Colégio Estadual do Campo Adélia Rossi Arnaldi. E. F. M



Baixar 1,25 Mb.
Página1/13
Encontro25.08.2018
Tamanho1,25 Mb.
  1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   13


Colégio Estadual do Campo Adélia Rossi Arnaldi. E.F.M.




PROPOSTA PEDAGÓGICA CURRICULAR

ENSINO MÉDIO

PARANAVAÍ – PARANÁ









SUMÁRIO



APRESENTAÇÃO....................................................................................................... 3

IDENTIFICAÇÃO DA ESCOLA................................................................................... 5

ORGANIZAÇÃO DA ENTIDADE ESCOLAR.............................................................. 6

ENSINO MÉDIO: Características............................................................................... 8

MATRIZ CURRICULAR ESCOLAR DO ENSINO MÉDIO: Matutino..........................10

MATRIZ CURRICULAR ESCOLAR DO ENSINO MÉDIO: Noturno...........................11

CURRÍCULO DAS DISCIPLINAS DO ENSINO MÉDIO

BASE NACIONAL COMUM

- Arte...........................................................................................................................12

- Biologia.....................................................................................................................25

- Educação Física.......................................................................................................41

- Filosofia....................................................................................................................53

- Física........................................................................................................................67

- Geografia .................................................................................................................79

- História ....................................................................................................................91

- Língua Portuguesa.................................................................................................106

- Matemática.............................................................................................................122

- Química .................................................................................................................137

- Sociologia...............................................................................................................147

PARTE DIVERSIFICADA

- CELEM - Língua Estrangeira Moderna – Espanhol...............................................160

- Língua Estrangeira Moderna – Inglês....................................................................172



PROPOSTA PEDAGÓGICA CURRICULAR

1 APRESENTAÇÃO
Uma análise da conjuntura mundial e brasileira revela a necessidade de construção de uma educação básica voltada para a cidadania.

Isso não se resolve apenas garantindo a oferta de vagas, mas sim oferecendo um ensino de qualidade, ministrado por professores capazes de incorporar ao seu trabalho os avanços das pesquisas nas diferentes áreas de conhecimento e de estar atentos às dinâmicas sociais e suas implicações no âmbito escolar.

A proposta foi desenvolvida a partir da necessidade de apontar e desenvolver indicativos que pudessem oferecer alternativas didáticas pedagógicas para a organização do trabalho pedagógico, a fim de atender às necessidades e às expectativas das escolas e dos professores na estruturação do currículo. Consiste na possibilidade objetiva de pensar a escola a partir de sua própria realidade, privilegiando o trabalho coletivo.

Conceber o processo de aprendizagem como propriedade do sujeito, implica valorizar o papel determinante da interação com o meio social e, particularmente, com a escola. Situações escolares de ensino-aprendizagem são situações comunicativas, nas quais os alunos e professores participam, com uma influência decisiva para o êxito do processo.

A escola preza pela ação prioritária de trabalho com o conhecimento para o exercício pleno da cidadania, um instrumento que contribui para a transformação social. Uma escola em que, ao se trabalhar os saberes, por meio do processo de ensino e aprendizagem, promovam quem aprende e quem ensine e, nessa simbiose, seja produzida as bases de uma nova sociedade que se contraponha ao modelo gerador de desigualdades e exclusão social que impera nas políticas educacionais de inspiração neoliberal.

A proposta curricular terá a base disciplinar, ou seja, a ênfase é nos conteúdos científicos, nos saberes escolares das disciplinas que compõem a grade curricular.

É fundamental que os problemas da prática social sejam enfrentados e passem de uma ação assistemática para a da sistematização, com a clareza e transparência necessária à compreensão de todos os sujeitos envolvidos na dinâmica escolar.

