Chanceler Nilton Costa Lins Júnior Presidente da Mantenedora



Baixar 3,01 Mb.
Página6/14
Encontro02.07.2017
Tamanho3,01 Mb.
1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   14



5ª Série

 

DISCIPLINA

FENÔMENOS DOS TRANSPORTES

EMENTA

Propriedades dos fluidos. Estática dos fluidos. Equações básicas de escoamento. Análise dimensional. Efeitos viscosos. Escoamento compressível. Transferência de calor.

REFERÊNCIAS BÁSICAS

FOX, R. W. MCDONALD, A. T. Introdução à Mecânica dos Fluidos. 6. ed. Rio de Janeiro: LTC, 2001. 5. Ed. 1998 .

HALLIDAY, David; RESNICK, Robert; KRANE, Kenneth S. Física 1, 4ª Edição. Rio de Janeiro: LTC, 1996. 5 ed. 2003 / 4 ed. 1996.

SEARS, F; ZEMANSKY, M. W.; YOUNG, H. D. Física 1: mecânica da partícula e dos corpos rígidos. 2. ed. 1999.

SEARS, F; ZEMANSKY, M. W.; YOUNG, H. D. Física 2: mecânica dos fluidos, calor, movimento ondulatorio. 2. ed. 1997.

MUNSON, Bruce R; YOUNG, Donald; OKIISHI, Theodore H. Fundamentos da Mecânica dos Fluidos. 2. Ed, Volume I e II. São Paulo: Edgar Blücher, 1994. V 1 – 2. Ed. 2004 / v 2 – 2.ed. 1997


REFERÊNCIAS COMPLEMENTARES

BUECHE, Frederick Joseph. Física Geral. São Paulo: McGraw-Hill do Brasil.

SCHIOZER, Dayl. Mecânica dos Fluidos, 2ªEdição, Rio de Janeiro: LTC, 1996.

YOUNG, H. D. e FREEDMAN, R. A. FÍSICA I. 10ª ed., v.1, São Paulo: Adison Wesley, 2008.

SERWAY, R. A.; JEWETT, Jr. J. W. PRINCÍPIOS DE FÍSICA. v.2, São Paulo: Pioneira Thomson Learning, 2004.

MERIAN, J. L. e KRAIGE, L. G., MECÂNICA: DINÂMICA, v.2, Rio de Janeiro: LTC, 2004.


DISCIPLINA

ELETROMAGNETISMO

EMENTA

Campos eletrostáticos, Lei de Coulomb. Densidade de fluxo elétrico e Lei de Gauss.Potencial elétrico escalar estático. Densidade de energia armazenada no campo elétrico. Materiais condutores e dielétricos. Resistência e Capacitância. Equações de Poisson e de Laplace, Lei de Biot-Savart. Densidade de fluxo e Lei Ampère. Potenciais magnéticos
estéticos, vetoriais e escalar. Força e torques de origem magnética. Condições de contorno magnéticas. Densidade de energia armazenada no campo magnético, Força em materiais magnéticos. Campos Elétricos e Magnéticos variando no tempo. Lei de Faraday. Indutância própria e mútua. Equações de Maxwell.

REFERÊNCIAS BÁSICAS

Diniz, A. B. e Freire, G. F. O., “Ondas eletromagnéticas”, Livros técnicos e Científicos, Rio de Janeiro, 1973.

Kraus, J. D. and Carver, K. R., “Electromagnetics”, McGraw-Hill, New York, 1973.

Mariotto, P. A., Ondas e Linhas, Ed. Guanabara Dois, 1981. Ramo, S., J. R.

Mettick, R. E., “Transmission Lines for Digital and Communication Networks”, McGraw Hill, 1969.

Ramo, S. et. al., “Fiels and waves in communication electronics”, 3rd ed., John Wiley, New York, 1994.


REFERÊNCIAS COMPLEMENTARES

Ramo, S.; Whinnery, J. R.; Duzer, T. V.; Campos e Ondas em Eletrônica das Comunicações; Ed. Guanabara Dois S.A. Rio de Janairo – RJ

Whinnery J. R. and Duzer, T. V., “Fieds and Waves in Communication Eletronics”, Wiley, Toppan, 1985.



DISCIPLINA

CONVERSÃO DE ENERGIA

EMENTA

Materiais magnéticos: estudo, classificação e fenômenos físicos associados. Estruturas eletromagnéticas com e sem entreferro: modelos de estudo, analogia e equivalência. Acoplamento magnético. O transformador ideal. O transformador real: estudo em vazio e em carga, regulação, rendimento. Transformadores trifásicos. Transformadores especiais. A transformação da energia em movimento. O balanço de energia. Conversores translacionais. Conversores rotativos

REFERÊNCIAS BÁSICAS

FALCONE, A. G. “ELETROMECÂNICA”, - Editora Edgard Blucher Ltda.

DEL TORO, V. Fundamentos de Máquinas Elétricas. Editora Pretice Hall, 1994.



REFERÊNCIAS COMPLEMENTARES

FITZGERALD, A. “Electric Machinary”, - Kogakusha Co. Ltd.

DISCIPLINA

ELETRÔNICA ANALÓGICA II

EMENTA

Estágios Básicos de Amplificadores BJT e FET em baixa freqüência; Amplificadores operacionais: estrutura interna, medidas dos parâmetros, especificações, tipos especiais, estabilidade, compensação, aplicações lineares (filtros ativos, integradores,
diferenciadores, computação analógica) e não lineares (amplificadores logarítmicos, amplificadores exponenciais, comparadores, etc.); Resposta em freqüência de amplificadores; Amplificadores realimentados : ganhos de malha aberta e fechada, sensibilidade e configurações; Reguladores e Referências de Tensão.
Laboratório: Projeto de amplificadores em baixa freqüência; Análise da resposta em freqüência de amplificadores; Projeto de fonte regulada; Circuitos amplificadores de potência; Circuitos osciladores.

