Descarte inadequado de resíduos sólidos urbanos projeto de intervençÃo mossoró-rn 2015 resumo



Baixar 224,43 Kb.
Encontro18.10.2018
Tamanho224,43 Kb.

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO

NÚCLEO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA – NEAD

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO – MEC/SECADI

ANDRÉIA MITSA PAIVA NEGREIROS

DESCARTE INADEQUADO DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS



PROJETO DE INTERVENÇÃO

MOSSORÓ-RN

2015

RESUMO

Um dos maiores desafios com que se defronta a sociedade moderna é o equacionamento da geração excessiva e da disposição final ambientalmente segura dos resíduos sólidos. São vários os problemas ambientais identificados, mas merece destaque o descarte inadequado de resíduos, seja domiciliar, comercial ou industrial. Atualmente a propaganda vem estimulando o consumo de materiais descartáveis, porém, em nenhum momento, pensou-se nos resíduos gerados durante a fabricação, se estes serão recicláveis ou não, e onde iremos descartá-los. O desperdício também gera resíduos.  Os descartes dos lixos em lugares inapropriados provocam, principalmente na época chuvosa do ano, entupimento das ‘bocas de lobo’ e dos bueiros, impedindo a vazão de água e ocasionando alagamentos nas ruas, muitas vezes, entrando nos domicílios, podendo está água ser contaminada e disseminar doenças, causando prejuízo à população. Então, devemos ter consciência de que é necessário adotarmos um estilo de vida menos impactante sobre meio ambiente, desenvolvendo a consciência sobre o descarte adequado dos nossos resíduos, além do estímulo a atividades que contribuam para conscientização sobre a importância da melhoria das condições ambientais. Atualmente, o desafio é inverter a lógica prevalecente e investir cada vez mais na redução da produção excessiva e no desperdício, assim como na coleta seletiva e na compostagem, e cada vez menos na destinação final.



Palavras-chave: Resíduo; Descarte; Prejuízos; Ambiente.

INTRODUÇÃO

Os resíduos sólidos "lixo" é um dos grandes problemas que ameaçam a vida no planeta terra, porque além de poluir o solo, a água e o ar, também atrai animais que veiculam doenças. Ao contrário das tribos primitivas que só produziam o necessário para a sua sobrevivência, vivemos numa sociedade consumista onde as pessoas têm valor pela quantidade de bens que possuem. Geralmente, quem tem maior poder aquisitivo, acaba por consumir mais, produzindo mais lixo.

A preocupação mundial em relação aos resíduos sólidos, em especial os domiciliares, tem aumentado ante o crescimento da produção, do gerenciamento inadequado e da falta de áreas de disposição final (JACOBI e BESEN, 2011).

Além do expressivo crescimento da geração desses resíduos, observam-se, ainda, ao longo dos últimos anos, mudanças significativas em sua composição e características e o aumento de sua periculosidade (OMS, 2010; EPA, 2010). Essas mudanças decorrem especialmente dos modelos de desenvolvimento pautados pela obsolescência programada dos produtos, pela descartabilidade e pela mudança nos padrões de consumo baseados no consumo excessivo e supérfluo. O crescimento e a longevidade da população aliados à intensa urbanização e à expansão do consumo de novas tecnologias acarretam a produção de imensas quantidades de resíduos.

A influência do manejo inadequado dos resíduos sólidos urbanos sobre a saúde humana tem despertado a atenção de diversas entidades e profissionais ligados ao saneamento, face à presença nas cidades de inúmeros locais de acúmulo de lixo que propiciam um triste quadro de degradação social e ambiental. A ausência de coleta, associada ao manuseio e à disposição inadequados dos resíduos sólidos municipais, é importante fator de risco para a saúde pública (CATAPRETA e HELLER, 1999).

O ser humano pode ser atingido de diversas formas pelos efeitos da gestão e a disposição inadequada dos resíduos sólidos, em especial porque o lixo constitui ambiente favorável à atração e ao desenvolvimento de diversos animais e microrganismos veiculadores de doenças. Os resíduos descartados inadequadamente também causam impactos socioambientais, tais como degradação do solo, comprometimento dos corpos d’água e mananciais, intensificação de enchentes, contribuição para a poluição do ar e catação em condições insalubres nas ruas e nas áreas de disposição final (BESEN et al., 2010).

PROBLEMA

O crescimento demográfico, a intensificação das atividades humanas e a melhoria do nível de vida são responsáveis pelo aumento exponencial das quantidades de resíduos sólidos geradas, bem como pela alteração das suas características, constituindo um grande problema para a sociedade. Como fator agravante, o manejo inadequado dos resíduos sólidos, desde a geração até a destinação final (por exemplo, em lixões a céu aberto ou até em cursos d’água), pode resultar em riscos ambientais, sociais e econômicos e à saúde pública.



JUSTIFICATIVA

O meio ambiente em que vivemos tem a ver com a nossa identidade e também é uma questão cultural, além do lixo ser um assunto conflitante e causa de grandes danos ambientais percebemos também a necessidade de trabalhar um projeto de conscientização sobre geração de resíduos sólidos na cidade de Mossoró. O alvo do projeto na cidade, na questão ambiental, é chegar a um patamar de equilíbrio da comunidade com a natureza, e esse projeto tem um dos passos pioneiros para se chegar a esse alvo, estruturando a questão da destinação dos resíduos sólidos. Hoje já existem muitas formas de tratar os resíduos, porém ainda não há divulgação suficiente para conscientizar os seres humanos sobre o grande impacto que o lixo pode causar ao meio ambiente. Observa-se que esse comportamento humano é de origem educacional, visto que as pessoas não recebem nenhum preparo a nível familiar, escolar, social, religioso e político para este assunto. A implantação do sistema de coleta seletiva na cidade de Mossoró, bem como a sua importância, contribuirá com a paisagem, estética, para uma vida melhor e mais saudável aos seus moradores servindo de referência para outras cidades.



