460-renuncias em prol da família 14/05/2017 à 20/05/2017 Oração



Baixar 9,68 Kb.
Encontro28.10.2017
Tamanho9,68 Kb.
460-RENUNCIAS EM PROL DA FAMÍLIA

14/05/2017 à 20/05/2017
Oração: Iniciar o GE orando pelo cartão de oração que cada participante do GE recebeu e que contém as pessoas/alvos a serem alcançados. Já estamos a um mês orando pelo nosso cartão de oração. Precisamos orar e começar a fazer contado com essas pessoas para convidá-las a participar com a gente no nosso GE. E também orar pelo nosso Encontro com Deus.
Quebra-gelo: O que a palavra “Renúncia significa para você?”
Texto Bíblico: Rute 2:11
Introdução: A linda história de Rute relata as lutas que passou em família diante de uma grande crise (Jz 6:3-4), diante de uma grande fome. Mas Rute aprendeu o pode da renuncia em prol de sua família. Declarou seu amor e fidelidade por sua sogra no momento mais difícil de suas vidas (Rt 1:1-17). Rute abriu mão de muitas coisas pelo bem de sua família. A primeira família de Rute foi com seus pais e irmãos em Moabe (Rt 1:4), depois com seu esposo Malon (Rt 1:10), mas quando ficou viúva, sua família foi com sua sogra sua cunhada (Rt 1:5-6), depois que a cunhada foi embora ficou só com a sogra (Rt 1:14), e por fim, formou uma nova família com Boaz (Rt 4:13). Em todos os momentos Rute renunciava o passado e estava pronta para recomeçar sua família. Nos relacionamentos familiares é preciso renunciar muitas coisas. Às vezes queremos apenas ganhar e por isso perdemos muito. Quando abrimos mão, também estamos prontos para receber, mas de mãos cerradas não conseguimos pegar nada. Abra mão do que for preciso, só não abra mão de sua família!
Desenvolvimento: Rute renunciou em prol de sua família...

1-Renunciou o DIREITOS (Rt 1:8): Rute era moabita e por isso estrangeira, então não tinha os mesmos costumes do povo de Israel e não estava obrigada a cumprir estas leis. Segundo a lei judaica, ela só poderia se casar novamente com um parente mais próximo de seu falecido marido (Dt 25:5). Quando sua sogra lhe disse que poderia ir embora, estava liberando Rute de cumprir costumes que não eram de seu povo, mas ela preferiu fica com sua sogra e assumir o seu povo e seu Deus (Rt 1:16-17). Em algumas situações da vida familiar é preciso renunciar direitos momentaneamente em prol da paz na família. Por exemplo, o direito de responder a uma provocação ou ofensa, precisa ser renunciada para que haja paz e depois que os ânimos se acalmam uma boa conversa resolve melhor.
2-Renunciou VONTADES (Rt 1:14): O coração de Rute estava apegado ao de sua sogra, por isso não quis ir embora. Certamente tinha vontade de ter uma família, se casar e gerar filhos. Mas naquele momento estava abrindo mão disso para cuidar de sua sogra. Rute chorou duas vezes com sua sogra (Rute 1:9 e14), mostrando o amor que sentia por ela. A cunhada de Rute, chamada Orfa, deu um beijo na sua sogra e foi embora em busca de seus sonhos (Rt 1:14-15). Orfa estava assumindo um direito que tinha como viúva, sendo livre para se casar novamente e viver sua vida, além de segui a vontade de seu coração. Umas das renuncias mais difíceis que existe é deixar a vontade, por isso Jesus mandou que quem quisesse segui-Lo “negue-se a si mesmo” (Mc 17:5) e muitas vezes o que sentimos não é o melhor para nós, para o nosso próximo e para a família (Rm 7:16-20). O egoísmo impede que muitas famílias estejam unidas e casamentos se desfazem por que é preciso unir os projetos mais do que apenas o corpo. Principalmente em situações em que nossa carne nos faz ter vontades de fazer coisas erradas e repentinas, precisamos renuncia as obras carnais para buscar o fruto do Espírito (Gl 5:19-23).
3-Renunciou o PASSADO (Rt 2:11): Rute começou renunciando sua vida em Moabe, quando resolveu ir embora para Belém com sua sogra Noemi (Rt 1:7-10). Ela deixou seus pais e seu povo para ir cuidar de sua sogra. Precisou catar restos da colheita para buscar alimentos e sustentar-se com sua sogra (Rt 2:2-3). Depois Rute renunciou tudo novamente para se casar com Boaz (Rt 4:1-10) e recomeçar sua família outra vez. O passado impede muitas famílias de prosseguir. Devemos deixar o problema de ontem e não levar para amanhã a ira de hoje (Ef 4:26). Para isso é preciso crer na misericórdia do Senhor que se renova a cada dia (Lm 3:23). Jesus disse que não podemos olhar para trás (Lc 9:62). Existem casos em que a pessoa se casa para formar uma família e ainda quer continuar vivendo a vida de solteiro, sem compreender que é um novo tempo em sua vida e precisa mudar. Não há família que resista a cobranças, culpa e lembranças do passado. Renunciar o passado é ser livre para viver melhor o presente e sonhar com o futuro (Rt 2:12).
Conclusão: Quando Boaz abençoou Rute, ao procurar saber quem era aquela estrangeira, não sabia que estava abençoando sua futura esposa e a mulher de sua vida. De fato Boaz nem esperava que pudesse se casar com Rute, sendo surpreendido com o interesse dela (Rt 3:1-10), mas assumiu sua responsabilidade e a recebeu como esposa (Rt 4:1-10). Rute realizou seu sonho de ter família e filhos (Rt 4:13), foi bisavó do rei Davi (Rt 4:17) e entrou na genealogia de Jesus (Mt 1:4). Sua renuncia valeu a pena, pois recebeu a recompensa.

O que você poderia renunciar em prol de sua família? Direitos, vontades ou o passado? Você pode deixar de assistir algo que gosta para estar junto com a família, trabalhar menos para viver mais perto, deixar as redes sociais para se relacionar com quem está próximo, além de promover situações que possam unir a família? Deus recompensa quem renuncia. Vamos orar?


©bemvin.org 2016
enviar mensagem

    Página principal