Cúpula dos Povos Território Global das Mulheres Programação Rio+20: uma conferência sobre o futuro do planeta e da humanidade



Baixar 30,94 Kb.
Encontro30.06.2017
Tamanho30,94 Kb.
Cúpula dos Povos

Território Global das Mulheres

Programação
Rio+20: uma conferência sobre o futuro do planeta e da humanidade

De 15 a 22 de Junho de 2012, o Rio de Janeiro será sede da Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, a chamada Rio+20. O evento celebrará os 20 anos da ECO92, a Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento, considerada até hoje a mais importante conferência ambiental mundial por ter incorporado os desafios ambientais e climáticos na agenda política global e ter consagrado o conceito de “desenvolvimento sustentável”.

Diante da crise econômica, financeira, alimentar, energética e climática que o mundo vive, a Rio+20 reveste-se de importância especial, dado o tamanho e diversidade da problemática que acolhe, e da im­portância que tem para os movimentos sociais do mundo inteiro.

Frente aos grandes desafios da vida no planeta, os temas que estão na pauta oficial são (i) a economia verde no contexto de er­radicação da pobreza e (ii) a governança ambiental global. Do ponto de vista dos movimentos so­ciais, muitas são as críticas que se fazem fazemos tanto ao novo conceito de “economia verde” quanto ao conjunto de mecanismos paliativos da crise ambi­ental, as chamadas soluções de mercado, e também à falta de eficiência e de legitimi­dade da institucionalidade internacional que não tem sequer cumprido com os acordos até agora assinados.

O que é preciso discutir em 2012 é muito mais do que isso, e os movimentos sociais estamos aqui disputando o sentido de tais temas. É necessária e urgente a mudança de paradigma civilizatório e dos padrões de produção e consumo. É urgente dizer um basta à falta de compromisso dos governos com a implementação de políticas sustentáveis, a começar pelos acor­dos já assinados. É imprescindível denunciar que as soluções não podem ser de mercado. É premente a redistribuição da riqueza e a reapropriação dos territórios, dos bens comuns e dos corpos e mentes de homens e mulheres para ex­ercer o exercício de uma cidadania soberana. É a busca, enfim, da equidade igualdade e da justiça social e ambiental.
Frente aos desafios da crise civilizatória que vive o mundo, nós mulheres estamos aqui para debater e visibilizar nossas visões e perspectivas autônomas frente às instituições internacio­nais, às corporações capitalistas e aos governos e poderes naciona­is, buscando constituir um marco plural que valorize a diversidade e que some esforços e estimule convergências e agendas comuns dos movimentos sociais para mudar mentes e corações, no caminho por superar os atuais padrões de produção e consumo, promotores de desigualdades e de exploração sem limites da natureza e dos seres humanos.

Contra a mercantilização da vida e em defesa dos bens comuns da humanidade.

Pelo direito a justiça socioambiental .

Pela equidade (igualdade) entre homens e mulheres de todas as raças e etnias.

Por um mundo sem desigualdades, sem sexismo, sem racismo e sem homofobia.

Por um mundo de iguais e diversos, em harmonia com a Natureza.

.

Programa de atividades

15 – 22 de junho de 2012.
Dias 15, 16 e 17 - Chegada das Caravanas na Casa Feminista - CIEP Tancredo Neves, Rua do Catete N XXX, Catete.
Dia 17: Manhã e Tarde: Plenárias de Convergência
17 à noite: Vigília da Cúpula dos Povos.
Dia 18 – ManhãTerritório Global das Mulheres - Tenda 4

Plenária sobre Energia e Indústrias Extrativas

Aterro do Flamengo, na altura da Rua Silveira Martins


8:00h - Boas vindas / Mística/Ritual
8:30 – 10:30 horas – Tribuna das mulheres: direitos e justiça socioambiental

Temas: nosso corpo, nosso território; direitos das mulheres, direitos sexuais e reprodutivos, racismo ambiental, violências e injustiças nos territórios, impactos das mudanças climáticas e desastres naturais, lutas de resistência nas comunidades.
METODOLOGIA:

  • 20 MIN contextualização do tema pelas redes convocantes.

  • 60 MIN intervenção das participantes

  • 15 MIN sistematização das convergências

10:30h - Saída para a Passeata Unificada das Mulheres.


Passeata das Mulheres

saída do MAM, no Aterro, para o Largo da Carioca.


12:30h – Ato Conjunto das Mulheres – Largo da Carioca.
14:00h - Retorno à Cúpula dos Povos. Participação nas Plenárias de Convergência.
18:00h - Atividades Culturais
Dia 19: Manhã - Território Global das Mulheres
9:00h - Tribuna das Mulheres: modelo de desenvolvimento, energia e industrias extrativas.

