Disciplina: pgl 510100 Questões de poesia em



Baixar 44,03 Kb.
Encontro28.10.2017
Tamanho44,03 Kb.
UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM LITERATURA


DISCIPLINA: PGL 510100 - Questões de poesia

“Questões de poesia em revista: questões de/para a poesia no século XXI”.


Professor responsável: Maria Lucia de Barros Camargo

Período: 2017 /2.



Horário: segundas-feiras, às 14:00hs.
Ementa: O que é a poesia? A noção e a tarefa da poesia. O poeta e o mito, o mito do poeta. O poeta e o leitor: enunciação e interação. Poesia e as artes. Teoria, poesia e crítica: relações. Poesia e pensamento. Teorias e técnicas do verso. O verso, a prosa e a poesia.

Objetivo: mapear e rediscutir o estado atual da teoria e da crítica de poesia, tomando como ponto de partida o material veiculado em revistas de poesia, impressas e publicadas no Brasil na passagem do século XX para o século XXI, especialmente: Inimigo rumor, Sibila, Cacto e Coyote.


Cronograma:


  1. 07/08 – Introdução às questões suscitadas pela leitura das revistas de poesia: arquivo, comunidade, antologia; questões de análise e interpretação. Jacques Derrida na Inimigo rumor: “Che cos´è la poesia? “.

  2. 14/08 - Questões acerca da poesia, na série “o que é a poesia” (IR 10) – com a palavra, dentre outros: Costa Lima, Derrida, Roubaud, (IR, 10), João Barrento (IR 11) – e mais, Badiou.

  3. 21/08 – Ainda, o que é a poesia: nas revistas, Debord (Coyote, 4) Berardinelli (IR,14), Agamben (Cacto, 1), Gerald Hopkins (IR, 5), Zukofsky (Sibila, 8-9), Bernstein (Sibila, 12) – e mais: “Itinerário de Pasárgada”, de Manuel Bandeira.

  4. 28/8 – O estado das coisas I: panoramas e diagnósticos, a poesia no Brasil. Cf. Sibila (n. 10, 11), Ronald Polito (Cacto, 2), Dolhnikoff (Sibila, 1), Carlos Ávila, Romulo Salvino (Sibila 3 e 4), Haroldo de Campos (Sibila 5), Rodrigo Garcia Lopes (Coyote, 12), Claudio Daniel ( Coyote 13), Raúl Antelo ( IR, 4), Domeneck (IR, 18); O estado das coisas II: a crítica. Cacto, 2 (Tarso de Melo, Mallarmé), Sibila 8-9 (Franchetti, Milán, Siscar), Pécora (Sibila 7).

  5. 04/09 – A poesia moderna e o poeta. Baudelaire (O cisne e os pequenos poemas em prosa, dentre outros); Derrida e a moeda falsa.

  6. 11/09 –Mallarmé e “crise do verso” (IR,20), Rancière, leitor de Mallarmé (Aisthesis e A política das sereias)

  7. 18/9 – A poesia moderna: algumas leituras e conceituações – Friedrich, Paul de Man, Berardinelli, Hamburguer, Jameson.

  8. 25/09 – Agamben e a poesia moderna (Categorias italianas)

  9. 02/10 – Derrida lê Paul Celan (“Carneiros”);

  10. 09/10 – Como ler poesia? Algumas leituras. Ver: Auerbach (IR, 8), Walter Benjamin (IR, 11).

  11. 16/10 – Como ler poesia? Spitzer (IR, 12).

  12. 23/10 – Como ler poesia? Mais algumas leituras, nas revistas: Osvaldo Silvestre (IR, 10), Manuel Gusmão ( IR, 14), Gustavo Rubim, Pedro Serra (IR, 15).

  13. 30/10 – Seminário Drummond

  14. 06/11 – Série de análises de poemas de Drummond (IR, 13 e 14); as leituras de Davi Arrigucci Jr.

  15. 13/11 – A permanência da tradição moderna brasileira: Mario, Drummond, Cabral, Faustino, Murilo, Henriquetta, Haroldo , Gullar.

AVALIAÇÃO: produção de um ensaio envolvendo as questões abordadas e desenvolvendo a análise de (ao menos) um poema, a ser entregue até 18 de dezembro de 2017.


BIBLIOGRAFIA (além das revistas que constituem o ponto de partida deste curso) ; outros títulos serão acrescidos ao longo do semestre.
ABRAMS, M. H. O espelho e a lâmpada: teoria romântica e tradição crítica. Trad. Alzira Vieira Allegro. São Paulo: Editora Unesp, 2010.