REFERÊNCIAS BÁSICAS

Analylis and Design of Analog Integrated Circuits, Paul R. Gray & Robert G. Meyer, second Edition, John Wiley /7 Sons, 1977

Dispositivos Eletrônicos e Teoria de Circuitos, Robert Boylestad e Louis Nashelsky, Sexta Edição, Prentice Hall do Brasil, 1998

Applied Electronic Instrumentation and Measurement, David Buchla & Wayne Mclachlan, Merrill, 1992


REFERÊNCIAS COMPLEMENTARES

Eletrônica, vol. 01 e 02, Millman & Halkias, Mc Graw Hil, Segunda Edição, 1981, Brasil.

Microelectronics, Jacob Millman & Arvin Grabel, Second Edition, Mc Graw Hill, 1988



DISCIPLINA

ELETRÔNICA DIGITAL

EMENTA

Conceitos lógicos. Circuitos básicos. Minimização de funções Booleanas. Sistemas de numeração. Aritmética binária. Códigos. Circuitos a contatos. Síntese de circuitos combinacionais. Circuitos de memória. Circuitos seqüenciais. Projeto de circuitos seqüenciais. Considerações sobre a velocidade de operação dos circuitos digitais.

REFERÊNCIAS BÁSICAS

DIAS, Francisco José de Oliveira, Circuitos de Chaveamento, São Paulo, Escola Politécnica da Universidade de São Paulo, 1981.

HILL, Frederick J, PETERSON, Gerald R. Switching Theory & Logic Design, USA, Jonh Wiley & Sons, 1981



REFERÊNCIAS COMPLEMENTARES

TAUB, Herbert, Circuitos Digitais e Microprocessadores, São Paulo, McGraw Hill

DISCIPLINA

CIRCUITOS ELÉTRICOS II

EMENTA

Acoplamento magnético e transformadores ideais. Análise de Fourier: Série de Fourier e harmônicos, resposta de circuitos a entradas periódicas. Transformada de Fourier, respostas a sinais não-periódicos Transformada de Laplace, Função de transferência, solução de circuitos pela transformada de Laplace, Quadripolos. Filtros
elétricos.

REFERÊNCIAS BÁSICAS

DESOER, Charles A. and KUTH, Ernest S. - Teoria Básica de Circuitos -1988 - Editora Guanabara, Rio de Janeiro - RJ. 06 ex.

EDMINISTER, Joseph A. - Circuitos Elétricos - 1993 - Editora McGraw-Hill do Brasil Ltda, Rio de Janeiro - RJ. 02 ex.



REFERÊNCIAS COMPLEMENTARES

HAYT Jr., William H. - Análise de Circuitos em Engenharia - 1991 - Editora McGraw-Hill do Brasil Ltda, São Paulo. 05 ex.



6ª Série

 

DISCIPLINA

RESISTÊNCIA DOS MATÉRIAIS

EMENTA

Elasticidade: tração e compressão entre limites elásticos; lei de Hooke; tensão última; tensão admissível. Tensões normal e de cisalhamento; análise de tensões e deformações; círculo de Mohr. Análise de tensões e deformações, e cálculo de deslocamentos em estruturas submetidas a esforços normais; dimensionamento; problemas estaticamente indeterminados. Análise de tensões e deformações em
estruturas submetidas à flexão simples; dimensionamento. Tensões de cisalhamento na flexão.

REFERÊNCIAS BÁSICAS

BEER, F.P. Resistência dos materiais: Mecânica dos materiais 4a Ed.
MCGRAWHILL, 2010.

FEODOSIEV, V, Resistência dos materiais, Ed Lopes. 1977.

NASH, W.A Resistência de materiais, Ed Mc Graw Hill, 2001.


REFERÊNCIAS COMPLEMENTARES

BOTELHO, Manoel Henrique Campos. Resistência dos materiais para entender e gostar. Editora: EDGARD BLUCHER. 2009.

HIBBELER, R.C, Resistência dos materiais. 7 Ed. Editora: Pretince Hall.

TIMOSHENKO, S. P. Resistência dos Materiais. Vol. 1. Trad. José Rodrigues de Carvalho. Livros Técnicos e Científicos Editora S.A. Rio de Janeiro. 1976.

TIPLER, P. A. Física para cientistas e engenheiro: mecânica, oscilações e ondas, termodinâmica. 4. Ed. Rio de Janeiro: LTC, 2000.

MELCONIAN, Sarkis. Mecânica técnica e resistência dos materiais. 14. ed. São Paulo: Érica, 2004..; 18 ed. 2007.


DISCIPLINA

CIRCUITOS INTEGRADOS

EMENTA

Introdução à arquitetura de computadores: elementos (unidade central de processamento, memória, ULA). Controle Microprogramado. Arquitetura e organização de um microprocessador. Tratamento de entrada e saída: técnicas, dispositivos de interface e barramento. Conceitos de Sistemas Operacionais.

REFERÊNCIAS BÁSICAS

CLEMENTS, ALAN Microprocessor Systems Design - 68000 Hardware, Software and Interfacing PWSPublishers- 1987

KHAMBATA, ADI J. (Tradução Maria Alda Xavier Leôncio) "Arquitetura - Microprocessadores Microcomputadores" vol. I - Campus - 1984



REFERÊNCIAS COMPLEMENTARES

POLLARD, L.HOWARD, Computer Design and Architecture Prentice Hall,1990

TAUB, H. Circuitos Digitais e Microprocessadores McGraw Hill - 1984



DISCIPLINA

ELETRÔNICA DE POTÊNCIA

EMENTA

Dispositivos eletrônicos para controle de potência, com ênfase em SCR, GTO, IGBT e MCT; Circuitos de comando de tiristores; Conversores AC/DC trifásicos de meia onda e onda completa, Conversor dual.

REFERÊNCIAS BÁSICAS

GUAZZELI, A.Eletrônica de Potência . Editora Unicamp, 1988.

BARBI, I.Eletrônica de Potência. Editora UFSC, 6ª ed., 1986.

ALMEIDA, L. A. Eletrônica de Potência. Editora Érica, 1986.