Temas: as mulheres nas lutas de resistências às barragens (Belo Monte), à Angra III, Quilombo de Alcântara/MA, aos megaprojetos, à mineração, às remoções e aos mecanismos de mercado, etc.
METODOLOGIA:

  • 20 MIN contextualização do tema pelas redes convocantes

  • 60 MIN intervenção das participantes

  • 15 MIN sistematização das convergências


11:00h - Tribuna das Mulheres: defesa dos bens comuns e contra a mercantilização da vida.

Temas: Lutas em defesa da água, das culturas tradicionais, da Internet e o software livre, dos bens intangíveis; proteção, acesso e uso democrático dos bens comuns, contra a mercantilização da vida.
METODOLOGIA:

  • 20 MIN contextualização do tema pelas redes convocantes

  • 60 MIN intervenção das participantes

  • 15 MIN sistematização das convergências

- Próximos passos nas lutas (agenda de campanhas e articulações)


13:00h Almoço
14:00h - Assembleia dos Povos:

Causas estruturais da crise e as falsas soluções de mercado. Onde?

Dia 20: Mobilização Global – Cúpula dos Povos.

O que? Onde? Acho que pode por a informação sintética




Dia 21: Manhã - Território Global das Mulheres
hora - Tribuna das Mulheres: contribuição das mulheres para as soluções e os novos paradigmas
9:00h – Tribuna das mulheres: Mulheres Rurais, soberania alimentar e acesso à terra.

Temas: Lutas contra o agronegócio, a concentração da terra, os transgênicos, os agrotóxicos. As respostas das mulheres desde a agricultura familiar, a agroecologia e a reforma agrária.
METODOLOGIA:

  • 20 MIN contextualização do tema pelas redes responsáveis

  • 60 MIN intervenção das participantes

  • 15 MIN sistematização das convergências


11:00h - Tribuna das Mulheres: trabalho - por uma outra economia e novos paradigmas de sociedade.

Temas: trabalho produtivo e reprodutivo, desigualdades e discriminações, respostas desde a economia solidaria, a economia do cuidado e os direitos das trabalhadoras.
METODOLOGIA:

  • 20 MIN contextualização do tema pelas redes convocantes

  • 60 MIN intervenção das participantes

  • 15 MIN sistematização das convergências

Como seguiremos juntas estas lutas? (agenda de campanhas e articulações)
14:00h - Assembleia dos Povos: Nossas soluções

onde?
Dia 22:



8:30 h - Assembleia dos Povos – Agenda de Lutas e Campanhas.

Onde?
Tarde: ATO de ENCERRAMENTO.


Movimentos e redes que convocam estas ações:

  1. ABGLT- Associação Brasileira de Gays, Lésbicas, Travestis e Transexuais

  2. ABL- Articulação Brasileira de Lésbicas

  3. AFA - Asian Farmer Association

  4. AFM – Articulacion Feminista Marcosul;

  5. AMB – Articulação de Mulheres Brasileiras;

  6. AMNB – Articulação de Mulheres Negras Brasileiras;

  7. ANP – Articulação Nacional de Pescadoras;

  8. AROAJ - Asociación Raxch’och’ Oxlaju Aj - Guatemala

  9. CENERAB – Centro Nacional de Religiosidade e Resistência Afro Brasileira;

  10. CIR - Conselho Indígena de Roraima - Secretaria de Mulheres;

  11. CLADEM - Comité de América Latina y el Caribe para la Defensa de los Derechos de la Mujer;

  12. CONAMI - Conselho Nacional de Mulheres Indígenas;

  13. CONEN- Coordenação Nacional de Entidades Negras;

  14. DAWN - Development Alternatives with Women for a New Era;

  15. ECMIA - Enlace Continental de Mujeres Indígenas de las Américas;

  16. FEMUCARINAP - Federación Nacional de Mujeres Campesinas, Artesanas, Indígenas, Nativas y Asalariadas del Perú;

  17. Fórum Nacional de Reforma Urbana - GT Gênero e Raça;

  18. Fórum Social PanAmazonico;

  19. Huairou Commission

  20. IATP - Institute for Agriculture and Trade Policy;

  21. Marcha das Margaridas/CONTAG

  22. MIQCB – Movimento Interestadual de Quebradeiras de Coco Babaçu.

  23. MMC – Movimento de Mulheres Camponesas;

  24. Mulheres do Xingu Vivo para Sempre; 

  25. RECID – Rede de Educação Cidadã;

  26. REPEM – Red de Educacióm Popular entre Mujeres;

  27. Red de Mujeres Afrolatinoamericanas Afrocaribeñas y La Diáspora;

  28. Red Latinoamericana de Católicas por el Derecho a Decidir;

  29. Red Mujeres e Habitat

  30. Rede de Mulheres da AMARC -

  31. Rede de Mulheres em Comunicação

  32. Rural Women´s Assembly - África do Sul;

  33. WIDE - Globalizing Gender Equality and Social Justice;

  34. UNITIERRA Guatemala.


©bemvin.org 2016
enviar mensagem

    Página principal