Autores(as): Ana Patrícia Rodrigues Sartori



Baixar 11,64 Kb.
Encontro28.02.2017
Tamanho11,64 Kb.
Eixo temático: Democratización de espacios públicos y sostenimiento de programas de animación sociocultural (ASC) comunitarios.

Título: A itinerância no percurso formativo da RIA Nodo Brasil: possibilidades de ocupação da cidade e democratização dos espaços públicos.

Autores(as):

Ana Patrícia Rodrigues Sartori. Pós-graduada em Lazer e Animação sociocultural – SENAC / RIA Nodo Brasil. São Paulo – Brasil. Telefone: 005511981977538 E-mail: anapsartori@hotmail.com

Jean Melo – Psicólogo e educador social. jean.mello9@gmail.com

Kenya Paula Gonsalves da Silva. Doutoranda em Educação- FE-USP / RIA Nodo Brasil. São Paulo - Brasil .005511971368063 E-mail: kpaula@usp.br

A Mesa de diálogo em questão tem como objetivo refletir sobre a democratização de espaços públicos na cidade de São Paulo - Brasil, por meio do relato de experiência do percurso formativo adotado pela RIA Nodo Brasil, desde a sua fundação. A RIA Brasil, dentre outras ações, realiza formações mensais, que são voltadas para educadores/animadores socioculturais com vistas a ampliar os vínculos entre as diferentes esferas em que a educação pode acontecer, e que ocorrem nas diversas regiões da cidade e em diversos espaços: organizações não governamentais, universidades, museus, centros culturais e etc. A cidade de São Paulo ocupa um território de 1.509 km² e reúne uma população de aproximadamente 12 milhões de habitantes. Sendo uma das maiores cidades do planeta, marcada por riquezas e possibilidades, também é profundamente marcada por contrastes e desigualdades. Baseado em autores que discutem o papel e a importância da animação sócio cultural, a educação não formal e uma educação comprometida com a consciência e transformação social dos indivíduos, tais como FREIRE(1997), VENTOSA(2002), TRILLA(1996) e GOHN (1997), este relato apresenta a intenção da RIA Nodo Brasil de aprofundar conteúdos condizentes com a uma educação que ultrapasse a escolarização, que aconteça na cidade e que possibilite o conhecimento, o acesso e a democratização desses espaços a todos. Assim, esta Mesa de Diálogo apresentará reflexões que foram geradas nas formações em questão, bem como as contribuições que a metodologia adotada proporcionou aos participantes.


Palavras-chave: Educação não formal; Animação sociocultural; Cidade educadora; Desenvolvimento Comunitário.

Referências Bibliográficas

FREIRE, P. Pedagogia do Oprimido. Rio de Janeiro. Paz e Terra,2005.

_________.A educação como prática da liberdade. Rio de Janeiro Paz e Terra,1997.

GARCIA, V. A. A educação não-formal como acontecimento. Tese de Doutorado. Faculdade de Educação da UNICAMP. Campinas, 2009.

GOHN, M. da G. Educação não-formal e cultura Política. 4. ed. São Paulo: Cortez, 2008.

GRAMSCI, A. Os intelectuais e a organização da cultura. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 244 p., 1982.

LOPES, M. de S. Metodologias de Investigação em Animação Sociocultural. Chaves, Intervenção, 2011.

Pochmann, M. (Org.). (2003). Outra cidade é possível: alternativas de inclusão social em São Paulo. São Paulo: Cortez.

SILVA, K.P.G. Educação Comunitária e Escola Pública: um estudo sobre a compreensão de Educação Comunitária de educadores e educadoras da Rede Municipal de Ensino Cidade de São Paulo. Dissertação de Mestrado - UNICAMP. Campinas, SP, 2008.

TRILLA, J. La educación fuera de la escuela: ámbitos no formales y educación social. - Barcelona: Editorial Ariel, 1996.



TRILLA, J.; GHANEM, E. (2008). Educação Formal e não formal: pontos e contrapontos. Valéria Amorim (org.). São Paulo: Sumus, 2008.

VENTOSA, V. (2002). Fuentes de la animacion sociocultural en Europa. Madrid: Editorial CCS.


Compartilhe com seus amigos:


©bemvin.org 2019
enviar mensagem

    Página principal