RASHID, M.H. Eletrônica de Potência. Editora Pearson, 4ªed,



REFERÊNCIAS COMPLEMENTARES

LANDER, C. W. Eletrônica Industrial: Teoria e Aplicações. Editora Mcgraw Hill, 1988.

DATTA, S. K.Power Electronics & Controls. Editora Reston, 1984.



DISCIPLINA

PROCESSAMENTO DIGITAL DE SINAIS

EMENTA

Analise da Transformada de Sistemas Lineares e Invariantes no Tempo. Estruturas para Sistemas Discretos no Tempo. Transformada Discreta e Transformada Rápida de Fourier. Técnicas de projeto de filtros digitais FIR e IIR. Projeto de filtros utilizando mudança de taxa de amostragem. Interpoladores e Decimadores ideais e FIR. Erros
Numéricos e de Transbordamento em Filtros Digitais. Ruído de quantização. Filtros Adaptativos: identificação, cancelamento e equalização. Filtro de Wiener (FIR transversal). Predição Linear Aplicado em Codificação de voz. Algoritmos: LMS, de Levinson, e RLS. Estimação Espectral. Periodograma, Modelo Autoregressivo, Métodos não Paramétricos.

REFERÊNCIAS BÁSICAS

Antoniou, A., DIGITAL FILTERS, Analysis, Design, and Applications. McGraw- Hill, Inc. Second Edition 1993.

Hamming, R. W., DIGITAL FILTERS, Third Edition. Prentice-Hall, Inc. 1989

HAYKIN, S., Adaptive Filter Theory,2. Ed. Prentice Hall, Englewood Cliffs, N.J.1985.

HAYKIN, S., Communication Systems, John Wiley & Sons, 1978.

HAYKIN, S., Digital Communications, John Wiley & Sons, 1988.


REFERÊNCIAS COMPLEMENTARES

Lathi B. P.; Modern Digital and Analog Communication Systems; Holt, Rinehart and Winston, Inc.

LEON W. COUCH II; Digital and Analog Communication Systems; PRENTICE HALL, 1997



DISCIPLINA

ADMINISTRAÇÃO PARA ENGENHARIA

EMENTA

Teoria Geral de Administração e as principais abordagens das organizações. Sindicalismo e relações de trabalho. Relação entre empresas. Gestão da Qualidade. Gestão de Recursos Humanos.

REFERÊNCIAS BÁSICAS

CHIAVENATO, Idalberto. Introdução a Teoria geral da Administração. 7a. Ed. – Rio de Janeiro: Campus, 2004.

DRUCKER, Peter F. Desafios Gerenciais para o século XXI. SP. Ed. Pioneira, 2000.

SEWELL, G. H..Administração e Controle da Qualidade Ambiental. Pedagógica e Universitária, 1978.

LOPES, I. G. V.; Cunha, A. S. Gestão ambiental no Brasil: experiência e sucesso. Editora FGV. 1996.



REFERÊNCIAS COMPLEMENTARES

FLEURY, A. e FLEURY, M.T. Aprendizagem e inovação organizacional: as experiências do Japão, Coréia e Brasil", São Paulo, Atlas, 1997.

FLEURY, M.T.; FISCHER, R. Processo e relações de trabalho no Brasil. São Paulo, Atlas, 1987.

MINTZBERG, H. Criando organizações eficazes. São Paulo, Atlas, 1995.

MONTANA, Patrick J. Administração. Rio de Janeiro, Ed. Saraiva, 2003.



DISCIPLINA

SISTEMAS E CONTROLE

EMENTA

Conceitos sobre sistemas e sistemas de controle, diagrama de blocos e classificação de sistemas; Modelagem de Sistemas: modelagem de sistemas físicos (mecânico, elétrico, eletrônicos, térmicos e hidraúlicos), representação matemática (equações diferenciais. resposta ao impulso, espaço de estados e função de transferência), linearização de sistemas e diagrama de fluxo de sinal; Softwares para Simulação de Sistemas Dinâmicos; Análise de Sistemas Lineares Invariante no Tempo - Enfoque por Espaço de Estados: solução das equações de estado, desacoplamento de estados, controlabilidade e observabilidade; Análise de Sistemas Lineares Invariates do Tempo - Enfoque no domínio do tempo: estabilidade. desempenho em regime permanente e sensibilidade de parâmetros; Projeto de Controladores no Domínio do Tempo: Lugar das Raízes, contorno das raízes, controladores P, PI, PD PID, Controladores de avanço e atraso de fase, controladores por cancelamento de pólos. controladores por realimentação de estados; Análise de Sistemas Lineares Invariantes - Enfoque no domínio da freqüência: diagrama polar direto, curvas de resposta de freqüência, critério de etabilidade de Nyquist, diagramas de Bode e Nichols, margem de ganho e margem de fase. e carta de Nichols; Projeto de Controladores sob o Domínio da freqüência: compensadores estáticos. compensadores de avanço e atraso de fase.


REFERÊNCIAS BÁSICAS

D'Azzo, John J. and Houpis, Constantine H. "Análise e Projeto de Sistemas de Controle Lineares"; Prentice Hall 1980.

DORF, R. C. "Modern Control Systems" Addison-Wesley 1989.

FRANKLIN, G. F. , POWELL, J. DAVID and EMANI-NAEMI, A. "Feedback Control of Dynamic Systems", Addison-Wesley 1991.

KUO, BENJAMIN C.Sistemas de Controle Automático, LTC, 9ª ed. 2012.



REFERÊNCIAS COMPLEMENTARES

OGATA, KATSUHIKO, “ Engenharia de Controle Moderno” Prentice Hall, 1982.

MAYA, P. A.; LEONARDI, F. Controle Essencial. Pearson, 2ª ed., 2015.





