Curso de medicina



Baixar 242,1 Kb.
Página1/3
Encontro11.12.2017
Tamanho242,1 Kb.
  1   2   3

FACULDADE DE CIÊNCIAS MÉDICAS DA PARAÍBA

CURSO DE MEDICINA


  1. IDENTIFICAÇÃO

CURSO: Medicina

EIXO: Desenvolvimento Pessoal e Profissional

MÓDULO HORIZONTAL: Percepção, Consciência, Emoção e Dor - PCED


  1. EMENTA:

Conceitos fundamentais da Psicologia e Psicanálise para a formação do médico. Processos psicológicos básicos (sensação, percepção, emoção). Dor e sofrimento. Ciclos de vida: do nascimento à morte. Processos inconscientes. Mecanismos de defesa. Transferência e contratransferência. Teoria e técnica de entrevista.

  1. OBJETIVOS GERAIS DE APRENDIZAGEM:

Que os alunos ao final do módulo sejam capazes de:

Identificar e lidar com os aspectos emocionais implícitos na relação médico-paciente/ família. Diferenciar as principais manifestações emocionais dos pacientes frente ao adoecer e à dor. Demonstrar procedimentos e técnicas de entrevista médica que contemplem a visão integral do sujeito e que favoreçam uma atuação interdisciplinar e humanística. Distinguir os aspectos do desenvolvimento da personalidade considerando os fatores intra e intersubjetivos no processo de estruturação e funcionamento psíquico. Relacionar os aspectos subjetivos da percepção, emoção, consciência e dor integrando esse conhecimento no exercício da profissão. Desenvolver atitudes que favoreçam o bem estar físico e psíquico do sujeito que esteja sob seus cuidados profissionais, tendo como base os princípios da atenção humanizada em saúde e os princípios éticos que norteiam o exercício da medicina.



  1. OBJETIVOS ESPECÍFICOS:



  • Identificar e lidar com os aspectos emocionais implícitos na relação médico-paciente/ família.

  • Diferenciar as principais manifestações emocionais dos pacientes frente ao adoecer e à dor.

  • Demonstrar procedimentos e técnicas de entrevista médica que contemplem a visão integral do sujeito e que favoreçam uma atuação interdisciplinar e humanística.

  • Distinguir os aspectos do desenvolvimento da personalidade considerando os fatores intra e intersubjetivos no processo de estruturação e funcionamento psíquico.

  • Relacionar os aspectos subjetivos da percepção, emoção, consciência e dor integrando esse conhecimento no exercício da profissão.

  • Desenvolver atitudes que favoreçam o bem estar físico e psíquico do sujeito que esteja sob seus cuidados profissionais, tendo como base os princípios da atenção humanizada em saúde e os princípios éticos que norteiam o exercício da medicina.



  1. CONTEÚDO:



  • Aparelho e funcionamento psíquico

- Processos inconscientes

- Mecanismos de defesa

- Transferência e Contra-transferência


  • Relação médico-paciente-família

  • Anamnese. Técnica de entrevista.

- Ver/olhar/observar. Ouvir/escutar. Curar/cuidar

  • Sensação, Percepção, Consciência, Emoção.

    • Dor e Sofrimento

- Diferentes expressões da dor e sofrimento.

- Mecanismos de defesa contra dor e sofrimento



  • Ciclos de vida : do nascimento à morte



  1. METODOLOGIA:



  • Técnicas de dinâmica de grupo.

  • Estudo de caso

  • Aula expositiva participativa

  • Aula prática em Unidades de Saúde.



  1. PROCEDIMENTOS AVALIATIVOS:



  • Relatório e apresentação do acompanhamento de um paciente com os principais aspectos observados: ambiente físico, emocional e afetivo do paciente, sua relação com a doença, com a família e com a equipe de saúde.

  • Avaliação processual (atividades realizadas em sala de aula, individual e em grupo).

  • Avaliação cognitiva.



