A sagração de Primavera



Baixar 11,05 Kb.
Encontro28.10.2017
Tamanho11,05 Kb.
Marcia Milhazes, Marcelo Braga e Luis Arrieta criam espetáculo inédito inspirado em “A Sagração de Primavera”

 

Criações dos coreógrafos serão encenadas no Espaço Sesc, em Copacabana, a partir de 15/8



 

Como parte do projeto “Sagração da Primavera, para além dos cem anos”, iniciado em maio, o Espaço Sesc convidou Marcia Milhazes, Marcelo Braga e Luis Arrieta para criar três coreografias inéditas que serão apresentadas entre os dias 15 e 25 de agosto. O ponto em comum entre elas é a inspiração no emblemático espetáculo de Vaslav Nijinsky (1890-1950) com música de Igor Stravinsky (1892-1971), que causou furor em sua estreia e é considerado o marco fundamental da dança moderna. Cada criação tem, em média, 15 minutos de duração e será encenada uma seguida da outra.

 

Os coreógrafos tiveram liberdade para buscar inspiração em quaisquer dos elementos presentes em “A Sagração da Primavera”. Marcia Milhazes escolheu abordar a solidão. A partir do trabalho com os dançarinos Ana Amélia Vianna, Felipe Padilha e Aline Arakaki, ela criou três olhares distintos sobre a “Sagração”, mas que se relacionam entre si, apesar de terem partituras coreográficas diferentes.



 

Já Marcelo Braga se inspira num personagem de reisado criado pelo artesão pernambucano Eudócio, discípulo de mestre Vitalino, para celebrar a inventividade e ruptura de conceitos estéticos que “A Sagração da Primavera” promoveu. Sozinho no palco, o coreógrafo e dançarino se apropria de um universo ritualístico e tribal presente no espetáculo de Nijinski e cria a imagem de um homem feito de terra. A trilha original de Antonio Saraiva revisita de forma pessoal o universo sonoro minimalista de Stravinski. Já o cenário é composto por esculturas de Marina Vergara, produzidas a partir da obra de Eudócio.

 

Luis Arrieta, por sua vez, ressalta como os autores do espetáculo souberam unir a escrita avançada da sua época com a presença milenar do folclore, o que faz a obra estar sempre atual. Dessa forma, ele buscou em sua coreografia solo retratar o homem urbano de hoje que, sob seus aspectos civilizados, mantém viva a essência da natureza. Para Arrieta, ela o conduz a ritos de passagem, que levam à evolução. 



 

O centenário de “A Sagração da Primavera” vem ganhando uma série de comemorações ao redor do mundo. Antenado com a importância da obra que subverteu a estética musical e da dança do século XX, o Espaço Sesc preparou uma programação especial, a “Sagração da Primavera, para além dos cem anos”, que, desde maio, reúne oficinas, palestras e debates.

 

Ficha técnica - Marcia Milhazes

Direção artística/coreografia: Marcia Milhazes

Bailarinos: Ana Amélia Vianna, Felipe Padilha e Aline Arakaki

Luz-criação/coordenação de palco: Glauce Milhazes

Assistente: Rodrigo Lopes

Figurino: Marcia Milhazes

Confecção do figurino: Carmem Mattos

Fotógrafa: Ana Clara Miranda

Pesquisa sonora: Eduardo Antonello

Gravação da trilha sonora: Edson Lopes

Produção: Marcia Milhazes e Glauce Milhazes

 

Ficha técnica “Eudócio”, de Marcelo Braga

Criação e atuação: Marcelo Braga

Trilha original: Antonio Saraiva

Esculturas: Marina Vergara

Dramaturgia/argumento e iluminação: João Saldanha

 

Ficha Técnica “Ontem hoje sempre”, de Luis Arrieta

Concepção, coreografia, figurino, iluminação e interpretação: Luis Arrieta

Música: Igor Stravinsky (“A Sagração da Primavera” para dois pianos)

 

Serviço

“Revisitando a Sagração”, com Marcia Milhazes, Luis Arrieta e Marcelo Braga

Espaço Sesc (Mezanino): Rua Domingos Ferreira, 160. Tel.: 2547-0156

Temporada: 15 a 25/8/2013

Quinta a sábado, 21h

Domingos, 19h30

Ingressos: R$ 5 (associados Sesc Rio), R$ 10 (estudantes, jovens de até 21 anos e maiores de 60 anos), R$ 20 (inteira)

Classificação: Livre

Duração: 60 minutos



Capacidade: 80 lugares

Bilheteria: terça a domingo, 15h às 21h. Vendas antecipadas no local.


©bemvin.org 2016
enviar mensagem

    Página principal