Campos, Flávio. Miranda. Renan Garcia. A escrita da História



Baixar 115,03 Kb.
Encontro13.11.2016
Tamanho115,03 Kb.
Questão 01)

“Em 1848, a Convenção dos Direitos Femininos, realizada em Nova York, publicou a “Declaração de Sentimentos”, na qual defendia o direito de voto para as mulheres. [...] em 1920, as mulheres norte-americanas conquistaram o direito de voto. (...) No Brasil, o movimento organizado em defesa do voto feminino surgiu em 1922, quando foi fundada a Federação Brasileira pelo Progresso Feminino, no Rio de Janeiro. Em 1932, o governo federal estabeleceu as novas regras eleitorais permitindo as mulheres votar e candidatar-se”.

CAMPOS, Flávio. MIRANDA. Renan Garcia. A Escrita da História.
São Paulo: Editora Escala Educacional, 2005. p. 61. [Adaptado].
Sobre a situação das mulheres na Grécia Antiga, marque a alternativa correta.
a) Diferente do que ocorreu no século XIX e XX na Europa e no Brasil, as mulheres, em boa parte das cidades-Estado gregas, eram tratadas como cidadãs com direitos e deveres.

b) O Código de Drácon, instituído por Solon, antecipando em vários séculos as Constituições do EUA e do Brasil, determinava que as mulheres gregas tivessem os mesmos direitos de voto que os homens.

c) O Código de Drácon, instituído por Solon, fundamentava o machismo grego e determinava que as mulheres gregas, em todas as cidades-Estado, não tivessem os mesmos direitos de voto que os homens.

d) Em Atenas, por mais que houvera a democracia, essa estava restrita aos homens atenienses adultos não escravos. Já em Esparta, as mulheres gozavam de maior liberdade.

e) Em Esparta, pólis marcada pelo militarismo, as mulheres não tinham a menor liberdade, muito menos o direito de voto. Já em Atenas, berço da democracia, houve, de certo modo, a antecipação dos direitos da mulher que seriam conquistados nos EUA e no Brasil só no século XX.
Questão 02)

Heródoto e Tucídides elaboraram importantes trabalhos sobre História, Geografia, Política, Guerras. Para eles, na investigação histórica devia prevalecer o argumento da autoridade que eles obtiveram por meio dos relatos de viagem, da familiaridade com a multidão de informantes. Sobre as obras de ambos os autores, assinale o correto.


a) Heródoto, em sua obra Histórias, escreveu sobre a invasão Persa na Grécia. Tucídides compôs A Guerra do Peloponeso, a grande guerra entre Atenas e Esparta.

b) Heródoto, em sua obra Ilíada, escreveu sobre a Guerra entre Gregos e Troianos. Tucídides compôs A Odisséia, que narra o retorno de Ulisses após a derrota de Tróia para Grécia.

c) Heródoto e Tucídides são personagens fictícios e lendários da gigantesca obra do poeta Homero, autor dos maiores poemas épicos da literatura grega antiga: Ilíada e Odisséia.

d) Heródoto e Tucídides reforçaram em seus relatos a crença mítica de que os deuses participaram, assim como os homens, das guerras Greco-pérsicas.


Questão 03)

“O mundo grego foi, basicamente, um mundo da palavra falada e não da escrita.”

Moses I. Finley. Democracia antiga e moderna. Rio de Janeiro: Graal, 1988, p. 30
A constatação acima, relativa à Grécia antiga, pode ser justificada
a) pelo desconhecimento da escrita, que impedia quaisquer registros oficiais nas cidades-estado gregas.

b) pela importância do teatro, dos arautos e dos aedos, que contribuíam para a preservação da memória coletiva.

c) pelo caráter representativo da democracia ateniense, que tornava desnecessária a participação direta dos cidadãos.

d) pela valorização das atividades físicas e militares, que prescindiam da alfabetização dos jovens.

e) pelo grande número de escravos presentes nas cidades-estado, que eram totalmente analfabetos.
Questão 04)

No século V a.C., após as Guerras Greco-Pérsicas e com a formação da chamada Confederação de Delos, o mundo grego conheceu um período de hegemonia de Atenas, durante o qual destacaram-se o governo e a política de Péricles. NÃO é uma característica dessa política


a) o combate contra o partido aristocrático em Atenas e nas cidades por ela controladas.

b) a consolidação de instituições como a Assembleia Popular, o Conselho dos Quinhentos e a Heleia.

c) o estabelecimento de remuneração aos cidadãos mais pobres, por participação nas sessões da Assembleia Popular.

d) a concessão dos direitos de cidadania aos metecos e às mulheres livres.

e) o apoio às manifestações artísticas e culturais em Atenas.
Questão 05)

A religiosidade grega exerceu grande influência sobre a romana. Muitos deuses gregos foram adotados pelos romanos, que mudaram seus nomes, porém mantiveram suas atribuições.


Assinale a alternativa que estabelece uma relação correta entre os nomes dos deuses e suas atribuições.

