Discurso Direto, Indireto e Indireto Livre Discurso Direto, Discurso Indireto e Discurso Indireto Livre



Baixar 141,07 Kb.
Encontro15.09.2018
Tamanho141,07 Kb.
Discurso Direto, Indireto e Indireto Livre

Discurso Direto, Discurso Indireto e Discurso Indireto Livre são tipos de discursos utilizados no gênero narrativo para introduzir as falas e os pensamentos dos personagens. Seu uso varia de acordo com a intenção do narrador.

Discurso Direto

No discurso direto, o narrador dá uma pausa na sua narração e passa a citar fielmente a fala do personagem.

O objetivo desse tipo de discurso é transmitir autenticidade e espontaneidade. Assim, o narrador se distancia do discurso não se responsabilizando pelo que é dito.

Pode ser também utilizado por questões de humildade - para não falar algo que foi dito por um estudioso, por exemplo, como se fosse de sua própria autoria.



Características do Discurso Direto

  • Utilização de verbos de elocução, a saber: falar, responder, perguntar, indagar, declarar, exclamar, dentre outros.

  • Utilização dos sinais de pontuação - travessão, exclamação, interrogação, dois pontos, aspas.

  • Pode haver inserção do discurso no meio do texto utilizando-se aspas.

Exemplos de Discurso Direto



  • Querendo ouvir sua voz, resolveu telefonar:

Alô, quem fala?

Bom dia, com quem quer falar? — respondeu com tom de simpatia.



  • Exemplo de notícia com citação direta

Homem violenta menor no Vinhais

Vizinha da vítima viu tudo e denunciou

Sob suspeitas de violentar uma menor, Francisco Thadeu Vieira, 29, foi preso em sua casa, no bairro do Vinhais. Ao ser acusado por suposta testemunha ocular, policiais da delegacia de plantão do bairro, fizeram diligência para opurar os fatos. Revoltada, mulher que não quis ser identificada disse ” foi a pior experiência que eu já passei. Ver um homem desse torturando uma menor”. E lamenta não ter tido coragem para interromper o crime, “fiquei em estado de choque, só queria sair dali”. Ela disse que viu quando o acusado chamou para um terreno desocupado menor que morava na sua vizinhança e que, estranhando a situação, foi até lá e viu o crime hediondo, “achei estranho um homem bem apresentado levando uma conhecida minha menor para o descampado”. As reias circunstâncias ainda estão sendo apuradas.

Do ponto de vista da credibilidade e da riqueza de detalhes, o discurso direto certamente agradará mais o leitor curioso.



Discurso Indireto

No discurso indireto, o narrador da história interfere na fala do personagem donde profere suas palavras. Aqui não encontramos as próprias palavras da personagem.



Características do Discurso Indireto

  • O discurso é narrado em terceira pessoa.

  • Algumas vezes são utilizados os verbos de elocução, por exemplo: falar, responder, perguntar, indagar, declarar, exclamar. Contudo não há utilização do travessão, pois geralmente as orações são subordinadas, ou seja, dependem de outras orações, o que pode ser marcado através da conjunção “que” (verbo + que).

Exemplos de Discurso Indireto

  • Querendo ouvir sua voz, resolveu telefonar. Cumprimentou e perguntou quem estava falando. Do outro lado, alguém respondeu ao cumprimento e perguntou com tom de simpatia com quem a pessoa queria falar.



Homem violenta menor no Vinhais

Vizinha da vítima viu tudo e denunciou

Sob suspeitas de violentar uma menor, Francisco Thadeu Vieira, 29, foi preso em sua casa, no bairro do Vinhais. Ao ser acusado por suposta testemunha ocular, policiais da delegacia de plantão do bairro, fizeram diligência para opurar os fatos. Não querendo se identificar, mulher disse que viu quando o acusado chamou para um terreno desocupado menor que morava na sua vizinhança e que, estranhando a situação, foi até lá e viu o crime hediondo. Sem coragem para intervir, pois, segundo ela, ficou em estado de pânico, saiu rapidamente do local. O desfecho da apuração ainda está sendo investigado.

Transposição do Discurso Direto para o Indireto

Nos exemplos a seguir verificaremos as alterações feitas a fim de moldar o discurso de acordo com a intenção pretendida.

