25 anos de presença hospitaleira no vietname queridas Irmãs, doentes e crianças, amigos, sacerdotes, familiares e benfeitores



Baixar 15,98 Kb.
Encontro05.06.2017
Tamanho15,98 Kb.
25 ANOS DE PRESENÇA HOSPITALEIRA

NO VIETNAME

Queridas Irmãs,

doentes e crianças,

amigos, sacerdotes,

familiares e benfeitores:

Por ocasião da celebração dos 25 anos da presença hospitaleira no Vietname, toda a Congregação está em festa. Sem que tenhamos plantado qualquer semente, o Senhor dignou-se a oferecer-nos Irmãs que partilham a nossa mesma vocação e a nossa missão de caridade a favor das pessoas doentes e necessitadas1.

Uma celebração como esta é um tempo singular em que o passado, o presente e o futuro se encontram no Coração de Deus, fonte da Hospitalidade e origem da Congregação, como afirmou com profunda convicção, S. Benito Menni, nosso Fundador: "Este amor sobrenatural, nascido do Coração de Jesus e comunicado pelo Espírito Santo ao meu pobre coração e ao coração de todas as minhas filhas... fruto deste Espírito divino, foi a fundação da vossa congregação"2.

Recordamos com gratidão e emoção o passado, aquele dia 3 de dezembro de 1987, quando a Irmã María Dolores Aldaba, então Superiora-geral, comunicou oficialmente a toda a Congregação a alegre notícia: "um grupo de 20 jovens, que começou a formar-se há uns anos no Vietname, pede para fazer parte da nossa Congregação. Todas são vietnamitas. Têm votos privados, vivem em comunhão em duas casas e cuidam dos doentes no seu domicílio e também nas casas onde elas moram"3.

Esta gratidão é, antes de mais, perante Deus, a quem damos graças pela sua infinita misericórdia para com a Congregação, porque Ele prepara os caminhos da hospitalidade, suscitando em tantas partes do mundo e, em concreto aqui no Vietname, mulheres que, generosamente e sem olhar a sacrifícios, dispõem das suas vidas e entregam-se ao serviço das pessoas que sofrem, das crianças, dos doentes.

Esta gratidão é também, de forma especial, perante as Irmãs que deram os primeiros passos no caminho da hospitalidade, aqui no Vietname: a Irmã Marie Pham Thi Tàm e a Irmã Anna Than Thi Tam, que já voltaram à casa do Pai e a Irmã Anna María Duong Thi Xuàn Than, Superiora da Delegação do Vietname, que se encontra entre nós. Graças a todas aquelas que pertenceram àquela primeira comunidade que, segundo as Irmãs que a visitaram pela primeira vez, caracterizava-se pelo trabalho em prol da missão, pela entrega generosa aos mais carenciados, por uma vida plena de oração, por uma grande sensibilidade artística e pelo grande desejo de conhecer e sentir-se parte da Congregação4.

No entanto, não poderíamos deixar de expressar a nossa gratidão a outras pessoas que colaboraram no nascimento deste projecto de hospitalidade: o bispo da Diocese de Xuan Loc, Paul Marie Nguyen-Minh-Hnat, que acompanhou as Irmãs desde os primeiros passos da sua formação, os Irmãos da Ordem Hospitaleira de S. João de Deus, de quem puderam "beber" o espírito da hospitalidade, vivido segundo o exemplo de Jesus bom samaritano e encarnado em S. João de Deus, S. Benito Menni, Maria Josefa e Maria Angustias. Graças também a todas aquelas pessoas que, como benfeitores ajudaram as Irmãs, colaborando com as suas doações no desenvolvimento da missão hospitaleira no Vietname.

Contudo, como já foi dito, esta celebração é um "encontro" entre o passado, o presente e o futuro... Recordamos com gratidão o passado, encontrando nele as sementes deste presente que vivemos com alegria e generosidade.

Aquele primeiro grupo de hospitaleiras foi crescendo e a Congregação acolheu, no seu seio e com agradecimento, as novas filhas com rosto, estilo e cultura vietnamita, mas com coração hospitaleiro. Criaram-se novas comunidades, onde as Irmãs tentaram viver a fraternidade e a hospitalidade, conservando o espírito da união de corações. Desenvolveu-se a missão hospitaleira, centrando-se pouco a pouco no específico da nossa missão apostólica: a assistência a pessoas com doenças ou deficiências mentais.