  1. BIBLIOGRAFIA BÁSICA:



  1. DAVIDOFF, L.L. Introdução à psicologia. 3 ed. São Paulo: Markon Books, 2001.

  2. EIZIRIK, C. L.O ciclo da vida humana: uma perspectiva psicodinâmica. Porto Alegre: Artmed, 2001.

  3. MELLO FILHO, J. Psicossomática hoje, Porto Alegre, Artmed Editora, 1992.



  1. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR:



  1. BALINT, M. G. O médico seu paciente e a doença. Rio de Janeiro: Ed. Atheneu, 1995.

  2. BRAZELTON, T. B. Momentos decisivos do desenvolvimento infantil. São Paulo: Ed. Martins, 1994.

  3. EIZIRIK, C. L. O ciclo da vida humana: uma perspectiva psicodinâmica. Porto Alegre: Artemed, 2001.

  4. FOUCAULT, M. O nascimento da clínica. 6 ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2004.

  5. FREUD, S. Recomendações aos médicos que exercem a psicanálise. Edição standard das Obras Completas de Sigmund Freud (Vol. XII, pp. 147- 159). Rio de Janeiro: Imago.

  6. GOLSE, B. O desenvolvimento afetivo e intelectual da criança. Porto Alegre: Artmed, 1998.

  7. KÜBLER-ROSS, E. Sobre a morte e o morrer. São Paulo: Ed. Martins, 2005.

  8. NASIO, J. D. O Livro da dor e do amor. Rio de Janeiro: Zahar, 1997.



  1. IDENTIFICAÇÃO

CURSO: Medicina

EIXO Integração Ensino Serviço e Comunidade

MÓDULO HORIZONTAL: Atenção em Saúde III - Abordagem Sistêmica à Família





  1. EMENTA

Instrumentos de atenção familiar: genograma, ciclo de vida, practice e FIRO, como base da integralidade e longitudinalidade dos cuidados à família. Abordagem sistêmica a famílias e grupos. Método clínico centrado no paciente. Comunicação e relação médico-paciente-comunidade no enfoque na clínica ampliada. Educação em Saúde na ESF. Espiritualidade e Saúde. Apoio Matricial na ESF. Interdisciplinariedade na ESF.

  1. OBJETIVOS GERAIS DE APRENDIZAGEM:

Que os alunos ao final do módulo sejam capazes de:

Aplicar o Método Clínico Centrado no Paciente. Compreender a importância da atitude e da ética médica em todos os níveis da rede para a continuidade dos cuidados. Aplicar os instrumentos de atenção familiar. Ampliar seu olhar sobre o processo saúde-doença. Aplicar em seu processo de cuidado os conceitos de clínica ampliada e matriciamento. Desenvolver continuadamente seu potencial como educador em saúde. Considerar a espiritualidade de usuários e famílias na prática da atenção. Trabalhar em grupo com seus pares e com a comunidade



  1. OBJETIVOS ESPECÍFICOS




  • Reconhecer a realidade de saúde e condições de vida da população adscrita às unidades da ESF;

  • Reconhecer a realidade do trabalho das equipes da ESF na região;

  • Participar do atendimento às famílias nas unidades da ESF;

  • Aplicar os principais instrumentos de atenção à família;

  • Identificar a relação entre a dinâmica famíliar com processo saúde-doença;

  • Identificar e debater as condutas adotadas pela equipe de Saúde da Família e pela rede especializada, sob a ótica dos princípios do SUS;

  • Aplicar os fundamentos do método centrado no paciente e da clínica ampliada, privilegiando o primeiro contato, o vínculo, a continuidade e a integralidade do cuidado;

  • Reconhecer a importância da interdisciplinariedade e do trabalho em equipe;

  • Vivenciar o matriciamento em saúde;

  • Comunicar-se adequadamente para atuação médica humanizada, evidenciando seus aspectos científicos, éticos, sociais e espirituais;

  • Refletir criticamente sobre o ideal e a realidade da ESF no Brasil.



  1. CONTEÚDOS



  • Instrumentos de atenção familiar: genograma, ciclo de vida, PRACTICE, FIRO e APGAR

  • Organização dos serviços locais de atenção básica, rede especializada e hospitalar

  • Gestão de cuidados na rede de saúde

  • Comunicação e relação médico-paciente

  • Apoio Matricial e matriciamento no SUS

  • Interdisciplinariedade na ABS

  • Fundamentos da clínica ampliada e do método centrado no paciente

  • Fundamentos da abordagem sistêmica a famílias e grupos

  • Fundamentos de educação em saúde na atenção primária

  • Espiritualidade e Saúde: reflexão sobre as relações entre equipe e paciente




  1. METODOLOGIA

Será utilizada, como referencial pedagógico a problematização, estimulando o aluno à compreensão ampliada das ações utilizadas para a promoção da saúde e prevenção dos principais agravos da população sob cuidados da unidade-campo de estágio. Dentro da realidade possível ao aluno do terceiro semestre, serão propostas vivências de aplicação de instrumentos de atenção familiar e outras atividades junto às equipes de SF e rede especializada, como forma de motivação para esta forma de atenção preconizada pelo ministério da saúde como instância potencialmente transformadora da qualidade da atenção em saúde.

