Djanine dolovet martins



Baixar 4,89 Mb.
Página1/7
Encontro23.08.2018
Tamanho4,89 Mb.
  1   2   3   4   5   6   7


PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO

Mestrado em Meio Ambiente e Desenvolvimento Regional






INFLUÊNCIA DA ARBORIZAÇÃO E DA SUA DIVERSIDADE NO CONFORTO TÉRMICO URBANO EM CONJUNTOS HABITACIONAIS NA CIDADE DE PRESIDENTE PRUDENTE

DJANINE DOLOVET MARTINS
Orientadora: Profa Dra. Suzana Chiari Bertolli

Coorientadoras: Prof Dr Paulo Antonio da Silva

Profa Dra Alba Regina Azevedo Arana

Alunos de Iniciação Científica: Ana Elisa Sayuri Kobata

Andressa Aparecida Fonseca Farias

Beatriz Santana De Almeida

Felipe Da Silva Paulino

Isadora Aparecida Leal Faria


Presidente Prudente - 2017

RESUMO
A vegetação urbana tem sido reconhecida por melhorar o conforto térmico em centros urbanos, uma vez que a copa da árvore reduz a incidência solar sobre o solo e edificações, enquanto que influencia indiretamente a temperatura pela transpiração das folhas. A falta ou o mal planejamento da arborização urbana, pode aumentar o consumo de energia elétrica por dispositivos de climatização, gerando problemas econômicos aos habitantes. Nesse sentido, o objetivo deste projeto é avaliar a diversidade de espécies arbóreas em conjuntos habitacionais construídos pelo PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) e verificar a sua relação com o conforto térmico e consumo de energia elétrica das edificações em diferentes épocas do ano. A hipótese deste estudo é que a presença de arborização, assim como a diversidade de espécies arbóreas podem alterar o conforto térmico das edificações, influenciando o consumo de energia elétrica de residenciais padrões do PAC. Três bairros (um sem arborização e dois com arborização) construídos nos moldes do PAC, com desenho urbano e casas térreas semelhantes serão avaliadas no verão e no inverno de 2018. O conforto térmico será analisado com um Confortímetro Sensu®, que fornece variáveis de temperatura do ar (Ta); temperatura radiante média (Trm); e umidade relativa do ar (UR). Esses parâmetros serão avaliados em três períodos do dia (manhã, tarde e noite). Durante o período de coletas de dados, estações de monitoramento serão instalados nas áreas de estudo para o acompanhamento das variações de umidade relativa do ar, radiação solar e concentração de poluentes atmosféricos. Os indivíduos arbóreos das áreas de estudo serão inventariados considerando aqueles com circunferência a altura do peito (CAP) igual ou maior que 15 cm. A distância entre uma árvore e a árvore mais próxima, o diâmetro da copa e a altura estimada da árvore serão mensuradas. O consumo de energia elétrica por habitante será avaliado por meio de um questionário simples que será aplicado aos moradores dessas residências. O conforto térmico nos diferentes horários, características da arborização nas ruas, diversidade de espécies e média de consumo de energia elétrica por residente em diferentes épocas do ano serão analisados por meio de equações de regressão.

Palavras-chave: Benefícios da arborização. Consumo de energia. Diversidade arbórea. Vegetação urbana.



  1   2   3   4   5   6   7


©bemvin.org 2016
enviar mensagem

    Página principal