Questão 06)

Durante o Império Romano, o espetáculo dos gladiadores, assistido nos anfiteatros, não se restringia à promoção de uma violência ilimitada, cujo fim fosse a morte dos combatentes. Nesse contexto, esse espetáculo


a) punia os criminosos por meio de uma humilhação pública exemplar.

b) homenageava o Imperador, associando-o à honra e à coragem do gladiador.

c) concedia ao público a decisão sobre seu desfecho, fundando o poder popular como princípio do regime.

d) favorecia a criação de uma elite guerreira, utilizada para reprimir as revoltas nas províncias.

e) assimilava os códigos culturais germânicos que se incorporavam aos costumes romanos.
Questão 07)

A famosa cidade de Constantinopla foi o centro do Império Romano do Oriente. Sua localização era estratégica para o comércio da época. Do ponto de vista militar, Constantinopla era:


a) arcaica e pouco funcional, tendo sido, por isso, invadida pelos bárbaros várias vezes.

b) cercada por altas muralhas que a ajudavam a se defender.

c) vulnerável, pois não tinha bons portos como a Grécia e o Egito.

d) guardada por uma esquadra marítima, mas sem centralização do seu comando.

e) protegida por um exército de mercenários vindos de pontos diferentes do Oriente Médio.
Questão 08)

O Império Romano do Ocidente sofre a sua desintegração a partir do século IV da era cristã, ao tempo que avançam os povos bárbaros, como eram chamados aqueles que não pertenciam ao mundo romano. Quanto aos “bárbaros” é correto afirmar:


a) os hunos, grupo tribal ordinário da Ásia Central, penetraram pacificamente em territórios romanos convivendo harmonicamente com os germânicos.

b) os bárbaros não incorporaram costumes e normas romanas, ficando assim fiéis às suas tradições.

c) com o aprofundamento da crise do império romano, integrantes de tribos bárbaras adentraram pacificamente as fronteiras romanas.

d) o renascimento carolíngio condenou as obras clássicas, o teocentrismo e o trabalho dos monges copistas.

e) a adoção do direito romano, como referência jurídica, extinguiu em todo o território romano a prática do direito consuetudinário e dos costumes tribais bárbaros.
Questão 09)

“Sacrificar animais, sem orações, não funciona, aparentemente, nem produz a correta relação ritual com os deuses. As fórmulas variam; uma para conseguir um bom agouro, uma segunda para evitar o mau agouro e uma terceira para cultuar as divindades. Os magistrados superiores rezam segundo fórmulas estabelecidas, tomando muito cuidado para não omitir ou trocar palavras; uma pessoa deve ler a prece de um livro e o magistrado deve repetir, fielmente, palavra por palavra; uma outra pessoa confere, cuidadosamente, se o que ele fala bate com o texto.”

Plíno, o Velho. História natural, livro XXVIII, versículos 10-

12, citado por Pedro Paulo de Abreu Funari. Roma. Vida

pública e vida privada. São Paulo: Atual, 1993, p.17-18
O fragmento acima, escrito na Roma do século I d.C., mostra aspectos
a) da religião oficial, tradicional e hegemônica entre os romanos.

b) das práticas de bruxaria, populares no interior do Império Romano.

c) da religião católica, que se alastrava pelo Império Romano.

d) as práticas mágicas, introduzidas por povos dominados pelos romanos.

e) da religião islâmica, presente nos domínios romanos da África.
Questão 10)

O feudalismo substituiu o escravismo antigo, estabelecendo novas relações de trabalho, baseadas na mão de obra servil. No sistema feudal, os servos


a) poderiam ser vendidos como mercadorias e eram obrigados a trabalhar o tempo inteiro para o senhor feudal.

b) estavam subordinados aos senhores feudais, por meio de obrigações, tais como: a corveia e as banalidades.

c) eram trabalhadores livres, podendo pedir demissão e procurar outro emprego sempre que quisessem.

d) eram, na sua maioria, prisioneiros de guerra, podendo ser trocados e vendidos nos mercados locais.

e) recebiam salário compatível com o trabalho executado: quanto mais trabalhassem, mais ganhavam.
Questão 11)

Portanto, a cidade de Deus, que se crê única, está dividida em três ordens: alguns rezam, outros combatem, outros trabalham. Estas três ordens vivem juntas e não suportariam uma separação.

Adalberto, Bispo de Laon
O texto se refere
a) à República romana, em que sacerdotes pagãos controlavam a religião, generais comandavam o exército e escravos trabalhavam na terra.

b) ao final do Império Romano, quando o cristianismo tornou-se a religião oficial, o exército ganhou importância e o escravismo atingiu o seu apogeu.

c) à sociedade feudal, em que o clero fazia o serviço religioso, a nobreza guerreava e os servos trabalhavam na terra para os seus senhores feudais.

d) ao final da Idade Média, em que a Igreja tinha muito poder, os exércitos eram constituídos por servos e os burgueses trabalhavam com o comércio.

e) ao Antigo Regime, no qual o direito divino conferia legitimidade ao Absolutismo, as guerras eram religiosas e a nobreza vivia na corte, em torno do rei.
Questão 12)

“A instituição das corveias variava de acordo com os domínios senhoriais, e, no interior de cada um, de acordo com o estatuto jurídico dos camponeses, ou de seus mansos [parcelas de terra].”