Serão utilizados os seguintes recursos metodológicos:



  • Aulas expositivas dialogadas;

  • Aplicação de instrumentos entre os pares;

  • Exposição de filmes e encenações de situações emblemáticas do tema atenção familiar;

  • Problematização em grupos para definição das principais questões a serem observadas nas práticas a partir dos objetivos da disciplina;

  • Construção pelos alunos das tarefas a serem desenvolvidas nas unidades;

  • Seminários;

  • Estudo individual orientado através de textos;

  • Práticas em serviços de saúde com tarefas definidas a partir de visitas de planejamento.

As aulas teóricas serão desenvolvidas através de exposições dialogadas, sempre precedidas de leituras de textos alusivos ao tema, procurando-se resgatar o conhecimento prévio dos alunos sobre o assunto. A exposição terá no máximo 40 min sendo desenvolvidos após estudos e tarefas/dinâmicas sobre o tema. Por exemplo: explanação sobre as bases teóricas do Practice seguida de exercícios práticos entre os próprios alunos.

As práticas serão desenvolvidas em Unidades de Saúde da Família (máximo de 3 alunos por unidade), CAIS e Hospitais, previamente selecionados, onde se estimulará o aluno a observar as práticas de saúde no contexto da atenção familiar e vivenciar a aplicação de instrumentos básicos de atenção à família.



  1. AVALIAÇÃO

A avaliação será realizada como processo contínuo, pela participação e frequência do aluno nas aulas e no desenvolvimento das práticas, bem como através de prova escrita onde se procurará avaliar o domínio dos assuntos teóricos. Cada encontro prático terá avaliação específica a partir do relatório/apresentação oral pelo aluno dos resultados das tarefas propostas pelo grupo. O seminário final terá pontuação específica. Não haverá possibilidade de reposição de avaliações processuais.

O método de avaliação contínua propiciará uma abordagem individual ou de grupos de alunos, em momentos fora de sala de aula, onde o professor trabalhará conteúdos não adequadamente apreendidos. Será definido horário para esse tipo de atividade, coincidindo com o horário de estudo do aluno, cujo espaço também poderá ser destinado ao atendimento de demandas que partam dos alunos.



  1. BIBLIOGRAFIA BÁSICA



  1. KLOETZEL, K. Medicina Ambulatorial – Princípios Básicos. São Paulo. EPU. 1999.

  2. LEITE, A. J. M. et al. Habilidades de Comunicação com pacientes e famílias. São Paulo: Ed. Sarvier. 2007.

  3. ROUQUAYROL, M. Z. Epidemiologia & Saúde, 6 ed. Rio de Janeiro. MEDSI, 2003.



  1. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR



  1. BARRETO, M. L., CARMO, E. H. Situação de saúde da população brasileira: tendências históricas, determinantes e implicações para as políticas de saúde. Inf. Epidemiol do SUS. Brasília: 1994.

  2. Brasil, Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à saúde. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. Agenda de compromissos para Saúde Integral da Criança e Redução da Mortalidade Infantil. Brasília, 2004;

  3. BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Vigilância Epidemiológica. Doenças Infecciosas e Parasitárias: guia de bolso. 4 ed. Brasília: Ministério da Saúde, 2004

  4. CAMPOS, G. W. S. C. Saúde Paidéia. 3 ed. Editora Hucitec, 2003.

  5. CUNHA, G. T. A Construção da clínica ampliada na atenção básica. São Paulo: Hucitec, 2005.

  6. DUNCAN, Bruce B.. Medicina Ambulatorial: condutas de Atenção Primária Baseadas em Evidências. 3 ed. Porto Alegre: Artemed, 2004.

  7. LOWN, B.; VELOSO, W. A Arte perdida de curar. São Paulo: Editora JSN, 1997.

  8. MINUCHIN, S. Famílias: funcionamento e tratamento. Porto Alegre: Ed Artes Medidas, 1982.

  9. STARFIELD, B. Atenção primária: equilíbrio entre necessidades de saúde, serviços e tecnologia. UNESCO. MS. Brasília. 2002.