Como orientações gerais ficaram estabelecidas o compromisso com a redução das desigualdades sociais; a articulação das propostas educacionais com o desenvolvimento econômico, social, político e cultural da sociedade; a defesa da educação básica e da escola pública, gratuita de qualidade como direito fundamental do cidadão; a articulação de todos os níveis e modalidades de ensino; e a compreensão dos profissionais da educação como sujeitos epistêmicos. A velha dicotomia entre fazer e pensar precisa ser rompida com ações efetivas. Reconhecer que o professor é o sujeito que pensa, cria, produz e trabalha com o conhecimento, é valorizar a sua ação reflexiva e sua prática.

Nos últimos anos o Brasil tem avançado em direção à democratização do acesso e da permanência dos alunos na escola. A aprovação da lei 11.274/06 faz a alteração do ensino fundamental de oito para nove anos, transformando o último ano da educação infantil no primeiro ano do ensino fundamental com matrícula obrigatória aos seis anos.

Neste contexto, é essencial a (re) organização da escola, para isso, rever a sua estrutura, as formas de gestão, os ambientes, os espaços, os tempos, os materiais, os conteúdos, as metodologias, os objetivos, o planejamento e a avaliação, para que os educandos se sintam inseridos e acolhidos num ambiente propício à aprendizagem. É assegurar que a transição para os diferentes sistemas de ensino ocorra da forma mais natural possível, não provocando rupturas e impactos negativos no seu processo de escolarização.

Assim, caberá ao conjunto da comunidade escolar, impulsionado pelos sistemas, a sistematização do comprometimento de todos com aquilo que é relevante para orientar as ações da escola em busca de um ensino de qualidade.

2 IDENTIFICAÇÃO DA ESCOLA

2.1 - Colégio Estadual do Campo Adélia Rossi Arnaldi. E.F.M.

Código: 0943

2.2 - Município: Paranavaí

Código: 1860

2.3 - Dependência Administrativa

Estadual

Código: 0943





    1. - N R E: Paranavaí

Código: 22



    1. - Entidade Mantenedora

Governo do Estado do Paraná



    1. Ato de Autorização de Funcionamento da Escola/Colégio

Resolução nº. 3.892/77 de 15/09/1977



    1. Ato de Reconhecimento da Escola/Colégio

Resolução: 2.812/81 de 30/12/1981



    1. Parecer do NRE de Aprovação do Regimento Escolar

Nº. 195/05 de 01/02/2005



  1. ORGANIZAÇÃO DA ENTIDADE ESCOLAR

3.1 – Níveis e Modalidades de Ensino

Ensino Fundamental Anos Finais- 6ª/9ª anos

Ensino Médio: Anual

Educação Especial - Sala de Recursos


    1. – Quadro Geral de Pessoal

N° de Turmas: 18

N° de Alunos: 490

N° de Professores: 60

N° de Pedagogos: 03

N° de Funcionários: Agente Educacional I: 08

Agente Educacional II: 03

N° de Diretores Auxiliares: 0


    1. - Turnos de Funcionamento

Manhã, Tarde e Noite.


    1. - Ambientes Pedagógicos

Sala de Recursos

Sala de Apoio

Laboratório de Ciências, Física, Química e Biologia.

Biblioteca

CELEM

Laboratório de Informática




    1. – Organização do Tempo Escolar

Ensino fundamental: ano

Ensino Médio: 1º ano anual – 2º e 3º ano - Organização por Blocos de Disciplinas Semestrais




    1. – Organização Curricular

Disciplina


    1. – Como são ofertados os estudos sobre o Paraná

Interdisciplinarmente


    1. – Avaliação: Formas de Registro

Notas


    1. – Periodicidade da Avaliação

Ensino fundamental: Trimestral

Ensino Médio: trimestral


3.10 – Intervenções Pedagógicas

Recuperação de Estudos

Sala de Apoio

Atendimento Individualizado

Sala de Recursos

Atividade Complementar Curricular em Contraturno

Aulas Especializadas de Treinamento Esportivo


    1. - Estratégias para articulação escola/família/comunidade

Reuniões de acompanhamento

Bimestral/Trimestral

Atendimento Individualizado

Palestras

Festividades


    1. – Instâncias Colegiadas

Grêmio Estudantil

Conselho Escolar

APMF

Conselho de Classe


4 ENSINO MÉDIO: CARACTERÍSTICAS
O Ensino Médio é a etapa final da Educação Básica, responsável pela formação de jovens alunos que buscam a integração ao mundo contemporâneo, nas dimensões fundamentais da cidadania e do trabalho por meio do conhecimento científico.