ADORNO, T. Palestra sobre lírica e sociedade, em Notas de literatura I, tradução Jorge B. Almeida. São Paulo: duas Cidades; Editora 34, 2012.


AGAMBEN, Giorgio. A linguagem e a morte: um seminário sobre o lugar da negatividade. Trad. Henrique Burigo. Belo Horizonte, Editora da UFMG, 2006.

___________. Categorias italianas: estudos de poética e literatura. Trad. Carlos Eduardo Schmidt Capela e Vinícius Nicastro Honesko. Florianópolis: Editora da UFSC, 2014.

___________. Signatura rerum: sobre el método. Trad. Flavia Costa y Mercedes Ruvituso. Barcelona: Anagrama, 2010.

ANTELO, Raúl. Archifilologías latino-americanas. Lecturas trás el agotamiento. Córdoba-AR: Eduvim, 2015.

___________ , CAMARGO, M.L.B. (eds.) Boletim de Pesquisa NELIC, v. 14, n.22, ago-dez. 2014. [Dossiê Furio Jesi)

AUERBACH, Erich. Introdução aos estudos literários. Trad. José Paulo Paes. São Paulo: Cultrix, 1972.

____________. Figura. Trad. Duda Machado. São Paulo: Ática, 1997.

___________. Ensaios de literatura ocidental. São Paulo: Duas Cidades; Ed. 34, 2007.

BADIOU, Alain. Pequeno manual de inestética. Trad. Marina Appenzeller. São Paulo: Estação Liberdade, 2002.

__________. El siglo. Buenos Aires: Manatial, 2005.

__________. Condiciones. Trad. Eduardo Lucio Molina y Vedia. Buenos Aires: Siglo Veintiuno Editores, 2012.

BANDEIRA, Manuel. “Itinerário de Pasárgada”, em Poesia completa e prosa. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 1983, p. 33-102.

BARTHES, Roland. Inéditos, vol.1 – teoria. Trad. Ivone Castilho Benedetti. São Paulo: Martins Fontes, 2004.

____________ O rumor da língua. Trad. de António Gonçalves. Lisboa: Edições 70, 1987.

BENJAMIN, Walter. Baudelaire e a modernidade. Edição e tradução de João Barrento. Belo Horizonte: Autêntica, 2015.

BERARDINELLI, Alfonso. Da Poesia à prosa.Org. Maria Betânia Amoroso. Trad. Maurício Santana Dias. São Paulo: Cosac Naify, 2007.

BLANCHOT, Maurice. A parte do fogo. Trad. Ana Maria Scherer. Rio de Janeiro: Rocco, 1997.

________. O espaço literário. Trad. Álvaro Cabral. Rio de Janeiro: Rocco, 1987.

________. O livro por vir. Trad. Leyla Perrone-Moisés. São Paulo: Martins fontes, 2005.

________. La comunidade inconfesable. Postfacio de Jean-Luc Nancy, La comunidad afrontada. Madrid: Arena Libros, 2002.

BONNEFOY, Ives. Lugares y destinos de la imagen. Un curso de poética en el Collège de France (1981-1993). Trad. Silvio Mattoni. Buenos Aires: El Cuenco de Plata, 2007.

___________. L’Alliance de la poésie et de la musique. Paris: Galilée, 2007.

CAMARGO, Maria Lucia de Barros. Dos poetas e/em suas revistas. In: Subjetividades em devir: estudos da poesia moderna e contemporânea. Org. Célia Pedrosa e Ida Alves. Rio de Janeiro: 7Letras, 2008.

________ e PEDROSA, Célia. Poesia e contemporaneidade. Leituras do presente. Chapecó: Argos, 2001.

CAMPOS, Haroldo. “Poesia e modernidade: da morte do verso à constelação. O poema pós-utópico”. O arco-íris branco: ensaios de literatura e cultura. Rio de Janeiro: Imago, 1997.

COMPAGNON, Antoine. Os cinco paradoxos da modernidade. Trad. Cleonice P. B. Mourão, Consuelo F. Santiago e Eunice D. Galéry. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 1996.

DEGUY, Michel. Reabertura após obras. Trad. Marcos Siscar e Paula Glenadel. Campinas-SP: Editora da UNICAMP, 2010.

DELEUZE, Gilles. Crítica e Clínica, tradução Peter Pál Pelbart. São Paulo: ed. 34, 1997.