  10. WARNER, D.; BOWER, B. Aprendendo e ensinando a cuidar da saúde: manual de métodos, ferramentas e idéias para um trabalho comunitário. Editora Paulus.

SITES:

        • SITE DO Ministério da Saúde: http:// portal.saude.gov.br/ Atenção a Saúde

        • www.unicef.org.br

        • www.Saúde.gov.br / Guias Práticos de Atenção Básica I e II, Cartilha de Vacinas ( para quem quer mesmo saber das coisas),Manual de Normas para saúde da criança na atenção primária – Módulo I – Puericultura Ceará 2002, Guia Alimentar para Crianças Menores de dois anos, Normas alimentares para crianças brasileiras menores de 2 anos.Manual do Hiperdia.

        • www.Saúde.gov.br/editora (Série A. Normas e Manuais Técnicos – Imunização )

        • www.sbp.com.br (Educação Médica continuada/ documentos científicos)

PLANO DE ENSINO

  1. IDENTIFICAÇÃO

CURSO: Medicina

EIXO: Desenvolvimento técnico-científico

MÓDULO: Introdução à Clínica Médica, a Farmacologia e ao Diagnóstico por Imagem – SEMIOLOGIA



  1. EMENTA:

Noções de Biosegurança; Relação médico-paciente; Anamnese e Ectoscopia; Exame físico dos segmentos corporais; Sinais e sintomas nas grandes síndromes.

  1. OBJETIVOS GERAIS DE APRENDIZAGEM:

Que os alunos ao final do módulo sejam capazes de:

Dominar as técnicas de realização da anmenese

Realizar o exame físico geral e especializado;

Ler textos técnicos;

Trabalhar em grupo.


  1. OBJETIVOS ESPECIFICOS:



  • Adotar posturas de biossegurança com relação ao paciente e a si próprio

  • Conduzir a entrevista na perspectiva da abordagem centrada no paciente

  • Construir narrativa, organizando as informações colhidas na entrevista sob o ponto de vista da sua importância e cronologia

  • Estabelecer uma relação adequada com o paciente, compreendendo-os como pessoas e seres bio-psiquico-sociais

  • Perceber as manifestações físicas de sofrimento psíquico

  • Executar as manobras necessárias ao exame físico por segmento corporal: avaliar sinais vitais, exame dos pulsos periféricos, exame das cadeias ganglionares, exame físico da cabeça e pescoço, exame físico do tórax (pulmonar e cardíaco), exame físico do abdome, exame físico do ap. urinário, exame físico neurológico e locomotor

  • Elaborar hipóteses diagnósticas, desenvolvendo o raciocínio clínico

  • Interagir com os colegas para a construção dos trabalhos em grupos

  • Interpretar textos técnicos, estabelecendo uma relação com a prática semiológica



  1. CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:



  1. Noções gerais de Biosegurança:

    1. Cuidados básicos para a prevenção de infecção

    2. Posturas adequadas ao ambiente médico – vestimentas; respeito às regras próprias dos diversos serviços de saúde




  1. Relação médico-paciente:

2.1 Abordagem centrada no paciente

2.2 O acolhimento



    1. Respeito à diversidade de comportamento, crenças e idéias

3 Estudo da Anamnese, em toda sua extensão:

3.1 Identificação da queixa principal, História da Doença Atual, Interrogatório Sintomatológico, Antecedentes Pessoais Fisiológicos, Patológicos e Familiares, História Social + Hábitos e Costumes; Narrativas orais e escritas, relato de caso.


  1. Exame Físico:

4.1 Ectoscopia: Geral e Específica:sinais vitais, pulsos periféricos, cadeias ganglionares

4.2 Exame físico por segmento corporal (Inspeção, Palpação, Percussão e Ausculta):



  • Exame físico da cabeça e pescoço

  • Exame físico do tórax (cardíaco e pulmonar)

  • Exame físico do abdome

  • Exame físico ap. urinário

  • Exame físico locomotor e neurológico



  1. Sinais e sintomas das principais síndromes



  1. METODOLOGIA:



Aulas expositivas dialogadas e problematizadora;

Aulas práticas com os pacientes e simuladas;

Discussão de Observações clínicas;

Discussões de casos clínicos;

Tutoria


CENÁRIOS DE APRENDIZAGEM

Sala de aula;

Enfermarias;

Ambulatórios.