7ª Série

 

DISCIPLINA

INTRODUÇÃO AOS MICROCONTROLADORES

EMENTA

Introdução e histórico. Arquiteturas computacionais (Harvard, Von Neumann, CISC, RISC e outras). Arquitetura básica de microcontroladores. Registradores de funções especiais. Instruções de programação. Interfaceamento e periféricos. Conversores Analógico/Digital – Digital/Analógico. Temporizadores e contadores. Interrupções. Dispositivos de Memórias. Programação de memórias digitais. Ambiente de programação. Programação do microcontrolador em aplicações práticas.

REFERÊNCIAS BÁSICAS

SOUZA, David José de. Desbravando o PIC: ampliado e atualizado para PIC 16F628A. 6. ed. São Paulo: Érica, 2003. 268 p. ISBN 8571948674.

ZANCO, Wagner da Silva. Microcontroladores PIC16F628A/648A: uma abordagem prática e objetiva. São Paulo: Érica, c2005. 364 p. ISBN 853650059X.

PEREIRA, Fábio. Microcontroladores PIC: programação em C. 7. ed. São Paulo, SP: Érica, 2007. 358 p. ISBN 978-85-7194-935-5.


REFERÊNCIAS COMPLEMENTARES

SOUZA, David José de; LAVINIA, Nicolás César. Conectando o PIC 16F877A: recursos avançados. 3. ed. : Érica, 2006. 380 p. ISBN 85-7194-737-6, São Paulo, SP.

ZANCO, Wagner da Silva. Microcontroladores PIC: técnicas de software e hardware para projetos de circuitos eletrônicos: com base no PIC16F877A. Érica, 2006. 390 p. São Paulo.

SOUSA, Daniel Rodrigues de; SOUZA, David José de; LAVINIA, Nicolás César. Desbravando o microcontrolador PIC18: recursos avançados. 1. ed. Érica, 2010. 336 p. São Paul.

PEREIRA, Fábio. Microcontroladores PIC: técnicas avançadas. 3. ed. : Érica, c2002. 358 p. ISBN 85-7194-727-9.,São Paulo

MIYADAIRA, Alberto Noboru. Microcontroladores PIC18: aprenda e programe em linguagem C. 2. ed. Érica, 2011. 400 p. São Paulo.


DISCIPLINA

ONDAS E LINHAS

EMENTA

Ondas planas uniformes. Reflexão; Refração e Polarização. Regime permanente senoidal. Ondas TE e TM; Irradiação de Elemento de corrente. Parâmetros Distribuídos de uma Linha de Transmissão. Linhas de Transmissão sem Perdas e com Perdas. Com Distorção e sem Distorção. Transitório em linhas. Impedância característica; velocidade de fase e comprimento de onda; velocidade de grupo. Ondas Estacionárias. Impedância e Admitância, Coeficiente de Reflexão. Taxa de Onda Estacionária. Energia em ondas progressivas e estacionárias. Vetor de Poynting. Diagrama de Smith e de Carter. Casamento de Impedâncias. .

REFERÊNCIAS BÁSICAS

Kraus, J. D. and Carver, K. R., “Electromagnetics”, McGraw-Hill, New York, 1973.

Mariotto, P. A., Ondas e Linhas, Ed. Guanabara Dois, 1981. Ramo, S., J. R.

Mettick, R. E., “Transmission Lines for Digital and Communication Networks”, McGraw Hill, 1969.

Ramo, S.; Whinnery, J. R.; Duzer, T. V.; Campos e Ondas em Eletrônica das Comunicações; Ed. Guanabara Dois S.A. Rio de Janairo – RJ



REFERÊNCIAS COMPLEMENTARES

Whinnery J. R. and Duzer, T. V., “Fieds and Waves in Communication Eletronics”,Toppan, 1985.

DISCIPLINA

PRINCÍPIOS DE COMUNICAÇÃO

EMENTA

Correlação e densidade espectral de potência. Princípio da amostragem. Transmissão de sinais. Modulação de canal. Modulação em amplitude, em fase e em freqüência. Transmissores e receptores.

REFERÊNCIAS BÁSICAS

Carlson, A. B., Communication Systems, 3dr ed., McGraw-Hill, New York, 1986.

Haykin, S., Communication Systems, John Wiley & Sons, 1978.

Lathi B. P.; An Introduction to Randon Signals and Communication Theory; International Textbook Company.

Lathi B. P.; Modern Digital and Analog Communication Systems; Holt, Rinehart and Winston, Inc



REFERÊNCIAS COMPLEMENTARES

Lhathi B. P., Signals Systems and Communication, John Wiley ans Sons, New York, 1965.

Lhathi B. P., Sistemas de Comunicações. Tradução: Junqueira L. M. P. e Fernandes L. M., Editora GUANABARA.



DISCIPLINA

ANTENAS E PROPAGAÇÃO

EMENTA

Antenas transmissoras: Resistência de Irradiação, Diagrama de Irradiação, diretividade, ganho. Impedância, polarização, Área Efetiva, NLS, RFC. Antenas lineares. Antenas bicônicas. Antenas receptoras. Antena Loop. Arranjo de Antenas. Características das antenas típicas: monopolos, torres irradiantes, jagis, log-periódicas, refletores de canto, helicoidais, rômbicas, cornetas e parabólicas. Campos de Antenas Básicas: Dipolo Elementar, Curto, e de Meia Onda. Temperatura de ruído. Equações Básicas em Rádio-Propagação: de Friis e do Radar. Perdas em Transmissão. Propagação: De Ondas Terrestres, Ondas Ionosféricas. Ondas Troposféricas. Efeito de Propagação em VHF e UHF e em Serviços Móveis. Efeitos dos Meios Naturais, Coeficientes de Reflexão no
Solo, Refração: raios equivalentes, elipsóides de Fresnell. Difração: efeito da ionosféra.

REFERÊNCIAS BÁSICAS

Balanis, C. A., “Antenna Theory: analysis and desing”, John Wiley, Neu York, 1982.

Collin, R. E., “Antennas and Radio-wave propagation”, McGraw-Hill, New York, 1985.



REFERÊNCIAS COMPLEMENTARES

Stutzman, W. L. and Thiele, G. A., “Antenna theory and design”, John Wiley, New York, 1981.