(...) é preciso que o ensino médio defina sua identidade como última etapa da educação básica mediante um projeto que, conquanto seja unitário em seus princípios e objetivos, desenvolva possibilidades formativas, contemplem as múltiplas necessidades socioculturais e econômicas dos sujeitos que o constituem – adolescentes jovens e adultos, reconhecendo-os não como cidadãos e trabalhadores de um futuro indefinido, mas como sujeitos de direitos no momento em que cursam o ensino médio. (RAMOS apud CIAVATA, 2004, p. 41).

Será necessário, então, considerar as dimensões formadoras do sujeito: a complexidade histórica, social e a singularidade. Ou seja, o estudante do Ensino Médio é uma pessoa de tempo histórico específico, que sofre as influências dos movimentos e das determinações deste tempo vivido. É uma pessoa que tem uma origem social, que marca sua constituição enquanto sujeito. Porém, não se reduz a estas circunstâncias históricas e sociais porque é, também, um ser singular, alguém que interpreta e dá um sentido ao mundo, à sua vida e à sua história. (CHARLOT, 2000).

Assegurar a valorização da cultura dos povos para que o aluno possa compreender o mundo e sua relação com ele. Neste contexto, a escola atende uma parcela diferenciada de educandos do Ensino Médio que moram em conjuntos habitacionais, bairros novos, em sítios, vilas rurais e no próprio distrito, e por essa demanda de alunos a escola passou a ser denominada de Escola de Campo, pela referência à identidade, cultura e os valores relacionados à vida na terra, fator marcante na comunidade onde se encontram assalariados rurais, boias-frias, arrendatários, vileiros rurais, pequenos proprietários, sitiantes.

Assim, construir uma identidade para o Ensino Médio pressupõe levar em consideração a complexidade desses sujeitos e pensar num currículo que contribua para sua formação crítica. Para isso, um começo fosse apresentar-lhes os saberes escolares de um ponto de vista questionador, contextualizados, numa perspectiva interdisciplinar, quebrando a rigidez que a legitimidade social e o estatuto de verdade dão a eles.

Os atuais marcos legais para oferta do ensino médio, consubstanciados na Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (nº. 9394/96), representam um divisor na construção da identidade da terceira etapa da educação básica brasileira.



Dois aspectos merecem destaque. O primeiro diz respeito às finalidades atribuídas ao ensino médio: o aprimoramento do educando como ser humano, sua formação ética, desenvolvimento de sua autonomia intelectual e de seu pensamento crítico, sua preparação para o mundo do trabalho e o desenvolvimento de competências para continuar seu aprendizado. (Art. 35). O segundo propõe a organização curricular com os seguintes componentes:

  • Base nacional comum, a ser complementada, em cada sistema de ensino e estabelecimento escolar, por uma parte diversificada que atenda a especificidades regionais e locais da sociedade, da cultura, da economia e do próprio aluno (Art. 26);

  • Planejamento e desenvolvimento orgânico do currículo, superando a organização por disciplinas estanques;

  • Integração e articulação dos conhecimentos em processo permanente de interdisciplinaridade e contextualização;

  • Proposta pedagógica elaborada e executada pelos estabelecimentos de ensino, respeitadas as normas comuns e as de seu sistema de ensino;

  • Participação dos docentes na elaboração da proposta pedagógica do estabelecimento de ensino.


  1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   13


©bemvin.org 2016
enviar mensagem

    Página principal