Desconstruindo Preconceitos



Baixar 382,07 Kb.
Página1/4
Encontro27.12.2016
Tamanho382,07 Kb.
  1   2   3   4



04 de dezembro de 2014

Nº 478


Desconstruindo Preconceitos - CNTS realiza evento para discutir inclusão da população negra do Brasil
Com o objetivo de discutir acerca das diversas questões relacionadas ao mundo do trabalho, sobretudo no que tange à situação do trabalhador(a) negro(a) e de grupos étnicos, a partir da instituição de políticas e ações que visem a inclusão social a CNTS realizou nos dias 26 e 27 de novembro o Encontro Nacional Raça e Etnias, que reuniu cerca de 130 dirigentes sindicais de todo o país.
O evento teve como objetivo proporcionar conhecimento aos dirigentes sindicais e trabalhadores (as) da saúde acerca das questões que envolvem inclusão dos negros e demais grupos étnicos no mercado de trabalho, fortalecer e consolidar o seu papel na construção da sociedade, a partir da incorporação de políticas e ações que visem o fortalecimento da luta e garantia de um sindicalismo forte, combativo e atuante.
O presidente da CNTS, José Lião de Almeida, deu as boas vindas aos delegados, ressaltando o papel da Confederação de propiciar formação e inclusão social, sem distinção de qualquer natureza. “Temos de formar nossa base para que sejam sujeitos e multiplicadores desses conhecimentos”, disse. A coordenadora dos comitês da CNTS, Lucimary Santos, destacou que o movimento sindical precisa estar atento para o papel de desconstruir preconceitos. “Evento dessa natureza tem o condão de levar instrumentos para contrapor ao preconceito e à discriminação. Queremos, com este encontro, fomentar nos dirigentes e, consequentemente nas bases, a luta por direitos iguais para homens e mulheres; negros e brancos; jovens e adultos”, disse.
Para o vice-presidente da CNTS e presidente da Federação dos Trabalhadores da Saúde da Região Nordeste, João Rodrigues Filho, o Brasil é um país bonito, colorido e alegre. “A discriminação é inegável em todo ambiente e este evento irá clarear para cada um de nós onde está o preconceito”, avaliou. “Com esse tema, nossa Confederação completa o ciclo de eventos de todas as representações dos comitês: gênero, jovem, LGBT e raça. Isso mostra a preocupação da CNTS com todos os trabalhadores. Parabéns ao nosso presidente, José Lião, e a toda a diretoria”, ressaltou o tesoureiro-geral, Adair Vassoler, representando a Federação de Santa Catarina.
Os presidentes das federações de trabalhadores da saúde do Rio de Janeiro, Maria Barbara da Costa; do Paraná, Antonio Lemos; do Mato Grosso do Sul, Osmar Gussi; dos técnicos em radiologia, Carlos Alberto Monteiro de Oliveira; e o dirigente da federação do Rio Grande do Sul, Carlos Weber, apontaram a necessidade de que as federações e sindicatos levem para suas bases as propostas e estratégias para o combate à discriminação com vistas à igualdade de oportunidades.
Palestraram no encontro a deputada federal, Janete Pietá (PT-SP); a conselheira nacional da Organização Pan-Americana de Saúde, Maria Inês da Silva; e o coordenador do Plano Juventude da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, Felipe da Silva Freitas. O evento também contou com a participação dos integrantes da Central Única das Favelas do Rio Grande do Sul, que encenaram peça interativa para demonstrar como se dá no dia a dia a discriminação contra o negro.
Entre os principais assuntos abordados no encontro estão o racismo e preconceito, as questões trabalhistas que envolvem a população negra, o acesso aos serviços de saúde de qualidade, acesso à educação, violência contra a juventude negra e a aplicação de políticas públicas que combatam as desigualdades sociais existentes.
No final do evento os participantes aprovaram carta com propostas que incluem a modificação das estruturas institucionais do Estado para o adequado enfrentamento e a superação das desigualdades étnicas decorrentes do preconceito e da discriminação étnica; implementação de incentivos e critérios de condicionamento e prioridade no acesso aos recursos públicos destinados ao enfrentamento das desigualdades étnicas; e a efetivação do Estatuto da Igualdade Racial como um importante instrumento na luta por igualdade, devendo ser conhecido, respeitado e implementado.
Em momento cívico e de forte emoção, os delegados acompanharam o lançamento e entrega da bandeira oficial da CNTS ao presidente da entidade, José Lião de Almeida, e aos presidentes das federações filiadas. “Esta bandeira representa nossa história, de luta e resistência, de expectativa no sentido de que a categoria seja reconhecida e respeitada perante a sociedade”, ressaltou o secretário-geral, Valdirlei Castagna, ao fazer a entrega das bandeiras.
 
  1   2   3   4


©bemvin.org 2016
enviar mensagem

    Página principal