DISCIPLINA

ANÁLISE DE SISTEMAS DE POTÊNCIA

EMENTA

Elementos de sistemas elétricos de potência. Diagrama unifilar. Diagramas de impedância e reatância. Cálculo por unidade. Modelagem de máquinas, de linhas e de transformadores. Método de Componentes Simétricos. Cálculo de Faltas em Sistemas Elétricos de Potência.

REFERÊNCIAS BÁSICAS

ANDERSON, P. M. – Analysis of Faulted Power Systems IEEE Press

ELGERD, O.L. - Introdução à teoria de sistemas de energia elétrica. McGraw-Hill, 1978.

EL-HAWARY, M. - Electrical power systems. IEEE Press, 1995.

GÖNEN, T. Modern power system analysis. John Wiley.



REFERÊNCIAS COMPLEMENTARES

GRAINGER, J. J. e STEVENSON, W. D. Jr. - Power System Analysis, McGraw- Hill/USA, 1994.

DISCIPLINA

SISTEMA DE CONTROLE DISCRETO

EMENTA

Introdução: conceitos sobre sistemas de controle por computador; Amostragem e Reconstituição de Sinais: sinais contínuos, discretos e amostrados. amostragem de sinais contínuos, reconstituição de sinais, Aliasing e Freqüência de Nyquist; Descrição Matemática de Sistemas Discretos: função de transferência de sistema amostrados, discretização de função de transferência. transformada Z modificada,. equações de diferença e o modelo ARMA, resposta ao impulso, modelo por convolução discreta, discretização de sistemas contínuos modelados por equações de estado;Análise de Sistemas Lineares Discretos: resposta transitória e permanente de sistemas discretos, estabilidade; critérios, Jury e Nyquist, controlabilidade, observabilidade. resposta em freqüência; Métodos Aproximados para Discretização de Controladores: método de Euler, aproximação backward, método de Tustin, análise de mapas conformes e efeitos da aproximação e distorção em freqüência; Projeto de Controladores Digitais: controlador P, PI, PD e PID, pré-sintonia de controladores PID digitais por Ziegler-Nichols, controlador Deadbeat, controle por realimentação de estados, observadores de estados, observadores de ordem mínima, controladores de mínima variância;

REFERÊNCIAS BÁSICAS

ÅSTRÖM, KARL J. AND WITTENMARK, BJÖRN, "Computer-Controlled
Systems: Theory and Design", Prentice-Hall 1995.
FRANKLIN, G. F. AND POWELL,J. D. "Digital Control of Dynamic Systems" , Addison Wesley1990.

HOUPIS, CONSTANTINE H. AND LAMONT, GARY B., "Digital Control Systems: Theory, Hardware and Software", McGraw-Hill 1987.

KUO, BENJAMIM C. "Digital Control Systems", 1992 Saunders HBJ.


REFERÊNCIAS COMPLEMENTARES

LEIGH, J. R. "Applied Digital Control: Theory, Design and Implementation", Prentice-Hall 1992.

PHILLIPS, C. L. AND NAGLE JR, H. T. , "Digital Control Systems: Analysis and Design", Prentice-Hall 1990.





8ª Série

 

DISCIPLINA

MAQUINAS ELÉTRICAS

EMENTA

Aspectos construtivos e representação a dois eixos. Máquinas síncronas: estudo em regime permanente das estruturas a rotores liso e saliente, características funcionais e ensaios. Máquinas assíncronas: escorregamento, modos de funcionamento, rotores típicos e aplicações. Máquinas de corrente contínua: comutação, características operacionais e aplicações típicas

REFERÊNCIAS BÁSICAS

Krause, C. Paul Analysis of electric machinery – IEEE Press

Ong, Chee-Mun Dynamic simulation of electrical machinery – Prentice-Hall



REFERÊNCIAS COMPLEMENTARES

Vas, Peter Electrical machines and drives - Claredon Press

DISCIPLINA

FUNDAMENTOS DE AUTOMAÇÃO

EMENTA

Atuadores pneumáticos; Válvulas eletropneumáticas; Circuitos eletrohidráulicos e eletropneumáticos industriais; Circuitos seqüenciais; Controladores Lógicos Programáveis: Estruturada de CLP´s: Diagrama de Contatos - Ladder, Diagrama de Blocos Funcionais, diagrama de máquina de estados; SDCD. Tolerância a Faltas, noções gerais; Projeto de comando combinatórios e seqüenciais.

REFERÊNCIAS BÁSICAS

BOLLMANN Arno, Fundamentos da Automação Industrial Pneutrônica, ABHP _Associação Brasileira de Hidráulica e Pneimática. 1996.

STENERSON, JON “Fundamentals of Programmable Logic Controllers, Sensors, and Communications”, Prentice Hall, 1998

Fundamentos de Automação. Editora Senai-SP


REFERÊNCIAS COMPLEMENTARES

LAMB, F. Automação Industrial. Editora McGraw Hill, 2015.

LELUDAK, J. A. Acionamentos Eletropneumáticos. Editora Base.

CAMARGO, V. L. Elementos de Automação. Editora Érica, 2014.


DISCIPLINA

TRANSMISSÃO DIGITAL

EMENTA

Modulação Digital: Modulação DM, PCM, DPCM, ADPCM; Modulação
Coerente PSK, FSK, CPFSK, QPSK; Modulação não Coerente FSK, DPSK e Modulação M-ária PSK, QAM, FSK. Diagrama do olho. Transmissão Digital com Portadora. Redes de comunicação digitais. Códigos Detetores e Corretores de Erro. Distância de Hamming. Código de Bloco Lineares. Síndrome. Códigos Cíclicos. Códigos Convolucionais. Decodificação por Máxima Verocemelhança de Códigos Convolucionais. Decodificação Sequencial e Majoritária de Códigos Convolucionais. Aplicações Práticas de Códigos Convolucionais. Transmissão da Informação em Canais Discretos e Contínuos.

REFERÊNCIAS BÁSICAS

LEON W. COUCH II; Digital and Analog Communication Systems; PRENTICE HALL, 1997.