Hoje, utilizando a linguagem das parábolas de Jesus, este "pequeno grão de mostarda" fez-se árvore, ao ponto das aves do céu virem criar os ninhos nos seus ramos" (cf. Mt 13, 31s). São muitas as crianças e os doentes que a Congregação acolhe nas casas do Vietname... A árvore da hospitalidade está a crescer e a desenvolver-se e as características da entrega generosa, sacrificada, humilde e alegre fortalecem as raízes desta árvore frondosa.

Quando vemos as Comunidades e a missão que realizamos no Vietname, a Congregação não pode deixar de reconhecer a entrega generosa das Irmãs e a alegria que se vê nos seus rostos. Isto é, antes de mais, o dom de Deus que chega aos vossos corações e torna-vos instrumentos da sua bondade materna e da sua ternura compassiva para com os mais doentes e carenciados. Mas é também a resposta diária em cada uma de vós a esse Deus que vos chama a servi-lo nas suas "vivas imagens"5.

Neste olhar para o presente não podemos deixar de recordar a oportunidade que vamos tendo, em distintas ocasiões, de partilhar a vida e a hospitalidade, criando a experiência de "tocar nas origens da Congregação" quando nos aproximamos das comunidade do Vietname ou quando as Irmãs têm a oportunidade de viver nos lugares marcantes onde a Congregação nasceu. Tudo isto ajuda-nos a crescer no sentido da família e na pertença à Congregação.

Celebrar o presente é também o tempo oportuno para projectar o futuro com esperança e criatividade. O caminho congregacional leva-nos hoje a projectar o futuro, recriando a hospitalidade nas distintas realidades do mundo e, em concreto, aqui no Vietname. O Capítulo geral, realizado em Roma no passado mês de Maio, convida-nos a viver a missão hospitaleira à luz do envio dos 72 discípulos, a quem Jesus disse: "Ide, envio-vos... Curai os doentes e dizei-lhes: 'O Reino de Deus está próximo de vós'..." (cf. Lc 10, 1-11; 17-20).

Levadas pelo Espírito a recriar a hospitalidade, projectamos o futuro com esperança e criatividade, renovando a cada dia a nossa opção por Jesus compassivo e misericordioso, promovendo na nossa vida em comunidade a união dos corações e o compromisso apostólico, anunciando o carisma para convocar e integrar novas vocações, assumindo a missão hospitaleira como projecto em que somos chamadas a viver com outras pessoas e tornando visível a Boa Nova no mundo do sofrimento psíquico6.

Os caminhos de uma hospitalidade recriada pedem-nos a mesma atitude da visitação de Maria que, na disponibilidade e prontidão, se aproxima das necessidades de sua prima Isabel e nesse encontro, experimenta ela mesma a visitação de Deus.

Ao terminar esta saudação por ocasião da celebração dos 25 anos de presença da Congregação no Vietname, sentimo-nos muito unidas a todas a Irmãs, aos doentes e crianças, aos amigos, aos sacerdotes, aos familiares e aos benfeitores. A Congregação tem-nos no coração e volta hoje o seu olhar para o oriente... Para o Vietname...

S. Benito Menni dizia a todas a irmãs que "este amor não conhece limites, não sabe dizer basta"... Este amor, que é o do Coração de Deus, não tem limites e por isso quer hoje, também aqui no Vietname, expandir-se, consolidar-se e dar frutos de hospitalidade...

Desejamos e pedimos a Deus, pleno de misericórdia, que a árvore frondosa da hospitalidade continue a dar frutos e que os mais pobres e doentes encontrem, no coração de cada Irmã hospitaleira, uma casa acolhedora, onde experienciem o amor sanativo e libertador de Deus.

Que a todos abençoe o Deus do coração samaritano com o seu amor e a sua hospitalidade.

Irmã Anabela Carneiro



Superiora-geral HSC

1 TERESA LOPEZ BEORLEGUI, Circular para a Congregação 19/92, Roma 1992.

2 BENITO MENNI, Cartas, Roma 1975, C. 587.

3 MARIA DOLORES ALDABA, Circular para a Congregação 06/87, Roma 1987.

4 Cf. TERESA LOPEZ BEORLEGUI, Circular para a Congregação 19/92, Roma 1992.


5 Cf. HERMANAS HOSPITALARIAS, Constituições, Roma 1983, 5.

6 Cf. HERMANAS HOSPITALARIAS, Recriar a Hospitalidade. Caminhos de Revitalização, Roma 2012.


©bemvin.org 2016
enviar mensagem

    Página principal