RECURSOS DIDÁTICOS

Quadro, Marcador, Apagador, Projetor de slides, Retroprojetor de Transparências, “Data-show”, Prontuários Médicos, Radiografias e demais exames complementares, Aparelhos (tênsiometro, estetoscópio, diapasão, martelo de percussão, oftalmoscópio, termômetro, balança, negatoscópio, otoscópio).



  1. PROCEDIMENTOS AVALIATIVOS



Três avaliações teóricas: conteúdo relacionado com temas discutidos em sala de aula e aulas práticas. (Peso 5)
Avaliação prática: (Peso 2)

  • Metas a serem atingidas (no mínimo 3 durante o módulo/ atividade supervisionada por docente): (Valor: 3,0)

  1. Realizar anamnese (acolhimento, anamnese completa)

  2. Avaliar sinais vitais (Pressão arterial, freqüência cardíaca, freqüência respiratória, temperatura)

  3. Identificar e realizar a palpação dos pulsos periféricos

  4. Identifcar e realizar palpação das cadeias ganglionares

  5. Executar as manobras necessárias ao exame físico da cabeça e pescoço (inspeção, palpação, percussão e ausculta)

  6. Executar as manobras necessárias ao exame físico do tórax – pulmonar e cardíaco (inspeção, palpação, percussão e ausculta)

  7. Executar as manobras necessárias ao exame físico do abdome (inspeção, palpação, percussão e ausculta)

  8. Executar as manobras necessárias ao exame físico do ap. urinário (inspeção, palpação, percussão e ausculta)

  9. Executar as manobras necessárias ao exame físico locomotor e neurológico (inspeção, palpação, percussão e ausculta)




  • Avaliação prática final (Valor:7,0)

Tutoria: avaliação de aproveitamento das discussões e construção de portfólios. (Peso 3)


Não há reposição para as avaliações práticas e os seminários.

AVALIAÇÃO DA DISCIPLINA

É solicitada aos alunos uma avaliação escrita do módulo e dos professores.



  1. BIBLIOGRAFIA BÁSICA:



  1. KASPER, D.L. et al. Harrison: Medicina interna. 17 ed. Rio de Janeiro: McGraw-Hill, 2008. 2 vols.

  2. LOPEZ, M. Semiologia médica: as bases do diagnóstico clínico. 5 ed. Revinter, 2004. 2 vols.

  3. MURAHOVSCHI, J. Pediatria: diagnóstico e tratamento. 6 ed. São Paulo: Sarvier. 2003.

  4. PORTO, C. C. Semiologia médica. 5 ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2005.

  5. PORTO, C.C. Exame clínico. 6 ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2008.

  6. RODRIGUES, Y. T. Semiologia pediátrica. 2 ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2003.



  1. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR:



  1. BARBOSA, A.D.M. Semiologia pediátrica. 2 ed. São Paulo: Fundação BYK, 2003.

  2. BARROS, E. et al. Exame Clínico. 2 ed. Porto Alegre: Artemed, 2004.

  3. BEVILACQUA, F., BENSOUSSAN, E., JANSEN, J.M.,et al. Manual do exame clínico. 11.ed. Rio de Janeiro: Cultura Médica, 1997.

  4. BRASIL. Ministério da Saúde. Manual de assistência ao recém-nascido: manual técnico. Brasília: Ministério da Saúde, 2002.

  5. MARCONDES, E. Pediatria básica. 9 ed. Filadélfia: Sarvier, 2002.

  6. MIURA, E. Neonatologia. Porto Alegre: Artes Médicas, 1991.

  7. PERNETTA, C. Semiologia pediátrica. 5 ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1990.

  8. RAMOS JR., J. Semiotécnica da observação clínica. 7.ed. São Paulo, Sarvier, 1995.

  9. ROMEIRO, V. Semiologia médica. 12 ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1980.

  10. SIMÕES, A. Manual de Neonatologia. Rio de Janeiro: Guanabara, 2002.

  11. SURÓS, J. Semiologia médica & técnica exploratória. 6 ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1981.

PLANO DE ENSINO

  1. IDENTIFICAÇÃO

CURSO: Medicina

EIXO: Desenvolvimento técnico-científico

MÓDULO VERTICAL: Introdução à Clínica Médica, a Farmacologia e ao Diagnóstico por Imagem - FARMACOLOGIA



  1. EMENTA:

Introdução a farmacologia: conceitos básicos, farmacologia geral, mecanismos farmacocinéticos relacionados a vias de administração, absorção, distribuição, biotransformação e excreção de fármacos. Farmacodinâmica: mecanismo de ação dos fármacos, receptores farmacológicos, relação dose-efeito interação medicamentosa, reações adversas dos fármacos. Introdução a farmacologia sistemática.