LEON W. COUCH II; Modern Communication Systems “Principles and


Applications” PRENTICE HALL

REFERÊNCIAS COMPLEMENTARES

SIMON HAYKIN; Communication Systems; John Wiley & Sons, 1988.

DISCIPLINA

SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES

EMENTA

Conceito básicos de telecomunicações; componentes de um sistema de telecomunicações; processamento de sinais; sistemas de transmissão em telecomunicações: sistemas de comunicação via rádio, sistemas de comunicação com fio; redes de telecomunicações.

REFERÊNCIAS BÁSICAS

WALDMAN, H.; YACOUB, M.D. Telecomunicações - Princípios e Tendências; São Paulo: Érica, 1999.

HAYKIN, S; MOHER, M. Sistemas de Comunicação. Editora Bookmam, 5ª ed., 2015.

NETO, V.S. Sistemas de Comunicações de Dados. Editora Érica. 2014.


REFERÊNCIAS COMPLEMENTARES

DODD, A.Z. O Guia Essencial para Telecomunicações; Rio de Janeiro: Campus, 2000.

DISCIPLINA

TRANSMISSÃO DE ENERGIA

EMENTA

Introdução, Estudo das cargas, Métodos de Previsão de carga, Condutores utilizados, Tensão, Padrões de redes de Distribuições,Cálculos Elétricos,Arranjos de Sistemas de Distribuição Curto Circuito, Equipamentos de Proteção, Iluminações Publica, Confiabilidade e Distribuição de Energia Elétrica em uma Concessionária.

REFERÊNCIAS BÁSICAS

ANDERSON, P. H., FOUAD A., Power System Control and Stability. Ames: Iowa State University Press, 1993.

ANDERSON, P. M. Analysis of Faulted Power Systems. IEEE Press, 1995.

ARRILAGA, ARNOLD, C. P., HARVER, B. J. Computer modelling of Electrical Power Systems. New York: John Wiley, 1984.


REFERÊNCIAS COMPLEMENTARES

KIMBARK, E. W., Power System Stability: Sincronous Machines. New York: John Wiley, 1995.

MONTICELLI, A. J. Fluxo de Carga em Redes de Energia Elétrica. São Paulo: Editora Edgard Blücher Ltda., 1983.



DISCIPLINA

DISTRIBUIÇÃO E INSTALAÇÕES PREDIAS

EMENTA

Instalações elétricas de baixa tensão: conceitos, materiais e equipamentos,
dimensionamento de condutores, comando-controle-proteção de circuitos, motores elétricos, projetos de CCM e de quadro de distribuição, compensação de reativos, projeto de instalações elétricas residenciais. Instalações elétricas de alta tensão: conceitos, sobretensões, aterramentos, subestações.

REFERÊNCIAS BÁSICAS

BEEMAN,D. Industrial Power System Handbook McGraw Hill

CREDER,H. Instalações Elétricas Livros Técnicos e Científicos, Editora S.A.

MAMEDE, J. Instalações Elétricas Industriais. Editora LTC, 2014.


REFERÊNCIAS COMPLEMENTARES

CAVALIN, G; CERVELIN, S. Instalações Elétricas Prediais. Editora Érica, 4ª ed., 1998.

NERY, N. Instalações Elétricas Industriais. Editora Érica, 2014.

SIEMENS Instalações Elétricas Vol.1 e 2, Livraria Nobel S.A.


DISCIPLINA

ESTÁGIO SUPERVISIONADO I

EMENTA

Atividades e desenvolvimento de projetos nos campos de sistemas de potencia, controle, conversão de energia, eletrônica ou sistemas de
comunicação, sob a supervisão de um professor, podendo constar de: estágio em laboratório, elaboração de projetos, desenvolvimento e construção e equipamentos, ou estagio em empresas sob a supervisão do professor da disciplina.

REFERÊNCIAS BÁSICAS

FUSCO, José Paulo Alves. Tópicos Emergentes em Engenharia de Produção. Volume I e II. São Paulo; Editora Arte&Ciência, 2004.

BIANCHI, Cecília Maria; (e outros). Manual de Orientação: Estágio supervisionado. São Paulo: Thomson Learning, 2003.

BURIOLLA, Marta Alice. Estágio Supervisionado, O. Cortez, 2001.


REFERÊNCIAS COMPLEMENTARES

BASTOS, Lília da Rocha; PAIXÃO, Lyra; FERNANDES, Lúcia Monteiro; et al. Manual para a elaboração de projetos e relatórios de pesquisas, teses, dissertações e monografias. 4º ED. Ver. Rio de Janeiro: LTC, 2004.

PICONEZ, Stela C. Bertholo (Coord.). A prática de ensino e o estágio


supervisionado. 5. ed. Campinas Papirus, 2000.



9ª Série

 

DISCIPLINA

INTRODUÇÃO À ECONOMIA

EMENTA

Definições e Leis da Economia. Escassez e necessidade de produção. Teoria dos preços. Formação da renda e produto. Equilíbrio de emprego e renda. Elasticidade e estruturas do mercado: concorrência perfeita, monopólio e oligopólio. Leis dos Rendimentos Decrescentes. Formação de Preços. Economia Brasileira, Globalização econômica.

REFERÊNCIAS BÁSICAS

VICENCONTI, P. E. V. Introdução à Economia. SP: SARAIVA,2003.

MANKIN, N.G. Introdução à economia. Princípios de micro e macroeconomia. 13ed. São Paulo: Campus. 2005.

ALBUQUERQUE, M.C.C. Introdução à Teoria Econômica. Makron Books do Brasil Ed. Ltda, 1976.

RIVOIRRE, J. Introdução à Economia de Mercado. Europa América, 1996.



REFERÊNCIAS COMPLEMENTARES

TINOCO, J. E. P.; KRAEMER, M. E. P.. Contabilidade e gestão ambiental. Atlas.2004.

MARINUZZI, Raul; FAJARDO, Justiniano. Ecologia empresarial. Belo Horizonte: Armazém de Idéias, 1994.

