Alexandre kieling



Baixar 12,77 Kb.
Encontro10.03.2017
Tamanho12,77 Kb.

ITANIA

MARIA GOMES

(2009)


“Aproximar a realidade que veicula a televisão, que é antes de tudo uma realidade reduzida ao visível e, é preciso insistir, uma realidade que remete a física mecânica, aplicando-lhe um modelo da realidade proveniente do modelo quântico é um erro epistemológico maior. ”

ALEXANDRE KIELING

(2009)


“Atualmente, vive-se, no Brasil, um período de transição entre emissões analógicas e digitais. As emissoras têm entendido que, graças aos dispositivos de relacionamento (cartas, telefonia fixa e móvel, pesquisas qualitativas, Web), o público já experimenta a construção discursiva dessas narrativas interativas. Mas o fato é que, diante de uma perspectiva de convergência dos meios tecnológicos por meio da digitalização, em princípio, abre-se a perspectiva de um processo dialógico que redimensiona as relações entre emissor e receptor.’’

ULISSES VALADARES

(2009)


“Um dos principais construtores desse universo é a televisão,

que apesar de ter sua implantação recente no Brasil, dispõe de recursos que ampliam a capacidade de percepção do mundo, fundamental no desenvolvimento humano. Segundo Marcondes (1994), as imagens formam porta para outra dimensão, a dos sonhos, que apesar de não estar diretamente ligada a vida das pessoas, influencia em suas ideias e aspirações. ”



LIANA VIDIGAL ROCHA

(2006)


‘’De acordo com o manual de redação da TV Cultura, a emissora modernizou o conceito de educação pela televisão, conciliando formação e ampliação de conhecimentos com entretenimento. O padrão de qualidade da programação da TV Cultura é reconhecido, apesar das frequentes crises financeiras pelas quais vem passando nos últimos anos. ”

ALEXANDRE DANTAS

(2006)


“De acordo com Houaiss, televisão significa “sistema de transmissão de imagens à distância; transmissão e recepção de imagens visuais convertidas em sinais eletromagnéticos, por meio de ondas hertzianas ou de cabo coaxial”. Assim, termos como “transmissão”, “recepção”, “sinais eletromagnéticos”, “ondas hertzianas” etc., apontam para uma direção que se faz necessária ressaltar (ainda que se mostre óbvia): a relação existente entre televisão e tecnologia. Dessa forma, antes de qualquer análise de conteúdo televisivo (especificamente em relação à questão da violência), há que se pontuar a sua relação com a tecnologia; compreendê-la como um importante – e essencial – elemento componente da sociedade informacional, que veio em complementação ao paradigma da sociedade industrial. E sendo a tecnologia uma das principais características da globalização, faz-se indispensável situá-la a partir da compreensão da globalização. ”

Morgana Mattos Garcia

Referências:

1-Televisão e Realidade

Autor: Org. Itania Maria Gomes (2009)

https://issuu.com/midia8/docs/televisao

2-Televisão: A presença do Telespectador na Configuração Discursiva da Interatividade nos Programas de Informação – A Experiência do Fantástico

Autor: Alexandre Kieling (2009)

http://biblioteca.asav.org.br/vinculos/tede/AlexandreKielingComunicacao.pdf

3- TV Digital

Autor: Ulisses Valadares (2009)

http://livros01.livrosgratis.com.br/ea000446.pdf

4- A Televisão Pública num Ambiente de Competição Comercial

Autora: Liana Vidigal Rocha (2006)

http://www.dominiopublico.gov.br/download/texto/cp012402.pdf

5- Televisão e Socialização: A Expressão da Violência no Espaço Doméstico



Autor: Alexandre Dantas (2006)

http://www.dominiopublico.gov.br/download/texto/cp008938.pdf


©bemvin.org 2016
enviar mensagem

    Página principal