Carsamma f4 formulário de desvio de altitude



Baixar 136,67 Kb.
Encontro30.06.2017
Tamanho136,67 Kb.

CARSAMMA f4

formulário de desvio de altitude


INFORME DE GRANDE DESVIO DE ALTITUDE PARA AERONAVES AUTORIZADAS A OPERAR NO FL 290 OU ACIMA

Informe a Agência de Monitoração do Caribe e América do Sul (CARSAMMA) qualquer desvio de altitude de 300 pés ou mais, incluindo:




  1. aqueles ocasionados pelo ACAS/TCAS;

  2. por turbulência e/ou contingências; e

  3. erros operacionais como resultado da operação em níveis vôo diferentes dos autorizados pelo ATC ou coordenados pelos órgãos ATC.

NOTA: Caso NÃO ocorra desvio de altitude na área de responsabilidade da FIR no período em referência, CONTINUA a obrigatoriedade de preenchimento da Seção I e envio deste informe ao endereço referenciado no rodapé desta página até o dia 15 do mês seguinte.


Nome da FIR: ___________________________________________
Favor preencher a Seção I ou II, conforme corresponda.
SEÇÃO I:
Não foram observados grandes desvios de altitude durante o mês/ano ____________________
SEÇÃO II:
Houve ____________ registro(s) de desvio de altitude de 300 pés ou mais para a(s) aeronave(s) autorizada(s) no FL 290 ou acima. Detalhes do desvio de altitude estão em anexo no(s) formulário(s).
(Favor utilizar um formulário separado para cada informe de desvio de altitude).
SECÇÃO III:

Uma vez preenchido(s), favor enviar o(s) informe(s) a:



Agência de Monitoração do Caribe e América do Sul (CARSAMMA)

AV. GENERAL JUSTO, 160/TÉRREO  - CENTRO

22295-090  -  RIO DE JANEIRO  -  RJ

Telefone: (55-21)2101-6358 Fax: (55-21) 2101-6358

E-mail: carsamma@decea.gov.br

NOTAS PARA AUXILIAR O PREENCHIMENTO DO FORMULÁRIO CARSAMMA F4


  1. ENTRE A DATA DO PREENCHIMENTO.

  2. PREENCHA COM AS LETRAS DE IDENTIFICAÇÃO OACI DA FIR OU AGÊNCIA NOTIFICADORA.

  3. ENTRE COM AS LETRAS DE IDENTIFICAÇÃO OACI DO OPERADOR DA AERONAVE, OU NO CASO DE AVIAÇÃO GERAL, COLOQUE “IGA”.

  4. ENTRE COM O INDICATIVO DE CHAMADA E O REGISTRO (MATRÍCULA) DA AERONAVE.

  5. ENTRE COM O DESIGNATIVO OACI, CONFORME O DOC 8643, POR EXEMPLO, PARA AIRBUS A320-211, ENTRE A320; PARA BOEING B 747-438, ENTRE B744.

  6. ENTRE “SIM” OU “NÃO”. SE “SIM”, INFORME O NÍVEL DE VOO.

  7. ENTRE A DATA DA OCORRÊNCIA.

  8. ENTRE A HORA DA OCORRÊNCIA.

  9. ENTRE COM O LOCAL DA OCORRÊNCIA (FIXO, LAT/LONG OU RADIAL E MILHAS NAUTICAS).

  10. MARQUE AS CONDIÇÕES METEOROLÓGICAS QUANDO DA OCORRÊNCIA.

  11. ENTRE COM A ROTA DO VOO (NO CASO DE VOO DIRETO OU ALEATORIO, ENTRE “DCT”).

  12. ENTRE O NÍVEL AUTORIZADO.

  13. ENTRE O ESTIMADO EM SEGUNDOS, DO TEMPO VOADO EM NÍVEL INCORRETO.

  14. COLOQUE O MAIOR DESVIO OBSERVADO (EM PÉS). USE “+” SE FOR PARA CIMA E “-“ SE PARA BAIXO.

  15. ENTRE O OUTRO TRÁFICO ENVOLVIDO, SE HOUVER (INDICATIVO DE CHAMADA, MATRÍCULA, NÍVEL DE VOO, TIPO DA ACFT, ROTA E DISTÂNCIA ENTRE OS TRÁFEGOS ).

  16. ENTRE A CAUSA DO DESVIO, CONFORME TABELA ABAIXO:


CÓDIGO LHD

Descrição dos Códigos LHD

A

Falha na subida / descida segundo autorização.

B

Subida / descida sem autorização do órgão ATC.

C

Operação ou interpretação de equipamento de bordo incorretamente (por exemplo, funcionamento incorreto do FMS em pleno funcionamento, transcrição incorreta de autorização ATC ou transcrição da autorização de plano de voo no lugar da autorização ATC, etc.)