ROSSETTI, J.P. Introdução à Economia. Atlas Ed. 2003.

SOCZKA, L.; GULBENKIAN, C. Contextos humanos e psicologia ambiental.



DISCIPLINA

INSTRUMENTAÇÃO ELETRÔNICA

EMENTA

Estudos de sensores resistivos, capacitivos, indutivos, óticos, magnéticos,
ultrasônicos , etc. e suas aplicações; Conversores D/A, A/D e contador
UP/DOWN; Projeto de Filtros Ativos: passa baixa, passa alta, passa faixa, rejeita faixa por realimentação positiva, realimentação multiplas, variáveis de estado; Instrumentos eletrônicos de medidas elétricas: multímetro, osciloscópio, analisador lógico etc; Medições de parâmetros dos circuitos: admitância, impedâncias etc. Definições, classificações dos erros na medição; Aplicações e projetos de circuitos lineares: seguidor de tensão, circuitos aritméticos, conversor corrente-tensão, conversor tensão corrente, diodo ideal, circuito que emite valor absoluto, comparador, comparador com histerese e circuitos periféricos, integrador, oscilador de onda quadrada e triangular, conversor tensão frequência, interfaceamento do amplificador operacional com TTL etc. VCO, PLL

REFERÊNCIAS BÁSICAS

Applied Electronic Instrumentation and Measurement, David Buchla & Wayne Mclachlan, Merrill, 1992

Circui Design for Electronic Instrumentation, Darold Wobschall, Second


Edition,1987

DUNN, W. C.Instrumentação Industrial e Controle de Processos. Editora Bookman, 2013.



REFERÊNCIAS COMPLEMENTARES

Microelectronics, Jacob Millman & Arvin Grabel, Second Edition, Mc Graw Hill, 1988

Operational Amplifiers Design and Applications, Tobey-Graeme-Huelsman, Mc Graw Hill, 1981



DISCIPLINA

INTRODUÇÃO À MANUTENÇÃO

EMENTA

Engenharia de Manutenção: conceitos e características; métodos de aplicação; indicadores de desempenho; Manutenção Produtiva Total. FMEA; FTA. Engenharia de Confiabilidade: conceito; Manutenção Centrada em Confiabilidade; Estimativas de confiabilidade; distribuições e parâmetros de confiabilidade; confiabilidade de sistemas; garantia; aspectos gerenciais da confiabilidade.

REFERÊNCIAS BÁSICAS

KARDEC, Alan: CARVALHO, Cláudio. Gestão Estratégica e Terceirização. Rio de Janeiro: Qualitymark - ABRAMAN, 2002.

KARDEC, Alan; LAFRAIA, João Ricardo. Gestão estratégica e confiabilidade. Rio de Janeiro: Qualitymark: - ABRAMAN, 2002.

KARDEC, Alan; RIBEIRO, Haroldo. Gestão Estratégica e Manutenção Autonoma. Rio de Janeiro: Qualitymark – ABRAMAN, 2002.


REFERÊNCIAS COMPLEMENTARES

LOBO, Renato N. Gestão da Qualidade. 1ª ed. São Paulo : Érica, 2010.

NASCIF, Julio, KARDEC, Allan. Manutenção: função estratégica. Rio de Janeiro: Qualitymark, 2009.

ZEN, Milton Augusto Galvão. Fator humano na manutenção. Editora: Qualitymark, 2009.


DISCIPLINA

HIGIENE E SEGURANÇA DO TRABALHO

EMENTA

Introdução à segurança do trabalho. Normas regulamentadoras. Inspeção de
segurança. Primeiros socorros. Proteção coletiva e individual. Higiene do trabalho. Prevenção e controle de riscos em máquinas, equipamentos e instalações. Proteção contra incêndio. Segurança em atividades extra-empresa.

REFERÊNCIAS BÁSICAS

Manual de Legislação: Segurança e medicina do trabalho. 65a. 2010.
BARBOSA, Filho, A.N Insalubridade periculosidade Ed Atlas 2003.
PACHECO Jr, W. Gestao da segurança e higiene do trabalho, Ed Atlas 2000.

ROUSSELET, E. S. A Segurança na Obra: manual de procedimento para


implantação de funcionamennto de canteiro de obras. , SP: Mauad, 1997

CARDELA, B Segurança no trabalho e prevenção de acidente, uma abordagem holística, Ed Atlas, 1999.



REFERÊNCIAS COMPLEMENTARES

Segurança e Medicina do Trabalho. 5a ed. São Paulo: SARAIVA, 2009.
TORTORELLO, J.A Acidentes do trabalho: teoria e pratica, Ed Saraiva 1994.

OLIVEIRA, J. Acidentes no trabalho, Ed Saraiva 1991.

GONÇALVES, E. A. Manual de Saúde e Segurança no Trabalho, SP: LTR, 2000.


DISCIPLINA

ESTÁGIO SUPERVISIONADO II

EMENTA

Atividades e desenvolvimento de projetos nos campos de sistemas de potencia, controle, conversão de energia, eletrônica ou sistemas de
comunicação, sob a supervisão de um professor, podendo constar de: estágio em laboratório, elaboração de projetos, desenvolvimento e construção e equipamentos, ou estagio em empresas sob a supervisão do professor da disciplina.

REFERÊNCIAS BÁSICAS

FUSCO, José Paulo Alves. Tópicos Emergentes em Engenharia de Produção. Volume I e II. São Paulo; Editora Arte&Ciência, 2004.

BIANCHI, Cecília Maria; (e outros). Manual de Orientação: Estágio supervisionado. São Paulo: Thomson Learning, 2003.

BURIOLLA, Marta Alice. Estágio Supervisionado, O. Cortez, 2001.


REFERÊNCIAS COMPLEMENTARES

BASTOS, Lília da Rocha; PAIXÃO, Lyra; FERNANDES, Lúcia Monteiro; et al. Manual para a elaboração de projetos e relatórios de pesquisas, teses, dissertações e monografias. 4º ED. Ver. Rio de Janeiro: LTC, 2004.