____________. A dobra: Leibniz e o barroco. Trad. Luiz B. L. Orlandi. Campinas, SP: Papirus, 1991.

DERRIDA, Jacques. Carneiros. O diálogo ininterrupto: entre dois finitos, o poema. Trad. Notas e posfácio, Fernanda Bernardo. Coimbra: Palimage-Terra Ocre Edições, 2008.

___________. Dar (el) tiempo. 1. La moneda falsa. Trad. esp. Cristina de Peretti. Barcelona: Paidós, 1995.

____________. Pensar em não ver: escritos sobre as artes do visível (1979-2004). Trad. Marcelo Jacques de Moraes. Florianópolis: Ed. da UFSC, 2012.

___________. “Che cos´è la poesia?”, tradução Marcos Siscar, em Inimigo Rumor, n. 10, Rio de Janeiro, 2001.

___________. Mal de arquivo: uma impressão freudiana. Rio de Janeiro: Relume- Dumará, 2001.

DIDI-HUBERMAN. A sobrevivência dos vaga-lumes, tradução Vera Casa Nova. Belo Horizonte; Ed.UFMG, 2011.

ESPOSITO, Roberto. El dispositivo de la persona. Buenos Aires: Amorrortu, 2011.

________. Communitas: origen y destino de la comunidad. . Buenos Aires: Amorrortu, 2007.

FONTANIER, Pierre. Les figures du discours. Paris: Flammarion, 1977.

FOUCAULT, Michel. A arqueologia do saber. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1995.

__________. As palavras e as coisas. Trad. Salma T. Muchail. São Paulo: Martins Fontes, 1995.

__________. Estética: literatura, pintura, música e cinema. Org. Manoel Barros da Motta; trad. Inês Autran Dourado Barbosa. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2001.

FRIEDRICH, Hugo. Estrutura da lírica moderna. Tradução Marise Curioni; tradução dos poemas, Dora Ferreira da Silva. São Paulo: Duas Cidades, 1978.

GADAMER, Hans-Georg. Poema y diálogo. Trad. Daniel Najmías y Juan Navarro. Barcelona: Editorial Gedisa, 2004.

___________. La actualidad de lo bello. El arte como juego, símbolo y fiesta. Trad. António gomes Ramos. Barcelona: Paidós, 2002. [ Ed. alemã, 1977].

HAMBURGER, Michael. A verdade da poesia: tensões na poesía modernista desde Baudelaire. Trad. Alípio Correia de Franca Neto. São Paulo: Cosac Nacify, 2007.

HEIDEGGER, Martin. Explicações da poesia de Hölderlin. Trad. Claudia Pellegrini Drucker. Brasília: Editora UnB, 2013.

JAMESON, Fredric. Modernidade singular. Ensaio sobre a ontologia do presente. Trad. Roberto Franco Valente. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2005.

JESI, Furio. O mito. Trad. Lemos de Azevedo. Lisboa/Rio de Janeiro: Editora Presença/Livraria Martins Fontes, 1977.

________. Lettura del "Bateau Ivre" di Rimbaud. Macerata: Quodlibet, 1996.

_________. Literatura y mito. Trad. Antonio Pigrau Rodríguez. Barcelona: Barral, 1972.

Kandisnki, Wassily. Do Espiritual na Arte. Tradução de Eduardo Brandão. São Paulo: Martins Fontes, 1996.

KRISTEVA, Julia. La révolution du langage poétique. Paris: Seuil, 1974.

LACOUE-LABARTHE, Philippe. A imitação dos modernos. Ensaios sobre arte e filosofia. Org. Virginia de Araujo Figueiredo e João Camillo Penna. Trad. João Camillo Penna [et al.]. São Paulo: Paz e Terra, 2000.

__________; NANCY, Jean-Luc. L'Absolu littéraire: Théorie de la littérature du romantisme allemande. Paris: Seuil, 1978.

MAN, Paul de. O ponto de vista da cegueira: ensaios sobre a retórica da crítica contemporânea. Trad. Miguel Tamen. Lisboa: Angelus Novus & Cotovia, 1999.

_________. La retórica del romanticismo. Trad. Julián Jiménez Heffernan. Madrid: Akal, 2007.

_________. Alegorias da leitura: linguagem figurativa em Rousseau, Nietzsche, Rilke e Proust. Trad. Lenita R. Esteves. Rio de Janeiro: Imago, 1996.