Marc Bloch. Os caracteres originais da França rural, 1952.
Esta frase sobre o feudalismo trata
a) da vassalagem.

b) do colonato.

c) do comitatus.

d) da servidão.

e) da guilda.
Questão 13)

(…) Deus tinha distribuído tarefas específicas a cada homem; uns deviam orar pela salvação de todos, outros deviam lutar para proteger o povo; cabia aos membros do terceiro estado, de longe o mais numeroso, alimentar, com seu trabalho, os homens de religião e da guerra. Este padrão, que rapidamente marcou a consciência coletiva, apresentava uma forma simples e em conformidade com o plano divino e assim sancionava a desigualdade social e todas as formas de exploração econômica (…)

(Georges Duby, As três ordens ou o imaginário do feudalismo apud Patrícia Ramos Braick e Myrian Becho Mota, História: das cavernas ao Terceiro Milênio)
A partir do texto, é correto concluir que
a) a Igreja não reconhecia importância nas atividades que estivessem desligadas da religião, assim a condição de não nobre revelava um sujeito vítima do castigo divino.

b) a rigidez da estrutura da sociedade feudal não foi regra durante a Idade Média, pois a partir do século X, estabeleceu-se uma dinâmica sociedade de classes.

c) as posições sociais menos importantes derivavam menos da vontade divina e mais da ausência de empenho dos homens, segundo a teologia cristã medieval.

d) a sociedade feudal estruturava-se de forma rígida, determinada pelo nascimento e com pequenas possibilidades de movimentação entre as camadas sociais.

e) a suposta imobilidade da sociedade medieval tem fundamento nas teses teológicas de santo Agostinho, que defendiam a supremacia da razão em detrimento da fé.
Questão 14)

O absolutismo que se instalou na Europa Ocidental, a partir do século XVI, construiu-se sobre uma base social caracterizada pela


a) desigualdade dos diferentes grupos sociais perante a lei.

b) divisão da soberania do Estado entre o rei, a Igreja e a nobreza feudal.

c) confirmação da autonomia do senhor feudal dentro de suas propriedades.

d) aceitação da liberdade religiosa dos cidadãos, mesmo em desacordo com a religião do rei.

e) supremacia da autoridade da Igreja sobre as populações dos reinos europeus ocidentais.
Questão 15)

O fim último, causa final e desígnio dos homens (...), ao introduzir aquela restrição sobre si mesmos sob a qual os vemos viver nos Estados, é o cuidado com sua própria conservação e com uma vida mais satisfeita. Quer dizer, o desejo de sair daquela mísera condição de guerra que é a consequência necessária (…) das paixões naturais dos homens, quando não há um poder visível capaz de os manter em respeito, forçando-os, por medo do castigo, ao cumprimento de seus pactos (...).

(Thomas Hobbes. Leviatã, 1651. In: Os pensadores, 1983.)
De acordo com o texto,
a) os homens são bons por natureza, mas a sociedade instiga a disputa e a competição entre eles.

b) as sociedades dependem de pactos internos de funcionamento que diferenciem os homens bons dos maus.

c) os castigos permitem que as pessoas aprendam valores religiosos, necessários para sua convivência.

d) as guerras são consequências dos interesses dos Estados, preocupados em expandir seus domínios territoriais.

e) os Estados controlam os homens, permitindo sua sobrevivência e o convívio social entre eles.
Questão 16)

Nos séculos XVII e XVIII, ganharam força as teorias contratualistas, cujo principal questionamento é o fundamento racional do poder soberano. Filósofos como Thomas Hobbes, John Locke, Jean-Jacques Rousseau tinham igual propósito de investigar a origem do Estado. Esses pensadores partem da hipótese do estado de natureza e imaginam as pessoas vivendo antes de qualquer sociabilidade. Thomas Hobbes, advertindo que a guerra era inevitável no estado natural, conclui que a única maneira de garantir a paz seria a delegação de um poder ilimitado ao soberano. Por defender tais princípios, Hobbes ficou conhecido como o teórico do


a) neoliberalismo.

b) absolutismo.

c) liberalismo.

d) socialismo.


Questão 17)

Sob o ponto de vista político, todos os reis medievais ibéricos se consideravam herdeiros legítimos e descendentes dos antigos monarcas visigodos. Por isso, consideravam sua qualquer terra ganha aos “infiéis”. Assim surgiu a palavra Reconquista. A guerra permanente tinha-se por justa, até que fosse alcançado o objetivo último. Mais do que um conflito religioso, a Reconquista surgia a todos, na Europa cristã, como uma questão de herança.

