A importância do Sofrimento de Animais Selvagens



Baixar 0,99 Mb.
Página1/7
Encontro30.10.2016
Tamanho0,99 Mb.
  1   2   3   4   5   6   7
A Importância do Sofrimento de Animais Selvagens

Por Brian Tomasik

(tradução da versão editada a 24 de Jun. 2014)

Tradução por Luís Campos



Sumário

O número de animais selvagens excede vastamente o de animais em factory farms, em laboratórios ou mantidos como animais de companhia. Assim, os defensores dos animais devem considerar focar os seus esforços no aumento da preocupação em relação ao sofrimento que ocorre no ambiente natural. Apesar de, em teoria, isto poder envolver uma tentativa directa de criar sistemas ecológicos mais humanitários, na prática, penso que os activistas se devem concentrar em promover o meme da preocupação em relação aos animais selvagens, partilhando a ideia com outros activistas, académicos e outros grupos que simpatizem com a causa animal. A quantidade massiva de sofrimento que ocorre actualmente na natureza é, de facto, trágica, mas não se compara com a quantidade de bem ou de mal que os nossos descendentes - com capacidade tecnológica avançada - poderão causar. Receio, por exemplo, que os futuros humanos poderão realizar terraforming, directed panspermia ou simulações sencientes, sem reflectirem o suficiente nas consequências que isso terá para os animais selvagens. A nossa prioridade principal devia ser garantir que a inteligência humana é usada no futuro para prevenir sofrimento da vida selvagem e não multiplicá-la.



Sumário de porque é que provavelmente o sofrimento suplanta a felicidade

Pessoalmente, acredito que a maioria dos animais (excepto talvez aqueles que vivem muito tempo, como mais de três anos) provavelmente têm vidas que não valem a pena viver, porque eu trocaria vários anos da minha vida para evitar o sofrimento de uma morte mediana, e isto assumindo que as suas vidas (sem contar com a morte) são, no seu todo, positivas (isto é, têm mais felicidade do que sofrimento), o que acho duvidoso, tendo em conta o frio, a fome, as doenças, o medo de predadores e tudo o resto.



No entanto, esta minha crença é algo controversa. Penso que a ideia de que na natureza existe mais sofrimento do que felicidade precisa apenas de ser apoiada numa afirmação menos controversa: nomeadamente, que quase toda a felicidade e sofrimento esperados na natureza vêm de pequenos animais (como insectos e minnows). Os adultos destas espécies vivem no máximo uns poucos anos, mais frequentemente apenas uns meses ou semanas, pelo que é ainda mais difícil nestes casos que a felicidade em vida ultrapasse o sofrimento da morte. Além disso, quase todas as crias que estas espécies dão à luz morrem (possivelmente de uma forma dolorosa) apenas uns dias depois de terem nascido, porque a maioria destas espécies são "r-selected" - ver Type III deste gráfico.

Introdução

"A quantidade total de sofrimento por ano no mundo natural está para além de qualquer contemplação. Durante o minuto que me demora a compor esta frase, milhares de animais estão a ser comidos vivos; outros estão a fugir pelas suas vidas, gritando de medo; outros estão ser vagarosamente devorados de dentro para fora por parasitas; milhares de outros estão a morrer de fome, sede e devido a doenças."

-Richard Dawkins, River Out of Eden [Dawkins]

"Muitos humanos olham para a natureza de uma perspetiva estética e pensam nela em termos de biodiversidade e saúde dos ecossistemas, mas esquecem-se que os animais que habitam nesses ecossistemas são indivíduos com as suas próprias necessidades. Doenças, fome, predação, ostracismo e frustração sexual são endémicos nos chamados ecossistemas saudáveis. O grande taboo do movimento dos direitos animais é que a maioria do sofrimento acontece devido a causas naturais."

-Albert, um cão fictional de “Golden”, escrito pelo filósofo Nick Bostrom [Bostrom-Alfred]

"A falácia moralística é aquela que diz que o que é bom, é encontrado na natureza. É apoiada pela má ciência das narrações dos documentários sobre a natureza: os leões matam por misericórdia em relação ao fraco e ao doente, ratos não sentem dor quando são comidos por gatos, os escaravelhos bosteiros reciclam fezes para beneficiar o ecossistema, e por ai além."

-Steven Pinker [Pinker]

"Pessoas que nos acusam de colocar demasiada violência, deviam ver o que deixamos de fora."

-David Attenborough, falando sobre os seus documentários sobre a natureza [Attenborough]

"A verdade é que, quase todas as coisas pelas quais os homens são enforcados ou presos por fazerem uns aos outros, são as performances diárias da natureza. […] As frases que atribuem perfeição ao curso da natureza podem apenas ser consideradas como exageros de um sentimento poético ou devocional, que não se destinam a sobreviver ao teste de uma análise sóbria. Ninguém, religioso ou não, acredita que as acções dolosas da naturezas, consideradas como um todo, promovem bons objectivos, a não ser o de incitar as criaturas racionais a levantarem-se e a fazerem frente contra elas."

-John Stuart Mill, "On Nature" [Mill]

Ativistas pela causa animal tipicamente focam os seus esforços em áreas onde os humanos interagem diretamente com membros de outras espécies, como nas factory farms, em experiências de laboratório e, em muito menor grau, em zoos, circos, rodeios e actividades do género.

Raramente discutido é o tópico do sofrimento na natureza selvagem, mesmo na literatura académica, apesar de ter havido excepções notáveis.[exceptions] Neste texto, realço que o número de animais selvagens sobre os quais o humano tem impacto é simplesmente demasiado grande para ser ignorado pelos defensores da causa animal. Sofrimento intenso é uma característica regular da vida na natureza selvagem, que pede, talvez não uma intervenção apressada e temporária, mas, pelo menos, investigação duradoura sobre o bem-estar dos animais selvagens e sobre tecnologias que possam um dia permitir aos humanos melhorar esse bem-estar. Concluo encorajando defensores da causa animal a focarem os seus esforços a promover a preocupação pelo sofrimento dos animais selvagens, partilhando a ideia com outros activistas, académicos e outros que possam simpatizar com a causa - tanto com o objectivo de encorajar investigação sobre o tema como para garantir que os nossos descendentes usem as suas tecnologias avançadas de maneira a aliviar o sofrimento da vida selvagem em vez de inadvertidamente o multiplicar.



Número de Animais Selvagens

A escala de sofrimento animal causada por mão humana é vasta e os defensores dos animais estão certos em ficarem impressionados com a sua magnitude. No entanto, o número de animais que vivem no mundo selvagem é extraordinariamente maior. Para estimativas grosseiras deste número, ver o meu "How Many Wild Animals Are There?".



Como é que os Animais Selvagens Sofrem

Como aqueles em factory farms, em laboratórios e os que são mantidos como animais de companhia, os animais na natureza têm uma rica vida emocional.[emotions] Infelizmente, muitas dessas emoções são intensamente dolorosas, muitas sem a necessidade de o serem. E apesar de "nature red, tooth and claw"1 ser um dito muito conhecido, o seu significado visceral pode ser muitas vezes ignorado. Em baixo, revejo alguns detalhes do sofrimento da vida animal, talvez de uma maneira similar àquela que os defensores da causa animal condenam actos de crueldade por parte dos humanos.


  1   2   3   4   5   6   7


©bemvin.org 2016
enviar mensagem

    Página principal