turma e, no final, é feito um trabalho referente a esta leitura.

O livro que estava sendo trabalhado com a turma na observação era Felpo Filva, da autora Eva Funari, que conta a história do Felpo, um coelho poeta um pouco neurótico. Um dia, ele recebeu a carta de uma fã que discordava dos seus poemas, a Charlô. Ele ficou muito indignado e isso deu início a uma troca de correspondências entre eles. O livro conta essa história de maneira divertida, usando os mais variados tipos de texto, como poema, fábula, carta, manual, receita e até autobiografia, permitindo, assim que o leitor entre em contato com as diversas funções da escrita.

Estes livros de literatura, na maioria das vezes, são comprados pela professora que trabalha também com partes pontuais dos livros didáticos, não seguindo à risca este material, montando assim o seu plano de aula.

A escola fornece o lanche para os alunos, embora a maioria traga lanche da casa, mas mesmo esses alunos também comem o lanche da escola, lanchando duas vezes, podendo repetir o lanche da escola, por serem os últimos a lanchar.

O lanche varia: bolacha de água e sal com Nescau, sucrilhos com iogurte, sanduíche de presunto e queijo com suco, arroz com lentilha e carne de porco com salada de repolho.

O lanche é feito no refeitório em um espaço reservado, tendo que saírem da sala de aula. Esse deslocamento é feito em fila, onde saem primeiro os meninos e depois as meninas.

Após o lanche, eles voltam para a sala de aula, podem ir em duplas ao banheiro e fazer a escovação dos dentes, o restante fica aguardando o recreio na sala de aula, terminando suas atividades ou lendo um livro se quiserem.

O recreio, em dias que não está chovendo, é no pátio da escola, onde se dividem com o outro quinto ano e com as turmas de quarto ano. Quando chove, eles não têm recreio, saindo quinze minutos antes, às 17horas e 15minutos.

A professora Renata costuma dar tema de casa para os alunos, quem não fizer algum tema da semana, leva um tema extra na sexta feira. A turma é bastante agitada, conforme relato da professora, ficam em pé e caminham pela sala de aula, é uma turma com mudanças de comportamento bem explícitas, é só a professora se afastar, que eles mudam completamente. São curiosos e falantes, brigam algumas vezes entre si, se comunicam através de bilhetes, mas, ao mesmo tempo, conhecem uns aos outros, sabendo da realidade de cada um, pois vieram de um quarto ano conturbado, onde houve três trocas de professoras e um pedido de afastamento de um professora por agredir um aluno.

Acredito que esses incidentes fizeram com que a turma criasse um vínculo maior entre eles, às vezes brigam, mas são muito unidos e preocupam-se quando algum colega falta à aula. Esta turma tem alguns alunos que faltam com frequência, são sempre os mesmos, o restante frequenta a aula regularmente. Durante a observação, fiquei um pouco apreensiva, pois se trata de uma turma muito grande, e como chegar no primeiro dia de estágio sem conhecê-los, sem poder chamá-los ao menos pelo nome? Resolvi, então, ajudá-los a fazer o presente para o dia das mães a pedido da professora, o que aceitei na hora, pois a aproximação com eles seria inevitável, já que seriam feitos em duplas.

Fui convidada a participar do chá em homenagem ás mães e aceitei o convite.

A turma tem a carência da prática de esportes, pois não tem professor de Educação Física. Nesse horário, muitas vezes, eles pegam uma bola e ficam jogando sem conhecerem as regras do Vôlei, Handebol, Basquete e Futebol.



PLANEJAMENTO E DESENVOLVIMENTO DA PRÁTICA DOCENTE
3.1 PROJETO DE TRABALHO
a) Dados de Identificação:

Nome: Escola Estadual de Ensino Fundamental Simões Lopes Neto

Turma: 51

Ano: 5º


Nº de alunos: 29, sendo 14 meninos e 15 meninas

Professora Titular: Renata Farias, com formação em Magistério, curso Normal, no Colégio Paulo da Gama. Fez o curso de Pedagogia com habilitação em supervisão Escolar na FAPA, formou-se em 1996. Tem 18 anos de Estado e antes trabalhava em escolinhas como professora Jardineira.



b) Delimitação do tema:

Título: “Somos iguais, mas também somos diferentes.”

Após o tempo de observação, senti a necessidade de fazer mais horas, pois ainda não havia identificado no grupo algum tema que pudesse servir para o nosso projeto, então fiz mais alguns dias de observação, deixando duas horas somente para a delimitação do tema.

Os temas foram propostos pela turma, após uma conversa sobre a importância do mesmo. A turma ficou dividida entre os temas sobre os animais, sobre os peixes, dinossauros, sistema solar, mas não chegaram a uma escolha única, então disponibilizei mais meia hora para que conversassem e combinassem entre si o tema a ser escolhido. Após esse tempo, ficou escolhido o tema sobre o Racismo, que partiu do aluno Cauã que queria estudar mais sobre os animais, especialmente os macacos, pois algumas pessoas estavam colocando nas redes sociais que eram macacos, e isso estava acontecendo por causa do racismo que um jogador e um juiz de futebol estavam sofrendo.

Nesse momento, toda a turma começou a gritar e pular, dizendo que também queria estudar este tema. Com tamanha agitação, para que se acalmassem, pedi então que quem quisesse estudar sobre este tema levantasse o braço. Eram 28 alunos presentes naquele dia e 25 alunos levantaram o braço, surgindo assim o tema de nosso projeto.



Fotos 9 e 10- Momento da problematização e escolha do tema.


  1   2   3   4   5   6   7   8   9   10   11


©bemvin.org 2016
enviar mensagem

    Página principal