OBJETIVO GERAL

Analisar o descarte inadequado dos resíduos, seja domiciliar, comercial ou industrial. Poderíamos com este projeto alertar a comunidade sobre os riscos e prejuízos que são ocasionados por esse descarte inadequado.



OBJETIVOS ESPECÍFICOS

  • Caracterizar a origem dos resíduos (domiciliar, comercial e industrial);

  • Diagnosticar os impactos de degradação ambiental ocasionados por esse descarte inadequado dos resíduos;

  • Orientar a comunidade local a agir como multiplicadores de sustentabilidade;

  • Fornecer à comunidade informações sobre as formas de reduzir, reutilizar e reciclar o lixo.


METODOLOGIA
A elaboração do projeto privilegiava a gestão participativa, visando contar com a participação dos diversos setores da sociedade como forma de garantir, desde a elaboração, que o projeto atendesse às características locais e respeitasse os hábitos e a cultura da comunidade.

O projeto busca incessantemente um diálogo com a sociedade, na tentativa de sensibiliza – lá, através de palestras e atividades lúdico-culturais, entre outras ações, cujo objetivo é Integrar, segmentos como: associações de moradores, escolas, núcleos de educação infantil, universidades, sindicatos, mídias (escrita, televisionada e falada) e clubes, no intuito de propagar ideais que levem à adoção de práticas sustentáveis em relação à produção e o descarte dos resíduos sólidos, objetivando a obtenção de resultados positivos a curto e a longo prazo. As ações constituíra basicamente por palestras, apresentações de vídeos e mutirões para limpeza de determinados locais. Essas palestras seguirão os seguintes passos:

-Conversa introdutória com os moradores sobre o lixo: (O que é o lixo? Como você lida com ele? Qual seu destino?);

- Visita a Escolas com a apresentação de vídeos;

- Visita nas empresas conscientizando sobre a reciclagem dos resíduos e para saber se a mesma já adota alguma medida de conscientização sobre o descarte inadequado desses resíduos;

- Explanação sobre o destino do lixo domiciliar (explicação sobre as diferenças entre lixão, aterro controlado e aterro sanitário);

- Diferenças entre lixo orgânico (úmido) e lixo reciclável (seco);

-Orientação sobre horários de coleta no bairro e o cuidado com o acondicionamento do lixo doméstico (Ponto principal da palestra).

No que se refere aos resíduos sólidos, especificamente, são fundamentais:

- A internalização do conceito dos 3 Rs (Reduzir o consumo e a geração; Reutilizar e Reciclar).

- Diminuição do desperdício e mudanças no padrão de consumo.

- Descarte adequado do lixo, com a separação, quando possível, dos materiais recicláveis na fonte geradora.

- Geração de trabalho e renda associada aos resíduos.

-A promoção do tratamento e disposição final ambientalmente saudável dos resíduos.



CRONOGRAMA



Atividades

Data de execução (2015)

Visita as Escolas

Março-Abril

Visita as Empresas

Abril-Maio

Visita Domiciliar

Maio-Junho


RECURSOS NECESSÁRIOS

Materiais

Custo (R$)

Data show

300,00

Confecção dos cartazes

50,00

Panfletos

150,00

Combustível

300,00







Total

800,00


RESULTADOS ESPERADOS


Os resultados a serem alcançados durante o processo serão os conhecimentos adquiridos pela sociedade para que possam replicar de forma melhorada o que será feito na cidade de Mossoró com a sua conscientização sobre o descarte inadequado dos resíduos sólidos. Deve ser bem entendido pela sociedade que a busca da eficácia dos serviços não deve ser medida apenas em função do ponto de vista da limpeza das ruas e do sistema de tratamento e disposição final de lixo, mas, também, em função do envolvimento do cidadão no processo de manutenção da limpeza da cidade e da inserção social dos catadores de materiais recicláveis e de suas famílias.

REFERÊNCIAS

BESEN, G. R. et al. Resíduos sólidos: vulnerabilidades e perspectivas. In: SALDIVA P. et al. Meio ambiente e saúde: o desafio das metrópoles. São Paulo: Ex Libris, 2010.


CATAPRETA, C.A.A; HELLER, L. Associação entre coleta de resíduos sólidos domiciliares e saúde, Belo Horizonte (MG), Brasil. Rev Panam Salud Publica/Pan Am J Public Health 5(2), 1999.
EPA – Environment Protection Agency. Climate Change and Waste. Reducing Waste Can Make a Difference. Disponível em: .
JACOBI, P. R.; BESEN, G. R.. Gestão de resíduos sólidos em São Paulo: desafios da sustentabilidade. Estudos Avançados, 25 (71), 201.
OMS – Organização Mundial da Saúde. The World Health Report 2007 – A safer future: global public health security in the 21st. century. Disponível em: .


©bemvin.org 2016
enviar mensagem

    Página principal