(Adaptado de Oliveira Marques. Breve História de Portugal. Lisboa: Presença, 2001. p. 72–73.)
Sobre o fenômeno da Reconquista, é correto afirmar:
a) Favoreceu o nascimento dos reinos ibéricos independentes.

b) Promoveu a conversão em massa das populações muçulmanas para o cristianismo.

c) Deslocou integralmente o interesse e a ação dos cruzados para a Península Ibérica.

d) Fomentou a migração imediata dos muçulmanos para o norte da África.

e) Encerrou a coexistência entre cristãos e muçulmanos no medievo ibérico.
Questão 18)

No decorrer do século XIX, as transformações propiciadas pela expansão do capitalismo industrial fortaleceram entre a burguesia a ideia de que a humanidade tendia a um constante progresso. Com relação à cultura burguesa e à ideia de progresso, assinale a afirmativa INCORRETA:


a) Os burgueses acreditavam que o progresso beneficiaria o conjunto da população europeia.

b) O liberalismo foi utilizado pela burguesia europeia na luta contra a aristocracia e seu modo de vida.

c) O individualismo, o empreendedorismo e o apego à modernização eram valores difundidos pela burguesia.

d) Os conceitos liberais não foram absorvidos pelos burgueses, pois não correspondiam a sua visão de mundo.


Questão 19)

“O fim último, causa final de desígnio dos homens (que amam naturalmente a liberdade e o domínio sobre os outros), ao introduzir aquela restrição sobre si mesmos sob a qual vemos viver nos Estados, é o cuidado com sua própria conservação e com a vida mais satisfeita. Quer dizer, o desejo de sair daquela mísera condição de guerra que é a consequência necessária [...] das paixões naturais dos homens, quando não há um poder visível capaz de os manter em respeito, forçando-os, por medo do castigo, ao cumprimento de seus pactos e ao respeito àquelas leis da natureza [...]”.


“Portanto todo homem, pelo ato de [concordar] [...] com outros em formar um corpo político debaixo de um governo, se obriga para com cada um dos membros dessa sociedade a se submeter à determinação da maioria, e a ser governado por ela”.
Pela análise dos excertos, conclui-se que
a) o primeiro se refere às ideias anarquistas, uma vez que rejeita toda e qualquer prática de governo constituído pela burguesia, concebendo-o, como justo, se levar em conta os anseios e as reivindicações trabalhistas do conjunto da sociedade.

b) o segundo refere-se às ideias liberais, uma vez que concebe o governo como um corpo autônomo e dotado de amplos poderes, capaz de suprimir as liberdades individuais em nome da vontade do governante (único capaz de salvaguardar os interesses da sociedade).

c) ambos partem de pressupostos para conceber ideias sobre o governo: o primeiro, absolutista, o entende como um corpo punitivo e autoritário; o segundo, iluminista, o concebe como um corpo formado a partir das decisões e das vontades da maioria.

d) ambos negam práticas coercitivas de poder, uma vez que, iluministas, entendem o governo como uma entidade formada pelas decisões da maioria, sendo suas leis e práticas elaboradas com o intuito de se evitarem conflitos pelo poder entre seus membros.

e) o primeiro, absolutista, entende, por governo, um conjunto de regras e práticas elaboradas pela sociedade; o segundo, iluminista, concebe o governo como órgão fiscalizador, punitivo e autoritário, criado para se evitarem conflitos que levem os homens ao estágio anterior à sociedade.
Questão 20)

– É difícil libertar os tolos das amarras que eles veneram.

– A leitura engrandece a alma.

– Todo aquele que desconfia, convida os outros a traí-lo.

– O abuso da graça é afetação; o abuso do sublime, absurdo. Toda perfeição é um defeito.

– O valor dos grandes homens mede-se pela importância dos serviços prestados à humanidade.

– A guerra é o maior dos crimes, mas não existe agressor que não disfarce seu crime com pretexto de justiça.

– O meu ofício é dizer o que penso.

– A primeira lei da natureza é a tolerância; já que temos todos uma porção de erros e fraquezas.

– Devemos julgar um homem mais pelas suas perguntas que pelas respostas.

– O acaso é uma palavra sem sentido. Nada pode existir sem causa.

Frases de Voltaire, pensador iluminista

(www.suapesquisa.com/biografias/voltaire.htm)
Os pensadores iluministas tiveram como princípio comum

a) a República como único regime político democrático.

b) a razão como portadora do progresso e da felicidade.

c) os operários sindicalizados como base do poder político.

d) o calvinismo como justificativa de riqueza material.

e) o socialismo como alicerce do exercício da cidadania.


Questão 21)

Assinale a alternativa que apresenta INCORRETAMENTE uma das características da Contra-Reforma:


a) Estabelecimento de tribunais inquisitoriais para julgamento de práticas religiosas consideradas heréticas.

b) Criação de ordens religiosas no século XVI, que atuaram em missões católicas na Europa e fora do continente europeu.

c) Confirmação do papel da arte religiosa como instrumento utilizado no ensino das doutrinas católicas e no estímulo à devoção.

d) Reformulação da teologia com base na doutrina da salvação pela fé e no pensamento de Santo Agostinho.


Questão 22)

Em uma sociedade basicamente iletrada que ainda perdurava entre os séculos XIII e XV na Europa, o papel dos teólogos da Reforma foi extremamente importante para o letramento das pessoas comuns e para o aumento das possibilidades de cidadania.