  1. OBJETIVOS GERAIS DE APRENDIZAGEM:

Que os alunos ao final do módulo sejam capazes de:

Articular e aplicar os saberes de farmacologia na prática médica, compreendendo os aspectos farmacocinéticos, farmacodinâmicos e de interação farmacológica dos fármacos.



  1. CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:

UNIDADE I: 30 h

  1. Introdução à Farmacologia: Conceitos básicos. O surgimento de novos medicamentos.

  2. Vias de absorção de medicamentos e as Formas Farmacêuticas mais comuns.

  3. Farmacocinética: Absorção, distribuição, biotransformação, biodisponibilidade, bioequivalência e excreção de fármacos.

  4. Farmacodinâmica: Mecanismo de ação dos medicamentos, curvas de concentração sangüínea de medicamentos, platô terapêutico, Relação dose-resposta;

  5. Reações adversas aos medicamentos (RAMs). Interação medicamentosa.

UNIDADE II: 30 h

  1. Farmacologia autônoma

  2. Antihistamínicos

  3. Antiinflamatórios

  4. Farmacologia hematológica

  5. Farmacologia cardiovascular

  6. Farmacologia endócrina

  7. Quimioterápicos

  8. Anestésicos e analgésicos



  1. METODOLOGIA:

O módulo utilizará como estratégia pedagógica, para alcançar os objetivos definidos, aulas expositivas, estudos dirigidos e discussão em grupo e seminários envolvendo os conceitos relacionados com cada conteúdo.

  1. AVALIAÇÃO:

A avaliação será realizada como um processo contínuo, através do acompanhamento das atividades realizadas, individual ou coletivamente, e avaliações cognitivas.

  1. BIBLIOGRAFIA BÁSICA



  1. KATZUNG, B. G. Farmacologia básica e clínica. 9 ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2006.

  2. RANG, H. P; DALE, M. M; RITTER, J. M. Farmacologia. 6 ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2007.

  3. SILVA, P. Farmacologia. 7 ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2006.



  1. Bibliografia Complementar



  1. FUCHS, F.D.; WANNMACHER, L.; FERREIRA, M.B.C. Farmacologia clínica. 3 ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2004.

  2. GOODMAN, L.S.; GILMAN, A. As bases farmacológicas da terapêutica. 10 ed. Rio de Janeiro: McGraw-Hill, 2003.

PLANO DE ENSINO

  1. IDENTIFICAÇÃO

CURSO: Medicina

EIXO: Desenvolvimento técnico-científico

MÓDULO VERTICAL: Introdução à Clínica Médica, a Farmacologia e ao Diagnóstico por Imagem - IMAGEM



  1. EMENTA:

O presente módulo oferece uma visão extensa do Diagnóstico por Imagem. Inicia-se com a um histórico resumido da especialidade e segue com os princípios básicos da formação da imagem por cada um dos métodos, quando são salientadas as propriedades físico-químicas das energias empregadas e suas interações com dos órgãos e tecidos. O papel dos meios de contraste, orais e endovenosos, também é introduzido nesse momento. Aborda-se então a anatomia de cada sistema do corpo, considerando-se a peculiar sobreposição de imagens das radiografias convencionais e a apresentação seccional dos demais métodos. Finalmente, a investigação por imagem das doenças é discutida, salientando-se as indicações clínicas de cada método e os aspectos clássicos de apresentação dos processos mais prevalentes de cada sistema do corpo.

  1. OBJETIVOS GERAIS DE APRENDIZAGEM:

Que os alunos ao final do módulo sejam capazes de:

Compreender a natureza das radiações e suas interações com os tecidos. Reconhecer órgãos e estruturas anatômicas nas imagens de todos os métodos. Aplicar os conceitos básicos das propriedades e das limitações de cada exame, para que possam indicá-los de forma racional na investigação das doenças mais prevalentes no nosso meio.

  1. CONTEÚDO:

Unidade I:

Breve histórico dos métodos de diagnóstico por imagem

Bases da física das energias e e seus efeitos sobre os tecidos

Formação das imagens

Radiografias convencionais

Mamografia

Tomografia computadorizada

Ultra-sonografia

Ressonância magnética

Medicina nuclear


  1   2   3


©bemvin.org 2016
enviar mensagem

    Página principal