PICONEZ, Stela C. Bertholo (Coord.). A prática de ensino e o estágio


supervisionado. 5. ed. Campinas Papirus, 2000.



10ª Série

 

DISCIPLINA

SOCIOLOGIA DO TRABALHO

EMENTA

As Ciências Sociais. Ordem e mobilidade social. A ética nas relações humanas. O processo de globalização e a sociedade do conhecimento. A questão sócioambiental. Realidade social brasileira. As Relações Etnico-raciais, consciência da sociedade multicultural e plurietnica do Brasil, buscando relações étnico-raciais positivas, base da construção da nação democrática

REFERÊNCIAS BÁSICAS

FERREIRA, L. C. Idéias para uma sociologia da questão ambiental, teoria social, sociologia ambiental e interdisciplinaridade. In: Desenvolvimento e Meio Ambiente, Editora UFPR. 2006.

COSTA, Ma Cristina C. Sociologia - Introdução à Ciência da Sociedade. São Paulo: Ed. Moderna. 2009.

TOMAZI, N. D. Iniciação a sociologia. Ed. Atlas, 2000.

SOCZKA, L.; Gulbenkian, C. Contextos humanos e psicologia ambiental. 2000.



REFERÊNCIAS COMPLEMENTARES

CERQUEIRA FILHO, G.. A questão social no Brasil. Civilização Brasileira, 1982.

LOUREIRO, C.F. B.. O movimento ambientalista e o pensamento crítico: uma abordagem política. 2006.

RIO, V.; OLIVEIRA, L. Percepção ambiental: a experiência brasileira. Studio Nobel. 1996.

MESSA, A. F. et. al. Sustentabilidade Ambiental e os novos desafios na era digital, 2011.



DISCIPLINA

GESTÃO DE PROJETOS

EMENTA

Apresentação de gerencia de projetos. Metodologia de gerencia de projetos ciclo de vida da gestão de projetos. As práticas de gerencia apresentadas no PMBOK Project management body of knowledge. PMI. Prototipação. Técnicas para planeja mento de projetos objetivos e abrangência organização do trabalho cronograma, PERT, recursos e custos. Uso de ferramentas de planejamento e acompanhamento de projetos. MS Project. Pratica da gerencia motivação de equipes e a gestão de pessoas. Estilos de gerencia princípios de negociação tratamento de conflitos no projeto. Administração do tempo e reuniões. Gerência por processos.

REFERÊNCIAS BÁSICAS

FIGUEIREDO, F. C. Dominando Gerenciamento de Projetos com MS Project 2000; Rio de Janeiro: Ciência Moderna, 2001.

REFERÊNCIAS COMPLEMENTARES

 

DISCIPLINA

ACIONAMENTO DE MÁQUINAS ELÉTRICAS

EMENTA

Dispositivos de proteção e controle, simbologia, tipos e diagramas. Diagramas básicos de motores CA e CC. Circuitos especiais, Escolha do tipo de Motor, Cálculo da potência do motor. Especificação.

REFERÊNCIAS BÁSICAS

BIM, E. Máquinas Elétricas e Acionamentos. Editora ST, 3ª ed., 2014.

STEPHAN, R. M. Acionamento, comando e controle de Máquinas Elétricas. Editora Ciência Moderna, 2013.

MOHAN, N. Máquinas Elétricas e Acionamentos. Curso Introdutório. Editora LTC, 2015.


REFERÊNCIAS COMPLEMENTARES

Krause, C. Paul Analysis of electric machinery – IEEE Press

Ong, Chee-Mun Dynamic simulation of electrical machinery – Prentice-Hall



Vas, Peter Electrical machines and drives - Claredon Press

DISCIPLINA

DISCIPLINA OPTATIVA

EMENTA

A SER DEFINIDA

REFERÊNCIAS BÁSICAS

A SER DEFINIDA

REFERÊNCIAS COMPLEMENTARES

A SER DEFINIDA

DISCIPLINA

DISCIPLINA OPTATIVA

EMENTA

A SER DEFINIDA

REFERÊNCIAS BÁSICAS

A SER DEFINIDA

REFERÊNCIAS COMPLEMENTARES

A SER DEFINIDA

DISCIPLINA

TRABALHO DE CURSO

EMENTA

No início do semestre, cada aluno deverá definir um professor orientador e, com ele, o tema no qual será desenvolvido o Trabalho de Curso. Paralelamente, todos os alunos serão acompanhados pelo professor da disciplina que orientara a organização do projeto. A disciplina será elaborada em encontros semanais com aulas práticas e teóricas sobre os assuntos pertinentes à elaboração execução análise e apresentação de projetos técnico e científicos. Os alunos deverão desenvolver a programação proposta e apresentar resultados e trabalho escrito ao coordenador da disciplina. Para que o aluno possa dar continuidade ao
Trabalho de Conclusão de Curso no semestre subsequente, o cumprimento dos requisitos da disciplina é fundamental. Ao final do semestre, cada aluno deverá fazer a apresentação pública do projeto elaborado, com a presença de seu orientador. Uma banca de professores fará a apreciação do trabalho, oferecendo sugestões e críticas para o desenvolvimento do projeto.

REFERÊNCIAS BÁSICAS

MAXIMINIANO, A. C. A. Administração de projetos: transformando idéias em resultados. São Paulo: Atlas, 2009. 4Ed/2012.

LAKATOS, EVA MARIA. Metodologia científica. 5 edição. São Paulo Editora Atlas. 2009.

SEVERINO, ANTONIO JOAQUIM. Metodologia do Trabalho científico. 23


REFERÊNCIAS COMPLEMENTARES

AZEVEDO, T. R. de. Buscando Recursos para Seus Projetos. São Paulo: Texto Novo, 1998.

TÁVORA JR, JOSÉ LAMARTINE Um Survey Sobre Técnicas Para Incorporação de Variáveis Ambientais na Análise de Projetos. PIMES Recife.




1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   14


©bemvin.org 2016
enviar mensagem

    Página principal