Direto: Preciso sair por alguns instantes. (enunciado na 1.ª pessoa)

Direto: Sou a pessoa com quem falou há pouco. (enunciado no presente)

Indireto: Disse que era a pessoa com quem tinha falado há pouco. (enunciado no imperfeito)

Direto: Não li o jornal hoje. (enunciado no pretérito perfeito)

Indireto: Disse que não tinha lido o jornal. (enunciado no pretérito mais que perfeito)

Direto: O que fará relativamente aquele assunto? (enunciado no futuro do presente)

Indireto: Perguntou-me o que faria relativamente aquele assunto. (enunciado no futuro de pretérito)

Direto: Não me ligues mais! (enunciado no modo imperativo)

Indireto: Pediu que não lhe ligasse mais. (enunciado no modo subjuntivo)

Direto: Isto não é nada agradável. (pronome demonstrativo em 1.ª pessoa)

Indireto: Disse que aquilo não era nada agradável. (pronome demonstrativo em 3.ª pessoa)

Direto: Vivemos muito bem aqui. (advérbio de lugar aqui)

Indireto: Disse que viviam muito bem lá. (advérbio de lugar lá)

Discurso Indireto Livre

No discurso indireto livre há uma fusão dos tipos de discurso (direto e indireto), ou seja, há intervenções do narrador bem como da fala dos personagens.



Não existem marcas que mostrem a mudança do discurso. Por isso, as falas dos personagens e do narrador - que sabe tudo o que se passa no pensamento dos personagens - podem ser confundidas.

Características do Discurso Indireto Livre

  • Liberdade sintática.

  • Aderência do narrador ao personagem.

Exemplos de Discurso Indireto Livre

  • Fez o que julgava necessário. Não estava arrependido, mas sentia um peso. Talvez não tenha sido suficientemente justo com as crianças…

  • O despertador tocou um pouco mais cedo. Vamos lá, eu sei que consigo!

  • Amanheceu chovendo. Bem, lá vou eu passar o dia assistindo televisão!


ATIVIDADES

1. (Fatec-1995) "Ela insistiu: - Me dá esse papel aí."

Na transposição da fala do personagem para o discurso indireto, a alternativa correta é:

a) Ela insistiu que desse aquele papel aí.

b) Ela insistiu em que me desse aquele papel ali.

c) Ela insistiu em que me desse aquele papel aí.

d) Ela insistiu por que lhe desse este papel aí.

e) Ela insistiu em que lhe desse aquele papel ali.

2. (Fuvest-2000) Sinhá Vitória falou assim, mas Fabiano resmungou, franziu a testa, achando a frase extravagante. Aves matarem bois e cabras, que lembrança! Olhou a mulher, desconfiado, julgou que ela estivesse tresvariando. (Graciliano Ramos, Vidas secas)

Uma das características do estilo de Vidas Secas é o uso do discurso indireto livre, que ocorre no trecho:

a) “sinha Vitória falou assim”.

b) “Fabiano resmungou”.

c) “franziu a testa”.

d) “que lembrança”.

e) “olhou a mulher”.

3. Leiam a seguinte fábula e realizem as atividades:



http://www.metaforas.com.br/infantis/asno_velho_pastor.gif



O Asno e o Velho Pastor

Um Pastor observava tranquilo seu Asno pastando em uma verde pradaria. De repente, ouviu ao longe os gritos do inimigo que se aproximava. Ele rogou ao animal para que corresse com ele na garupa, o mais rápido que pudesse, a fim de que não fossem ambos capturados. Falou, com calma, o Asno:

- Por que eu deveria temer o inimigo? Você acha provável que o conquistador coloque em mim, além dos dois cestos de carga que carrego, outros dois?

Respondeu o Pastor:

- Não.

Disse o animal:



- Então, contanto que eu carregue os dois cestos que já possuo, que diferença faz a quem estou servindo?

Disponível em: http://www.metaforas.com.br/infantis/asno_velho_pastor.htm



  1. Que discurso predomina na fábula?

  2. Reescreva-a mudando o tipo de discurso.

  3. As fábulas apresentam uma lição de moral, cuja finalidade é sensibilizar o leitor para algumas questões pertinentes aos valores e comportamentos humanos; pensando nisso, explique qual seria o ensinamento que essa fábula quis transmitir ao leitor.



  1. Agora, faca uma retextualização, transformado a fábula em uma tirinha, obedeça a estrutura abaixo:

(Apresentação)

(conflito)

(clímax)

(desfecho)


©bemvin.org 2016
enviar mensagem

    Página principal