Sobre as conquistas intelectuais advindas com a Reforma é INCORRETO afirmar que:
a) A Reforma nasceu no próprio seio da Igreja e procurou dar visibilidade ao conjunto de valores que preconizavam o retorno às origens do cristianismo.

b) Os clérigos reformistas renovaram a abordagem da teologia pastoral a fim de responder às angústias dos crentes, elaborando obras curtas sobre a moral e a prática da fé.

c) As traduções da Bíblia (como a de Gutenberg, 1456) difundiram-se na Europa, permitindo aos leigos acesso mais fácil às escrituras.

d) A nova relação mais direta, mas íntima entre os fiéis e Deus, intermediada pelos textos sagrados, incomodava a Igreja, porque diminuía fortemente a autoridade do Papa e do clero e quebrava a ordem social do mundo medieval.

e) As traduções mais livres da Bíblia permitiram a liberalidade dos costumes, fazendo com que alguns protestantes não seguissem mais os valores morais pregados pelo Cristianismo.
Questão 23)

Na Alemanha do século XVI, teve início, em meio a uma série de transformações econômicas, políticas, sociais e culturais que assinalaram o período de transição entre a sociedade feudal e a moderna, a Reforma Religiosa.


Dentre as principais causas da Reforma Religiosa, NÃO é possível assinalar:
a) A elaboração de um conjunto de preceitos com os pontos fundamentais da doutrina católica, destinado a garantir a unidade da fé católica e a disciplina eclesiástica.

b) A crise interna à Igreja, que era caracterizada pelo comportamento imoral de parte do clero em algumas práticas, como a simonia (venda de objetos sagrados) e a venda de indulgências.

c) A ascensão da burguesia possuidora de uma nova mentalidade vinculada à idéia de lucro e que encontrava obstáculo na defesa do preço justo e na condenação da usura pela Igreja Católica.

d) O surgimento de um sentimento nacionalista a partir do fortalecimento das monarquias nacionais, que definiam as fronteiras e centralizavam o poder nas mãos do rei.


Questão 24)

Sobre o período a que chamamos de Idade Moderna assinale a afirmativa INCORRETA.


a) Teve seu início com a tomada da cidade de Constantinopla pelos turcos em 1453.

b) A Igreja Católica à época condenava o lucro. Todavia, cobrava dízimos e vendia indulgências que a enriqueciam, colocando-a assim em oposição às aspirações burguesas.

c) O teólogo católico Martinho Lutero (1483-1546) escreveu 95 teses sobre o que entendia como irregularidades da Igreja Católica da época, vindo a assumir sua liderança a partir de 1519.

d) O movimento protestante engendrou conflitos e perseguições, além, é claro, do impulso à alfabetização e o próprio desenvolvimento capitalista.

e) Os primeiros colonos franceses chegados na América portuguesa, entre os anos 1555 e 1560, tinham inspiração protestante, instalando uma colônia de adeptos calvinistas onde se localiza hoje a Baía de Guanabara, no Rio de Janeiro.
Questão 25)

Segundo o historiador Eric Hobsbawn, a Revolução Industrial “sob qualquer aspecto [este] foi provavelmente o mais importante acontecimento na história do mundo, pelo menos desde a invenção da agricultura e das cidades. E foi iniciado pela Grã-Bretanha”.


Com relação ao excerto acima, assinale a alternativa incorreta.
a) Não ocorreram movimentos de resistência dos trabalhadores às novas formas de trabalho estabelecidas pela Revolução Industrial.

b) A Revolução Industrial propiciou o surgimento de novas formas de organização da produção de bens, sendo que o sistema de fábricas tornou-se o preponderante, difundindo-se para outros países e continentes, no decorrer dos séculos XIX e XX.

c) Possibilitou o estabelecimento de uma nova forma de controle do tempo, que passou a ser marcado pelo relógio e não mais pela natureza.

d) O sistema de fábricas, no qual os trabalhadores estão concentrados em um mesmo espaço, possibilitou que o dono da fábrica controlasse também a mão de obra, além da matéria prima.

e) Entre as principais inovações tecnológicas advindas com a Revolução Industrial, podese citar a substituição das máquinas movidas à tração animal ou à força da água pelas máquinas a vapor.
Questão 26)

O modus operandi é o seguinte: a Boeing contrata diversas companhias de aviação russas, que lhe fornecem engenheiros. Usando um software francês especializado, os engenheiros russos colaboram com seus colegas da Boeing America – localizados em Seattle, Kansas – em projetos de aeronaves auxiliados por computador. A combinação de cabos de fibra óptica, tecnologias avançadas de compressão e software de fluxo de trabalho lhes permite transmitir os desenhos de um lado para o outro, entre Moscou e os Estados Unidos.