D

Erro no ciclo de trabalho do sistema ATC (por exemplo, entrega incorreta de autorização do ATC ou a tripulação de voo não entende a mensagem de autorização)

E

Erros de coordenação entre unidades ATC de transferência ou a responsabilidade do controle, como resultado de fatores humanos (por exemplo, coordenação tardia ou inexistente; hora incorreta de estimado / real; nível de voo, rota ATS, etc. não se ajuste aos parâmetros acordados)

F

Erros de coordenação entre unidades ATC de transferência ou a responsabilidade do controle, como resultado de falha de equipamento ou problemas técnicos.

G

Desvio devido a evento de contingencia do avião que leva a incapacidade repentina para manter o nível de voo designado (por exemplo, falha de pressurização, falha de motor)

H

Desvio por falha do equipamento no ar, dando lugar a uma troca não intencional ou não detectada de nível de voo.

I

Desvio devido a turbulência ou outra causa relacionada com as condições meteorológicas.

J

Desvio devido a um aviso de resolução do TCAS; tripulação de voo segue corretamente um aviso de resolução do TCAS

K

Desvio devido a um aviso de resolução do TCAS; tripulação de voo segue incorretamente um aviso de resolução do TCAS

L

Uma aeronave que não é aprovada RVSM e a qual se provê separação RVSM (por exemplo, plano de voo indicando a aprovação RVSM mas a aeronave não está aprovada; má interpretação do plano de voo por parte do ATC)

M

Outros - isto inclui os voos que operam (incluindo subida / descida) no espaço aéreo em que as tripulações de voo não conseguem estabelecer comunicações ar-terra normais com a dependência ATS responsável.



  1. ENTRE O NÍVEL DE VOO FINAL OBSERVADO/REPORTADO, INDICANDO A FONTE DA INFORMAÇÃO (MODO C, ADS, PILOTO e OUTRO, INDICANDO A FONTE).

  2. MARQUE A OPÇÃO SE A ACFT ESTAVA ACIMA DO NÍVEL AUTORIZADO.

  3. MARQUE A OPÇÃO SE A ACFT ESTAVA ABAIXO DO NÍVEL AUTORIZADO.

  4. MARQUE UMA DAS OPÇÕES: SE O FL ESTAVA DE ACORDO COM A TABELA DE NÍVEIS DE CRUZEIRO DO ANEXO 2 DA CACI.

  5. FAÇA UMABREVE DESCRIÇÃO DO OCORRIDO.

  6. ESCREVA SE HOUVER, OS COMENTÁRIOS DA TRIPULAÇÃO.




A informação contida neste formulário é confidencial e será usada para fins de estatística de análise de segurança somente.



CARSAMMA f4

formulário de desvio de altitude


Informe à CARSAMMA os desvios de altitude de 300 pés ou mais, incluindo aqueles ocorridos devidos a TCAS, Turbulência e Contingência.

1. Data de Hoje:

2. Agência de Notificação/FIR:

DEtalHES DO DesVIO


3. Nome do Operador da ACFT:

4. Indicativo de Chamada:
Matrícula da Aeronave:

5. Tipo de Aeronave:

6. Modo C/ADS Visualizado:

 Sim. Qual Nível? ________

 Não.


7. Data da Ocorrência:

8. Hora UTC:

9. Local da Ocorrência (lat/long ou Ponto de Referência):

10. Meteorologia:

 VMC  IMC



11. Rota:

12. Nível de Vôo Autorizado:

13. Tempo Estimado no Nível de Vôo Incorreto (segundos):

14. Desvio Observado (+/- pés):

15. Outro Tráfego (se houver) e Distância Entre os Tráfegos:

16. Causa do Desvio:
(Exemplos: Falha de Coordenação ATC, Turbulência, Clima, Falha de Equipamento, etc)

DEPOIS DE CORRIGIDO O DESVIO


17. Nível de Vôo Final Observado/Reportado*:
*Favor Indicar a Fonte da Informação:

 Modo C  ADS  Piloto

 Outro


Marque o quadro apropriado:
18. FL acima do nível autorizado: 

19. FL abaixo do nível autorizado: 



20. FL de acordo com a Tabela de Níveis de Cruzeiro conforme o Anexo 2 da CACI?

 Sim


 Não



RELATO


21. Descrição Detalhada do Desvio

(Por favor, dê sua opinião sobre a rota voada pela aeronave e a causa do desvio.)








22 – COMENTÁRIOS DA TRIPULAÇÃO (SE HOUVER)






Após preencher este formulário, favor enviá-lo à:

Agência de Monitoração do Caribe e América do Sul (CARSAMMA)

AV. GENERAL JUSTO, 160/TÉRREO  - CENTRO

22295-090  -  RIO DE JANEIRO  -  RJ

Telefone: (55-21)2101-6358 Fax: (55-21) 2101-6358

E-mail: carsamma@decea.gov.br


©bemvin.org 2016
enviar mensagem

    Página principal