MILLER, J. Hillis. A ética da leitura: ensaios 1979 – 1989. Trad. Eliane Fittipaldi e Kátia Maria Orberg. Rio de Janeiro: Imago, 1995.

MOLDER, Maria Filomena. Símbolo, analogia e afinidade. Lisboa: Vendaval, 2009.

NANCY, Jean-Luc. Las musas. Buenos Aires, Amorrortu, 2008.

________. La comunidad desobrada. Buenos Aires: Arena Libros, 2001.

________. Resistência da poesia. Lisboa: Vendaval, 2005.

PAZ, Octavio. Os filhos do barro: do romantismo à vanguarda. Trad. Olga Savary. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1984.

PERLOFF, Marjorie. O gênio não original: poesia por outros meios no novo século. Trad. Adriano Scandolara. Belo Horizonte: Editora da UFMG, 2013.

________. Poetic license: essays on modernist and postmodernist lyric. Evanston: Northwestern University Press, 1990.

_______. Radical artifice. Writing poetry in the age of media. Chicago: The University Chicago Press, 1991.

PERNIOLA, Mario. Enigmas: egípcio, barroco e neo-barroco na sociedade e na arte. Trad. Carolina Pizzolo Torquato. Chapecó: Argos. 2009.

RABATÉ, Dominique. Énonciation poétique, énonciation lyrique. In: Figures du sujet lyrique. 2ª ed. Paris: Presses Universitaires, 2001.

RANCIÈRE, Jacques. Politique de la littérature. Paris: Galilée, 2007.

__________. Mallarmé. La política de la sirena. Trad. Cristóbal Durán et al. Adrogué: Lom, 2015.

RANCIÉRE, Jacques.(Mallarmé. La politique de la sirène. Paris: Hachette, 1996).

________. La palavra muda: ensayo sobre las contradicciones de la literatura. Trad. Cecilia González. Buenos Aires: Cadencia; 2009.

________. Políticas da escrita. Trad. Raquel Ramalhete. Rio de Janeiro: Ed. 34, 1995.

_______. Malaise dans l’esthétique. Paris: Galilée, 2004.

_______. Aisthesis: escenas del regimen estético del arte. Trad. Horácio Pons. Buenos Aires: Manancial, 2013.

SISCAR, Marcos. Poesia e crise: ensaios sobre a crise da poesia como topos da modernidade. Campinas, SP: Editora da UNICAMP, 2010.

_________. Da soberba da poesia: distinção, elitismo, democracia. São Paulo: Lumme Editor, 2012.

SPITZER, Leo. Ideas clásica y cristiana de la armonía del mundo: prolegómenos a una interpretación de la palavra “stimmung”. Trad. Alfredo Brotons Muñoz. Madri: Abada, 2008.

___________. Linguística e historia literaria.Madrid: Gredos, 1955.

___________. A Ode sobre uma urna grega ou conteúdo versus metagramática. In: LIMA, Luiz Costa (org.) Teoria da literatura em suas fontes. 2ª ed. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1983, vol. 1, p. 319-351.

__________. Três poemas sobre o êxtase. Trad. Samuel Titan Jr. Poemas traduzidos por Augusto de Campos, Carlito Azevedo e Haroldo de Campos. São Paulo: Cosac & Naify, 2003.

STAROBINSKI, Jean. La relation critique. Édition revue et augmentée. Paris : Gallimard, 2001.

STERZI, Eduardo. A prova dos nove: alguma poesia moderna e a tarefa da alegria. São Paulo: Lumme Editor, 2008.

TODOROV, Tzvetan et al. O discurso da poesia – Poétique 28, trad. Leocádia Reis e Carlos Reis. Coimbra: Almedina, 1982.
TORREMOCHA, Maria Victoria Utrera. Historia y teoria del verso libre. Sevilla: Padilla Libros Editores & Libreros, 2001.

__________. Teoría del poema en prosa. Sevilla: Universidad de Sevilla, 1999.

VATTIMO, Gianni. Etica de la interpretación. Trad. Teresa Oñate. Barcelona: Paidós, 1991.

WARBURG, Aby. A renovação da Antiguidade pagã: contribuições científico-culturais para a história do Renascimento europeu. Trad. Markus Hediger. Rio de Janeiro: Contraponto, 2013.



.


  1. REVISTAS:

SIBILA. Disponível em http://sibila.com.br/pdfs

INIMIGO RUMOR.

CACTO.

COYOTE

MODO DE USAR &CO.


©bemvin.org 2016
enviar mensagem

    Página principal