(Thomas Friedman. O Mundo é Plano, 2005. Adaptado.)
O conteúdo do texto sintetiza algumas das principais forças que produziram a globalização atual. São elas:
a) o movimento ambientalista global e a conferência ECO 92.

b) o nacionalismo e a abundância de mão de obra desqualificada.

c) a industrialização por substituição de importações e o protecionismo.

d) a ONU e a formação dos blocos econômicos regionais.

e) o fim da Guerra Fria e a Terceira Revolução Industrial.
Questão 27)

A economista norte-americana Deirdre McCloskey afirma que as inovações tecnológicas, baseadas na criatividade, inventividade e liberdade, provocaram o inigualável crescimento da renda média em diversos países, especialmente a partir do século XIX, continuando durante o século XX. Sobre inovações, criatividade e inventividade, podemos afirmar que


a) em meados do século XVIII, a primeira Revolução Industrial teve como principais invenções: a máquina a vapor e a lâmpada elétrica.

b) em meados do século XIX, a segunda Revolução Industrial desenvolveu a indústria química e o uso da eletricidade.

c) a segunda revolução Industrial desenvolveu o uso de computadores, tanto nos processos industriais quanto no uso pessoal.

d) a primeira revolução Industrial aconteceu em vários países simultaneamente: Inglaterra, França, Holanda, Espanha e Portugal, além de introduzir a organização da produção na fábrica.

e) as inovações tecnológicas nos últimos vinte e cinco anos aumentaram a percentagem de trabalhadores no setor industrial em detrimento do setor de serviços.
Questão 28)

A Segunda Revolução Industrial ocorrida, fundamentalmente, a partir da terceira década do século XIX, provocou profundas transformações no Sistema Capitalista de Produção. Sobre este fato histórico é incorreto afirmar:


a) A Segunda Revolução Industrial foi baseada no profundo avanço da Ciência Moderna e da Tecnologia.

b) A Segunda Revolução Industrial provocou a concentração e a centralização do Capital.

c) A Segunda Revolução Industrial levou ao Imperialismo.

d) Os principais setores da Segunda Revolução Industrial foram o têxtil e o metalúrgico.

e) Durante a Segunda Revolução Industrial, a Inglaterra perdeu o domínio da produção de bens industrializados.
Questão 29)

Uma análise da Revolução Francesa permite perceber sua importância política, sem deixar de ressaltar sua violência e suas contradições. Na sua Declaração dos Direitos Humanos e do Cidadão:


a) destacava-se a condenação à propriedade privada e ao capitalismo.

b) definia-se a vitória dos ideais do liberalismo, favoráveis à elite da época.

c) negava-se o valor da escravidão, embora não atacasse a sua existência nas colônias europeias.

d) afirmava-se a igualdade universal perante a lei, sem respeitar os limites desejados pela burguesia.

e) defendia-se a submissão das colônias, mas se omitia em relação aos danos da censura e da propriedade.
Questão 30)

Leia o texto sobre a Revolução Francesa e responda:


Para essa mentalidade revolucionária também contribuíram as grandes expectativas provocadas pela convocação dos estados gerais, pois, como os pobres urbanos, também os camponeses esperavam que suas queixas fossem ouvidas. Na primavera de 1789, os camponeses atacavam comboios de alimentos e se recusavam a pagar impostos reais, dízimos e obrigações senhoriais. Esses levantes revolucionários intensificaram-se em fins de julho de 1789, quando se divulgaram rumores de que os aristocratas estavam organizando bandos de bandidos para atacar os camponeses e roubar suas colheitas. Os camponeses entraram em pânico e deram vazão a um ódio secular contra os nobres, atacando os castelos e queimando os registros senhoriais onde estavam inscritas as suas obrigações para com os senhores.

(Marvim Perry. Civilização Ocidental. Uma história concisa)


O texto deve ser relacionado com:
a) o Período do Terror;

b) o Grande Medo;

c) o Golpe do 18 Brumário;

d) a Reação Thermidoriana;

e) a Tomada da Bastilha.
Questão 31)

Acerca da Revolução Francesa (1789-1799), é INCORRETO afirmar que


a) a declaração dos direitos universais, embora significasse um avanço em relação à ordem feudal, não extrapolava os marcos da ordem capitalista, a exemplo da propriedade privada.

b) o processo revolucionário colocou em xeque certos valores tradicionais como a união Estado e Igreja e o caráter sagrado do rei, aspecto bem exemplificado na substituição da monarquia pela república e na execução do rei Luiz XVI.

c) o Período do Terror foi uma fase de domínio político dos girondinos, representantes da alta burguesia que implantou a mais violenta repressão sobre os trabalhadores franceses.

d) a revolução se inscreve em um contexto maior de difusão do pensamento iluminista, de transformações econômicas e políticas, exemplificadas, respectivamente, pela chamadas revoluções Industrial e Americana.


Questão 32)

“As metáforas da luz vitoriosa das trevas, da vida renascendo do seio da morte, do mundo reconduzido ao seu começo são imagens que se impõem universalmente por volta de 1789.”

Jean Starobinski. 1789. Os emblemas da razão.
São Paulo:Companhia das Letras, 1988, p. 38
O texto se refere à
a) independência dos Estados Unidos e sua influência no resto do mundo.

b) coroação de Luis XIV, intitulado Rei Sol e exemplo de monarca absoluto.

c) reconquista da Península Ibérica, antes tomada pelos mouros.

d) hegemonia britânica sobre os mares após o Ato de Navegação.

e) difusão dos ideais iluministas associados à Revolução Francesa.
Questão 33)

Se a base de um governo popular em tempo de paz é a virtude, a do governo popular, na revolução, é o terror. Sem a virtude, o terror é fatal; sem o terror, a virtude é impotente. (Robespierre)


O pensamento de Robespierre, no contexto do Terror, fase da Revolução Francesa, explica
a) a criação do Tribunal Revolucionário.

b) a aprovação da Constituição do ano III.

c) a criação da Guarda Nacional.

d) a convocação da Assembleia Nacional Constituinte.


Questão 34)

A guerra ficou conhecida como uma guerra de trincheiras.

Combater significava ficar sentado num buraco apertado e lamacento – com todo o sentimento de terror e impotência – enquanto choviam explosivos do céu. Ali surgiu também um novo tipo de distúrbio, a neurose de guerra. Os sintomas, que iam da ansiedade às alucinações, foram considerados inicialmente como resultado de danos cerebrais causados pelo barulho das explosões de granadas.

(Nosso Tempo – A cobertura jornalística do século. Jornal da Tarde, 1995. Adaptado.)


A situação descrita no texto refere-se
a) à fase da guerra de trincheiras, ocorrida na 1ª Grande Guerra (1914-1918).

b) à utilização de armas nucleares ao final da 2ª Guerra Mundial (1936-1945).

c) às consequências do uso do napalm durante a Guerra do Vietnã (1960-1976).

d) à ação dos bombardeiros alemães na Guerra Civil Espanhola (1936-1939).

e) à operação dos mísseis cruise utilizados pelos norteamericanos contra o Iraque (1991).
Questão 35)

Em 1914, as tensões políticas entre as principais potências europeias levaram a uma guerra que se tornou, ao longo dos anos seguintes, um dos mais trágicos momentos da história da humanidade.


Em relação à Primeira Guerra Mundial, é INCORRETO afirmar que:

a) a Grande Guerra foi travada em duas frentes de combate e em ambas a perda de vidas humanas alcançou a dimensão de verdadeiros massacres.

b) na guerra de 1914-1918, foram utilizadas novas tecnologias de comunicação e transportes, proporcionando um avanço científico acelerado.

c) por envolver grandes potências coloniais a Grande Guerra atingiu populações não europeias o que deu ao conflito uma dimensão mundial.

d) através de bombardeios aéreos, racionamentos de alimentos e produtos, a guerra envolveu, em grande escala, a população civil dos países em conflito.

e) a Grande Guerra decorreu da tensão política e ideológica entre americanos e soviéticos na disputa por áreas de influência no continente europeu.


Questão 36)

A I Guerra Mundial (1914-1918) provocou mudanças importantes no mapa político da Europa. Entre essas, é correto apontar a


a) devolução da Alsácia-Lorena, então com a Alemanha, para a França e a concessão de uma saída para o mar para a Polônia, criando o chamado Corredor Polonês.

b) perda, pela Itália, da região de Trieste para a Iugoslávia, e a cessão, pela França, da região basca para a Espanha.

c) anexação do norte da Bélgica pela França e o reconhecimento da independência da Grécia.

d) incorporação de Montenegro ao território grego e a fragmentação do Reino Unido, com a independência do País de Gales.

e) ampliação do Império Austro-Húngaro, com o ajuntamento da Sérvia, e a devolução da Armênia para o Império Turco.
Questão 37)

Com base nos estudos sobre as consequências da Primeira Guerra Mundial para a Europa, é correto afirmar:


a) Apesar de grande parte do território europeu ter sido devastado com a Guerra, o mapa geopolítico do continente permaneceu o mesmo, demonstrando a força das monarquias nacionais.

b) A Primeira Guerra Mundial levou ao fim o Império Austro-Húngaro e Otomano, que se dividiram em diversos países independentes e adotaram o socialismo soviético, conforme acordado no Tratado de Brest-Litovski.

c) Essa Guerra marcou o final dos Impérios Austro-Húngaro e Otomano, a implantação do modelo democrático-liberal em vários países europeus, a afirmação do princípio de autodeterminação dos povos em bases étnicas e culturais e a grande penalização da Alemanha pelo Tratado de Versalhes.

d) A Alemanha e a Itália foram as grandes derrotadas nessa guerra, perdendo parte de seus territórios, que se declararam independentes pelo princípio de autodeterminação do presidente Woodrow Wilson.

e) Além do final do Império Otomano, essa guerra trouxe o fim dos impérios coloniais de França e Alemanha, sem contar o fim do recém-implantado socialismo soviético, por conta do Tratado de Versalhes.
Questão 38)

As alianças militares, as disputas colonialistas e a corrida armamentista levaram a Europa à Primeira Guerra Mundial (1914-1918).


Acerca desse contexto é correto afirmar, exceto:
a) A Rússia aliou-se com a Tríplice Aliança para derrotar os Sérvios em Sarajevo.

b) Os Estados Unidos da América entraram no conflito ao lado da Tríplice Entente.

c) Entre as inovações tecnológicas destacaram- se a utilização de submarinos, tanques de guerra e encouraçados.

d) O Tratado de Versalhes considerou a Alemanha culpada pela guerra e impôs diversas sanções ao governo alemão.


TEXTO: 1 - Comum à questão: 39

Em qualquer sociedade de tipo feudal, a lealdade dos servos se exercita em troca da segurança que o senhor pode dar. Creio que a lealdade dos jagunços, em face do chefe, tinha também um fundamento parecido: seria talvez o medo da solidão em face de uma natureza tão grandiosa, tão áspera, tão despovoada que levaria aqueles homens humildes a aderir ao grupo guerreiro, entregando-se a uma vida aventurosa em troca de uma solidariedade fraterna. A aventura: “eu avistava as novas estradas, diversidade de terras”. A ausência de fraternidade, do amor, parece ser sinal de alienação para o jagunço: “Qualquer amor já é um pouquinho de saúde, um descanso na loucura”, diz Riobaldo. A lealdade é, porém, o grande valor social, disseminado entre os jagunços de Grande sertão: veredas.


(Adaptado de Fernando Correia Dias. Aspectos sociológicos de

Grande sertão: veredas, in Guimarães Rosa – Fortuna crítica.

Org. por Eduardo de Faria Coutinho. Rio de Janeiro: Civilização

Brasileira / INL, 1983, p. 401)


Questão 39)

O texto faz referência a um tipo de relação social que, na Idade Média, deve-se ao fato de, nesse período,


a) a mentalidade e sensibilidade da nobreza medieval apoiarem-se no forte sentimento de solidariedade entre os que trabalhavam, os que rezavam e lutavam nas guerras.

b) a economia, a sociedade e a política basearem-se nas relações de suserania e vassalagem dentro do grupo dos senhores e nas relações de dominação entre os senhores e servos.

c) os grupos sociais serem constituídos de servos e escravos, que garantiam a sobrevivência material da sociedade, em troca de proteção de vida nas expedições militares.

d) a honra e a palavra terem importância fundamental, sendo os senhores feudais e os servos ligados por um complexo sistema de tradições e obrigações de suserania e vassalagem.

e) o feudo, unidade socioeconômica básica, ser formado por porções de terras de uso comum que, juntas, constituíam um corpo autossuficiente de produção e consumo familiar dos servos.
TEXTO: 2 - Comum à questão: 40

Se há muito riso quando um partido sobe, também há muita lágrima do outro que desce, e do riso e da lágrima se faz o primeiro dia da situação, como no Gênesis. [...] Os liberais foram chamados ao poder, que os conservadores tiveram de deixar. Não é mister dizer que o abatimento de Batista era enorme.

Batista passeava, as mãos nas costas, os olhos no chão, suspirando, sem prever o tempo em que os conservadores tornariam ao poder. Os liberais estavam fortes e resolutos. D. Cláudia levantou-se da cadeira, rápida, e disparou esta pergunta ao marido:

 Mas, Batista, você o que é que espera mais dos conservadores?

Batista parou com um ar digno e respondeu com simplicidade:

 Espero que subam.

(Adaptado de Machado de Assis. Esaú e Jacó.
Rio de Janeiro: Nova Aguillar, v.I. p. 1003)
Questão 40)

Os liberais mencionados no texto assim se denominavam por se considerarem seguidores do liberalismo. Assinale a alternativa que apresenta alguns dos princípios e bandeiras do liberalismo.


a) Defesa do regime constitucional, respeito às liberdades individuais e aos direitos civis.

b) Apoio às organizações trabalhistas, como os sindicatos, e às organizações empresariais e às mobilizações sociais.

c) Oposição ao poder absolutista, aos valores do Antigo Regime e ratificação das decisões tomadas no Congresso de Viena.

d) Repúdio aos valores iluministas, às monarquias constitucionais e aos privilégios nobiliárquicos e eclesiásticos.

e) Estímulo à ilustração, ao despotismo esclarecido e à disseminação das ideias mercantilistas do Antigo Regime.
GABARITO:


1) Gab: D

2) Gab: A

3) Gab: B

4) Gab: D

5) Gab: C

6) Gab: B

7) Gab: B

8) Gab: C

9) Gab: A

10) Gab: B

11) Gab: C

12) Gab: D

13) Gab: D

14) Gab: A

15) Gab: E

16) Gab: B

17) Gab: A

18) Gab: D

19) Gab: C

20) Gab: B

21) Gab: D

22) Gab: E

23) Gab: A

24) Gab: C

25) Gab: A

26) Gab: E

27) Gab: B

28) Gab: D

29) Gab: B

30) Gab: B

31) Gab: C

32) Gab: E

33) Gab: A

34) Gab: A

35) Gab: E

36) Gab: A

37) Gab: C

38) Gab: A

39) Gab: B

40) Gab: A




©bemvin.org 2016
enviar mensagem

    Página principal